Os efeitos da Ureia na nossa pele

A Ureia é um dos hidratantes mais usados em cosméticos tanto pela eficácia quando pelo baixo custo. O que muitos desconhecem é o fato dela ser proibida para gestantes. O principal motivo dessa restrição é que a ureia penetra profundamente na pele, podendo inclusive atravessar a placenta e entrar em contato com o feto em formação, trazendo ao bebê consequências ainda desconhecidas.

Com o objetivo de controlar o uso do componente em cosméticos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, em parecer técnico de 2005, que produtos com dosagens de ureia superiores a 3% da composição total devem ter no rótulo a observação: “Não utilizar durante a gravidez”. A Anvisa ainda proíbe a fabricação de cosméticos que contenham em sua composição mais de 10% de ureia.

 

Mas o que é uréia?

A uréia é um dos componentes do Fator Natural de Hidratação (NMF) do manto hidrolipídico da pele. No NMF, a concentração dela varia de 4% a 7%. Quando ela é aplicada na pele, aumenta a hidratação por sua capacidade de  se unir à água. Em condições climáticas adversas, a quantidade produzida pela pele pode não ser suficiente para manter seu aspecto saudável – no frio ou calor extremos!

A hidratação que a uréia proporciona é alta, pois ela mantém a pele hidratada por um longo período, e, no interior das células ela ainda produz compostos que captam a água do ar. Ou seja, hidrata de dentro pra fora!

Porém, existem contra indicações para quem apresenta hipersensibilidade e isso acontece  na forma de ardência, vermelhidão ou sensação de pinicação. Pergunte ao seu dermatologista se você pode usar. No mercado existem diversos produtos disponíveis nas mais diversas concentrações, para todas as pessoas.

A ureia é um dos ativos mais utilizados nas formulações de cosméticos destinados à beleza da pele seca, mista e oleosa.

Como possui uma poderosa função hidratante, a ureia é bastante utilizada no tratamento contra a pele seca, pois suas características mantêm a cútis hidratada por um período prolongado.

Em peles mistas, a substância pode aumentar a oleosidade e facilitar o surgimento de acne na região. Por isso, a recomendação é optar por produtos com concentrações menores da substância.

A ureia só deve ser aplicada na pele oleosa em concentrações acima de 20%, pois nessa medida ela proporciona um efeito queratolítico que promove uma espécie de esfoliação da pele.

Antes de usar produtos à base de ureia é importante lembrar que nem todos são indicados para o uso no rosto, pois a pele dessa região é bem mais sensível e pode sofrer alguma reação incômoda.

Uma das marcas que apostam no poder da ureia é a La Roche-Posay. A empresa conta com o creme hidratante Iso-Urea, indicado para pele seca por reforçar a barreira cutânea. O produto de 125 ml custa, em média, R$ 39,90.

 

Creme gel à base de ureia evita perda de água da pele

Hidratar o corpo para garantir pele macia é um cuidado que deve ser tomado não só em épocas de calor, mas, também, em períodos de frio. Assim, a camada protetora da cútis é reforçada contra a ação dos agressores externos como a poluição. Outro fator que colabora para a maciez é a manutenção do equilíbrio hídrico da pele.

O Urehidra, produto que promete evitar a perda de água é feito à base de uréia 10%, o creme gel promove hidratação intensiva e recuperação do equilíbrio hídrico da cútis. Ele é indicado, principalmente, para peles secas, mas também age contra ressecamentos ocasionais e escamações em peles ásperas.

Outra característica do produto é sua rápida absorção, deixando um toque suave e macio, podendo ser aplicado a qualquer hora do dia. Em forma de bisnaga, o creme gel foi criado e desenvolvido por profissionais da empresa farmacêutica e pesquisadores do Polo de Biotecnologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O produto de 120 ml custa, em média, R$ 25,19.

 

 

Dermatologista critica produtos naturais e indica uréia para pele

Cremes naturais costumam inspirar confiança nos consumidores. Quando o assunto é pele, aparência facial e envelhecimento, alvos constantes da publicidade, a busca por fórmulas miraculosas (e caras) é maior ainda.

Para a especialista Érica Monteiro, no entanto, esta fórmula simplista pode "causar grandes problemas".

"Produtos naturais não são sinônimos de produtos seguros",

defende a dermatologista.

A médica também diz que a maioria dos cosméticos não atende a três princípios básicos. Primeiro, o ingrediente ativo deve penetrar na pele e não só ficar na superfície. Após ser absorvido, necessita atingir um alvo na célula ou no tecido para desempenhar sua função.
Por fim, segundo a autora do texto, deve haver estudos científicos sérios feitos em várias populações, diferentes climas, por pesquisadores experientes e sérios em várias partes do mundo.
Em entrevista, a médica voluntária de cosmiatria da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) frisou também pontos como o cuidado com a pele desde a infância e o uso de compostos de uréia para alguns tipos de rostos.

 

Quais são os produtos com maior comprovação científica para rejuvenescimento?

Érica Monteiro - Os [que possuem] retinóides e os fotoprotetores. Os retinóides são um grupo de substâncias com atividade semelhante à da vitamina A. Sabemos que a principal causa de envelhecimento é a exposição solar crônica. Quanto maior a exposição solar, mais cedo aparecem seu efeito na pele como linhas, sulcos e rugas, manchas escuras e manchas claras (sardas marrons e sardas brancas). Se a exposição solar continuar, com o passar dos anos essas alterações poderão evoluir para o aparecimento do câncer de pele.

Quais são as linhas de pesquisa em produtos para rejuvenescimento?

Monteiro - Há estudos recentes que revelaram semelhanças entre o que acontece na pele envelhecida e no processo de cicatrização de um ferimento. Fatores de crescimento se acumulam no local da ferida e interagem para iniciar o processo de cicatrização.

Os produtos ditos naturais são melhores para a pele?

Monteiro - Isso não é verdade. Precisamos esclarecer que produtos "naturais" não são sinônimos de produtos "seguros", mas sim oposto de produto "sintético".
Os produtos feitos com ingredientes "naturais", muitas vezes feitos clandestinamente, podem causar grandes problemas. Por exemplo, pode-se não ter um controle adequado da qualidade no produto final vendido ao consumidor, isto é, não se sabe se a quantidade e a qualidade do produto final está dentro de normas pré-estabelecidas para a segurança da pele.
Pode haver contaminação por bactérias, fungos e outros agentes nocivos. O problema não é só a composição de ervas irregulares, muitos fabricantes clandestinos podem adicionar componentes para aumentar a eficácia, mas que não estão listados na lista de composição do produto. O consumidor deve estar atento se a empresa tem registro na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) antes de comprar um produto "natural".

Por que então costumam dizer que os produtos do mercado não funcionam?

Monteiro - Na verdade, não é que eles "não funcionam". O que acontece é que muitos deles fazem promessas milagrosas que são impossíveis de serem cumpridas com um produto "em creme". Não existe tecnologia disponível no momento para que um creme aplicado na superfície da pele chegue no plano muscular. Muitas vezes, esses produtos funcionam apenas como hidratantes.

Muitos dermatologistas indicam o uso de uréia no rosto. O que a senhora acha?

Monteiro - A uréia está na composição de vários produtos hidratantes, como cremes ou loções para a pele. A uréia poderá ser ou não indicada para hidratação da pele do rosto dependendo da sua concentração e do tipo de pele do paciente. Por exemplo, um paciente com a pele seca e sensível, pode sentir coceira, irritação e sensação de "pinicação" na pele. Já outro paciente com pele seca, resistente e tendência ao aparecimento de rugas poderá se beneficiar muito de um hidratante para o rosto com uréia nas concentrações entre 3 e 10%.

Dizem que tratamentos antes dos 40 anos são ineficazes. É verdade?

Monteiro - Não, isso não é verdade. Muitos dermatologistas gostam de falar que "começamos a envelhecer a partir do momento em que nascemos". O tratamento para "antienvelhecimento" deve começar o mais cedo possível.
Já na infância, devemos orientar os pais para não expor seus filhos ao sol sem proteção adequada, como chapéu, boné, roupa adequada e uso de filtros solares sempre que possível.
Na idade adulta, essas recomendações continuam e já poderemos acrescentar o uso diário de hidratantes ou produtos com ácidos (como retinóides, alfa hidroxiácidos, antioxidantes ou clareadores), dependendo das necessidades da pele do paciente. Não há idade definida para iniciar esses tratamentos, mas deve haver boa avaliação médica do caso e muito bom senso.

O preço dos cosméticos é proporcional à qualidade deles?

Monteiro - O preço de um cosmético depende do investimento que se faz em pesquisa, inovação, marketing e da grife que traz consigo. Nem sempre o mais caro é o melhor.

Os cremes são testados por pessoas de apenas um tipo de pele ou de todo tipo?

Monteiro - Muitos produtos não são testados em diferentes populações e em diferentes climas, faixa etária. Empresas sérias, antes de venderem seu produto em outro país ou em outro continente, fazem testes para verificar o comportamento do seu produto e garantir que terá a mesma eficácia que se obtém ao ser aplicado no país onde ele foi desenvolvido.

Creme hidratante para os pés, mãos e cotovelos é enriquecido com ureia e cacau, evita o ressecamento, deixando a pele mais macia e sedosa por muito mais tempo.

R$15,00

 

Fonte: www1.folha.uol.com.br / https://www.h2h.com.br/fulaninha/busca?q=ureia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...