Por onde anda Olívia Newton John

Quem viveu a época colorida das discotecas não esquece da Olivia Newton-John. Ela é aquela loirinha esfuziante que fez par com John Travolta em filmes como “Grease - No Tempo da Brilhantina” e contracenou com Gene Kelly no “Xanadu”.

Nascida na Inglaterra, mas criada na Austrália, Olivia vem enfrentando uma série de tragédias em sua vida pessoal, mas não perde o ânimo e está sempre lançando um novo disco, com canções que ela mesma compõe, e inaugurou um site www.olivianewton-john.com onde pretende vender seus CDs, anunciar seus shows ao vivo e continuar mantendo contato com seus fãs. . Um site que fala de música e de alegria, já que as tristezas da Olivia ela deixa para os noticiários e os programas de televisão como o “Entertainment Tonight”.

Olivia nasceu no dia 26 de setembro de 1948, em Cambridge, na Inglaterra, mas a família logo se mudou para a Austrália, onde ela cresceu. Um dos avós de Olivia era o famoso físico Max Bohr, um dos criadores da física quântica, mas a menina só queria saber de cantar e dançar. Nos anos 70 ela estrelou um filme na Inglaterra e logo depois foi para a Califórnia, onde fez sucesso como cantora de música “country” e romântica. Com uma voz maravilhosa, Olivia gravou vários álbuns e criou interpretações memoráveis para canções como “The Long And Winding Road”, dos Beatles, e “Don’t Cry For Me Argentina”, do musical Evita. Seus discos vendiam milhões de cópias e logo surgiram propostas para fazer filmes em Hollywood.


Em 78, o produtor Robert Stingwood estava procurando uma cantora e atriz de aparência jovem para estrelar a adaptação para o cinema de “Grease - No Tempo da Brilhantina”. Um musical que fazia muito sucesso na Broadway. John Travolta, que virara astro com o filme “Os Embalos de Sábado à Noite”, faria o principal papel masculino. Olivia estava com 30 anos de idade na época, mas parecia ser dez anos mais nova e ganhou o papel sem problema. Interpretando a angelical Sandy, que vira uma “bad girl” para conquistar o amor de Danny.


O filme foi um sucesso e Olivia se estabeleceu como cantora-atriz, especializada em filmes musicais. Em 80, ela se uniu a Gene Kelly, o astro de “Dançando na Chuva” e “Sinfonia de Paris” para fazer Xanadu, um musical criado em cima da moda dos patins que começava a se espalhar pelo mundo. Que tem uma bela seqüência, onde ela dança com Kelly ao som das “big bands” dos anos de 1940.


Sua voz bonita, que sobressaia nas canções românticas e na música “country” passou a ser desperdiçada na música pop. Com a moda das discotecas acabando, Olivia ainda conseguiu emplacar mais um sucesso com a música “Physical”, que tocou em todas as academias de ginástica do planeta. Mas logo caiu no anônimato. No início da década de 80, Olívia estrelou o filme “Embalos a Dois” com John Travolta, , que foi um fracasso de bilheteria e de crítica.

Com o dinheiro que ganhara nos anos de fama, Olivia passou a viajar pelo mundo e apresentou uma série de filmes sobre o mundo animal para o canal Discovery. Mas não soube administrar o que tinha ganho e, em 92, foi declarada falida. Dois meses depois da falência, o pai de Olívia morreu de câncer no fígado. E no mesmo dia os médicos informaram à cantora que ela tinha câncer no seio.

Olivia lutou contra a doença e conseguiu superá-la. Quatro anos depois ela encontrou apoio e conforto ao iniciar um romance com o “cameramen” Patrick McDermott. Os dois se conheceram quando Olivia gravava um comercial para a televisão, em Los Angeles, na Califórnia.

Enquanto Olivia viajava para visitar parentes na Austrália, Patrick, de 48 anos, saiu para pescar durante a noite, num barco que deixou o porto de San Pedro, na Califórnia. Nunca mais foi visto. A família só deu por sua falta seis dias depois, quando McDermott não apareceu para uma festa. Seus pertences foram encontrados dentro do barco e o carro ainda estava no estacionamento da marina. A polícia e a Guarda Costeira ainda estão investigando, mas ninguém tem esperanças de encontrá-lo.

Numa entrevista, para o programa “Entertainment Tonight”, Olivia Newton-John quebrou o silêncio e falou de sua tristeza.

“Isto é muito doloroso para mim. Eu o amo e rezo para que ele volte. Não sei o que aconteceu com ele e não quero fazer especulações. Ele tem um filho, eu espero que ele volte”.

"A dor faz a gente crescer, ainda que seja muito difícil na ocasião. Mas depois você olha para trás e percebe que não seria o que é se não tivesse passado por tudo aquilo"

O CD "Stronger Than Before", lançado em 2005, traz canções de inspiração, coragem e esperança que se relacionam com o complexo de emoções doentes de câncer e a experiência vivida por seus entes queridos. Sua gravação mais recente, "Grace and Gratitude", um CD de relaxamento para promover o equilíbrio espiritual e físico e emocional de cura, foi lançado em setembro de 2006.

Em 2008, Olivia levantou fundos para ajudar a construir a Olivia Newton-John Cancer and Wellness Centre (ONJCC), em Melbourne, Austrália. ONJCC fornece uma gama completa de serviços e instalações para tratamento de câncer, educação, formação e investigação.

Ela levou três semanas, 228 km a pé ao longo da Grande Muralha da China em Abril acompanhado por várias celebridades e sobreviventes de câncer ao longo de sua caminhada. A caminhada simbolizava os pacientes de câncer que devem tomar medidas em seu caminho para a recuperação.

E é assim que vive a atriz Olívia Olivia Newton-John nos dias atuais, cuidando de seu centro de tratamento, fazendo campanhas sobre o câncer de mama e turnês pelo E.U.A.

Fonte: parada-ob.blogspot.com / diarioon.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...