Aprenda a lidar com manhas e birras dos seus filhos

É sábado à tarde, e a praça de alimentação do shopping está cheia. De repente, uma criança começa a se exaltar porque não a deixam tomar o segundo sorvete do dia. Todos passam a reparar no escândalo, e, para chamar mais atenção, ela se joga no chão, esperneia e berra. Enquanto isso, a mãe está morrendo de vergonha e não consegue impedir a gritaria do filho.

Quem nunca viu uma cena como essa? Ou, pior, já esteve no papel da mãe constrangida?

Fazer manha é parte do processo de desenvolvimento da autonomia infantil. "Para a criança, as birras são manifestações de emoção, sentimento, necessidade e vontade.

Principalmente entre dois e três anos, o pequeno começa a perceber que precisa fazer algo para adquirir as coisas que deseja. E cabe aos pais discernir e impor limites, não cedendo aos pedidos descabidos – mesmo que seu filho resolva dar um show em público.

 
Como ajudar crianças a superarem as frustrações?

O ponto inicial para ensinar os pequenos a lidarem bem com um “não” está nos exemplos que você dá. É a partir dos pais que a criança desenvolve seu entendimento da vida, seus comportamentos e sua própria imagem.

Pare e pense: quais são suas atitudes quando quer algo? Você costuma gritar com o seu marido se está insatisfeita? E seu marido quando quer dar aquela saidinha com os amigos e a esposa não quer? Pois é isso que seu pequeno vai copiar nos momentos em que também tiver uma vontade.

O próximo passo para educar é reparar nas atitudes do seu filho, e não apenas nas situações mais difíceis. Mesmo quando está tranquila, a criança demonstra como ela lida com as coisas.

 

Meu filho está exagerando nas birras. O que fazer?

Você pode ter seguido todos os manuais para criar uma criança adorável. Mas isso não significa que está livre de situações difíceis e embaraçosas. Então aqui vão algumas dicas sobre como atravessar com autocontrole os momentos de teimosia dos seus pequenos.

Não realize todas as vontades do filhote - Ele precisa receber um “não” para aprender a enfrentar os obstáculos que a vida vai lhe apresentar.

Explique-se ao negar um pedido - Mostre empatia a seu filho, dizendo que você entende que ele está triste, mas justifique por que seu desejo não será atendido.

Recorra à linguagem não verbal - Ao repreender a criança, abaixe-se para que vocês fiquem da mesma altura e olhe nos olhos dela.

Seja persistente: se ela pedir a mesma coisa várias vezes, abaixe-se em todas elas. Ser firme é diferente de ser autoritário. É possível obter respeito sem a necessidade de alterar a voz, agredir e chegar ao ponto de ser tão insistente quanto a própria criança.

Dê espaço para seu filho - Se ele está fazendo manha, afaste-se (claro, se isso não lhe oferecer riscos). De acordo com especialistas:

"Por meio da capacidade de lidar com sua própria agitação, a criança ganha o poder de controlar sua vida".

A sensação de perda pode educar - Se seu pequeno começa a criar conflito em um shopping, por exemplo, é melhor ir embora. Ele não pode achar que está ganhando com o ato desagradável.

Dê carinho e afeto sempre - Quando seu filho perceber que só chama a sua atenção quando se excede, ele vai acabar fazendo do grito uma estratégia para ganhar tudo o que quer.

Respeite a rotina dos pequenos - É bem provável que eles fiquem manhosos em uma festa se já passou da hora de dormir. Uma dica é prepara-los para essas ocasiões, explicando com antecedência que vai acontecer um evento especial em determinado dia.

Converse bastante com as outras pessoas que também cuidam da criança - Deve existir coerência entre todos sobre as regras e os limites; caso contrário, ela se sentirá insegura a respeito do que é certo ou errado.

A disciplina é um processo - Não adianta querer que seu filho entenda tudo de uma hora para a outra. Nenhuma mudança é imediata – são necessários investimentos na relação da criança com os pais, familiares e cuidadores.

Fonte: www.portalvital.com

Nenhum comentário:

id='comment-post-message'>

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...