Culinária dos Estados Unidos

Numa nação formada por descendentes de pessoas de todos os cantos do mundo, seria de esperar que a culinária dos Estados Unidos da América tivesse influências de várias culturas. De facto, não se pode dizer que haja uma única culinária dos Estados Unidos, mas várias, entre as quais:

  • A culinária dos índios norte-americanos;
  • A culinária cajun (dos cajun, descendentes de franceses);
  • A culinária tex-mex, ou seja, de base texana, mas com influência mexicana;
  • A culinária sulista que, em parte, se confunde com a culinária dos negros norte-americanos.

E no entanto, há receitas que, embora possam ter outras origens, se tornaram como símbolos da cultura americana. Uma destas é o hambúrguer - que provavelmente existiu muito antes dos EUA, mas que foi generalizado no século XX através de empresas daquele país.

Outras formas que marcam quem viaja nos Estados Unidos são, por exemplo, o brownie, um bolinho de chocolate que não falta em nenhuma festa naquele país ou o jantar do dia de ação de graças, com o peru assado, servido com o "recheio" à parte, com purê de abóbora e com doce de oxicoco.

O gumbo é típico duma culinária específica, a culinária cajun - nem por isso menos "americana". O hábito de comer hambúrguer, assim como batatas fritas com coca cola, é marca registrada do americano. Os restaurantes dispõe em seus cardápios os mais diferentes sabores da culinária que reflete um pouco de cada país.

Os peixes, frutos do mar e mariscos também marcam presença. A procura por carnes assadas, filés, também faz parte dos pratos servidos nos restaurantes da capital americana. Qualquer pessoa de qualquer preferência culinária pode satisfazer plenamente o seu apetite nos Estados Unidos.

 

A Rotina no Cardápio dos Estado Unidenses

Nas grandes cidades a cozinha rápida ou "fast food" é a nota predominante. O desjejum e o jantar são as principais refeições do dia, enquanto o almoço é mais leve. Ovos com bacon, torradas, suco, frutas e café são frequentes no começo do dia. O almoço, porém, pode consistir em uma salada, um sanduiche, hambúrguer ou cachorro-quente, acompanhado de qualquer bebida com gás.

Os norte americanos urbanos possuem pouco tempo para comer. É típica a imagem das barracas nas ruas de cachorros-quentes onde, desde executivos até donas de casa, acodem incessantemente ao meio dia. Os restaurantes de comida rápida, como sanduicharias e pizzarias, ficam lotados durante o almoço.

O jantar é a comida mais forte do dia e costuma consistir em um primeiro prato à base de salada ou pasta, carne ou peixe no segundo, e um doce bom na sobremesa acompanhado de um gigantesco copo de leite. Nos finais de semanas estes costumes mudam levemente, já que por acordar um pouco mais tarde, os norte-americanos unem o desjejum com o almoço, criando o que eles chamam de brunch.

Consiste em crepes, tortas de nata e salmão com creme de queijo, entre outras alternativas. Numerosos restaurantes, a maior parte com horário continuado, abrem as portas para oferecer tudo que possa estimular seu apetite. Cozinha italiana, grega, francesa, alemã, chinesa, indiana, japonesa, russa e em alguns lugares, também espanhola.

Poderá comer qualquer tipo de pasta italiana acompanhada do melhor café expresso, os melhores cogumelos chineses com bambu ou os famosos Dim Sum, menu chinês formado com recheados e outras porções de comida, salsichas de Munich acompanhadas da melhor cerveja, ou o ótimo caviar vermelho chegado diretamente da Rússia.

Quando sobra comida é normal que ponham ela em uma sacola (doggy-bags) para levar para casa, inclusive nos restaurantes de luxo.

A atual culinária norte-americana é altamente diversificada, variando de região a região, dependendo da população e da cultura da região. Alimentos comuns do café da manhã (ou pequeno almoço) norte-americano são ovos batidos, bacon, panquecas, cereais e pães com pasta de amendoim, acompanhados com café ou suco, na maioria das vezes, de laranja.

Os Estados Unidos são o maior consumidor de café do mundo. Muitos norte-americanos tomam café logo pela manhã, e vários tomam café durante o trabalho. Além disso, o Estados Unidos também é o maior consumidor de refrigerantes do mundo.

 

Carnes, Peixes e Influência do México

Na zona oeste dos Estados Unidos há carnes excelentes. Extensos pastos para o gado fazem com que a qualidade da carne seja ótima embora a variedade na cozinha não seja muito rica. As costelas barbacoa começaram a ser exportadas como receita a outros países, consiste em costelas com um tempero especial, assadas devagar na barbacoa, como indica o seu nome.

Poderá, além degustar excelentes bistecas, entrecortes ou files mignon sempre acompanhados de batata doce cozida, fritas ou com diversos molhos. O frango à panela, especialidade dos estados de Indiana, Missouri e Ohio. O bolo de creme agria, coberto de merengue Paso de Corinto, é uma maravilha e come-se frequentemente em Minnesota, Wisconsin e Indiana.

Também pode encontrar peixe bom no arredores dos Grandes Lagos. No leste, as possibilidades são infinitas, porém prevalece o marisco, sobre tudo na zona costeira, é muito fresco e bem preparado. Nesta região poderá encontrar qualquer especialidade latina como, por exemplo, comida cubana, leitão assado ou caranguejos mouros.

Os restaurantes com espetáculo estão muito na moda. Neles é possível assistir como é o preparo da comida que você escolheu. Na parte sul dos Estados Unidos, limite com o México, a influência da comida do país de Pancho Vila é inevitável, e ela é denominada de comida "Tex-Mex".

O chile, verdadeiramente picante, acompanha muito bem as carnes vermelhas. Pratos notórios são os tacos ou os nachos, omeletes de milho recheadas de tudo o que possa imaginar, como carne, pimentão, tomate, cebola, queijo derretido, etc., acompanhados com diversos molhos. Estes devem ser comidas com as mãos. Há também o feijão cozido e frito.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...