Como me certificar de que o pet shop faz um bom trabalho?

Donos de cãezinhos precisam ficar atentos com alguns serviços prestados no pet shop. Secador muito quente, lacinho no pelo e perfume podem causar alergias, irritações ou até mesmo estressar seu cachorro.

Faça uma visita como quem não quer nada, converse com os funcionários, com a equipe, veja como eles te recebem, como eles promovem seus serviços e, claro, pesquisa de mercado é fundamental. Converse com clientes que já estão levando seus animais no pet e pergunte o que eles estão achando. É aconselhável que o dono entre no estabelecimento durante o procedimento para verificar se o produto usado é o ideal, se escovação está sendo feita da maneira correta e avaliar o modo como o profissional trata o animal, ou seja, a maneira como lava a cabeça, o rostinho, etc. É Recomendável também checar a temperatura do secador e, sempre que receber o animal, verificar junto com o funcionário se a pele está ferida.

Opte por lojas que mantêm uma vitrine separando a área de banho e tosa e o local onde ficam os donos. Assim, eles podem acompanhar tudo que acontece.

Observar se o estabelecimento é movimentado demais e como lida com a sobrecarga de clientes. Se há muitos animais e o tosador tem um horário a cumprir, provavelmente vai ficar nervoso e isso vai aumentar a possibilidade de um trabalho mal feito. Por isso, a dica é evitar os sábados – dias de maior movimento – e marcar as tosas e banhos de segunda a sexta-feira, principalmente nos primeiros horários da manhã.

Nessas situações, porém, segundo Letícia, alguns animais podem se assustar e ficar agitados ao ficar tão próximos dos donos. “O ideal seria um vidro espelhado, em que os donos vissem a sala de tosa, mas os animais não tivessem a visão de fora. Outra solução é instalar câmeras na sala e deixar uma TV na sala de espera para que os donos acompanhem o trabalho dos tosadores.”

Essas alternativas, afirma Rodri­gues, são simples, mas fazem muita diferença. “Ao saber que está sendo observado, o tosador redobra a atenção e fica ainda mais concentrado em não errar durante o procedimento.”

 

Secador faz mal?

Se estiver na temperatura alta, pode ressecar a pele e o pelo do animal, além de causar descamação da pele, alergia ou quebra dos pelos. Ainda, se o vento muito quente bater nos olhinhos, pode até queimar a córnea. É muito importante que a temperatura seja mantida na potência mínima ou média, seja em casa ou no pet shop.

 

Pode passar perfume?

Perfume de humanos pode causar danos. O ideal é utilizar produtos próprios para o animal, que são os perfumes hipoalergênicos. Nunca espirrar na cabeça e sempre borrifar de longe, a cerca de 30 cm do animal. Tome cuidado com olhos, nariz e boquinha e, se quiser passar na cabeça, borrife na mão e então aplique.

 

O que eu posso observar ao entrar no estabelecimento para saber se é tudo correto, higiênico e profissional?

Veja se o estabelecimento tem pisos e paredes de cor clara e de fácil higienização, se as prateleiras estão limpas e organizadas, veja se ao entrar você não sente odores desagradáveis.

No banho e tosa observe se os funcionários estão usando todos os equipamentos de proteção individual, como máscaras e protetores auriculares, por exemplo. Repare também se no consultório do veterinário existe lixeira com pedal, pia e dispensário de papel-toalha e de sabonete líquido. Isso é o mínimo, ok? Pergunte que dia o responsável técnico estará presente no estabelecimento para poder conversar com ele. Caso o proprietário diga que o responsável técnico só assina, desconfie dessa loja.

 

Quais os cuidados mínimos que os donos devem exigir visando o bem-estar de seu pet?

Que existam protocolos de atendimento padrão para toda a equipe visando que se previnam acidentes, como quedas das mesas de banho e tosa, enforcamentos, brigas entre animais e fugas por causa de portas abertas o tempo todo, sem o menor cuidado com a prevenção.

Que esse estabelecimento tenha uma rotina de higienização adequada e que os produtos disponíveis para venda e/ou uso sejam certificados pelo Ministério da Agricultura e adequados às necessidades dos animais de estimação. Exija também que haja limpeza e que os funcionários tenham noções de bem-estar animal como um diferencial no serviço prestado.

 

Deixei meu cachorrinho no pet shop para tomar banho e ele voltou com os olhos irritados ou com algum machucado ou com carrapatos. O que devo fazer?

Toda vez que algum "incidente" acontecer retorne IMEDIATAMENTE ao local e peça explicações ao veterinário responsável técnico, ao proprietário e aos funcionários que ficaram responsáveis pelo seu animal, pois essa situação deverá ser contornada e resolvida da melhor forma possível para você como consumidor, ou seja, caso haja algum dano e seu animal tenha que, por exemplo, usar medicamentos para sanar a situação, o estabelecimento deverá arcar com as despesas, o que, se não for feito, poderá dar início a um processo no PROCON e mesmo de caráter cível.

 

Há algum registro que comprove que o pet shop está apto para funcionar ou isso não existe?

Os estabelecimentos deverão estar registrados em algumas esferas, a saber: Ministério da Agricultura, Anvisa e Conselho Regional de Medicina Veterinária, fora ainda o alvará expedido pela Prefeitura onde ele se encontre.

 

O que é um bom atendimento nesse setor?

Um bom atendimento hoje é um conceito multifacetado quando levamos em consideração a percepção de valor de cada cliente. Mas o básico precisa ser necessariamente exigido, que é o gostar de animais – isso é o ponto de partida.

Porém só isso não basta: um pet shop deverá ter condições que garantam a segurança e o bem-estar dos animais que frequentam, dos seus donos e ainda jamais esquecer a qualidade do ambiente de trabalho de seus funcionários, pois será que você confiaria em um estabelecimento que não dá as mínimas condições de higiene aos seus funcionários? É importante verificar se esse estabelecimento possui um médico- veterinário habilitado a atuar como responsável técnico, não como clínico apenas, mas como aquele profissional que certificará a segurança e os padrões de atendimento dentro de normas técnicas, ou seja, ele irá orientar a compra de produtos adequados, de procedimentos seguros no banho e tosa, bem como ainda esclarecer algumas dúvidas dos clientes sobre questões sobre a saúde de seu animal de estimação, sempre estimulando a realização de uma consulta profissional e mais detalhada, afinal consulta de balcão é o maior erro que ambas as partes podem cometer em se tratando de responsabilidade e ética!

 

Procedimentos em casa não livram animais dos riscos

Para evitar problemas com os petshops, alguns donos têm preferido realizar alguns procedimentos, como banho e tosa, em casa. De acordo com os especialistas, é preciso caprichar na paciência, já que alguns pets – principalmente gatos – não costumam colaborar. É preciso cuidado, porque nem todos obedecem e, com isso, podem acontecer os machucados e dificuldades para secar os pelos, o que tende a gerar infecções de pele.

Enquanto procedimentos como banho e limpeza dos ouvidos podem ser realizados em casa, com alguns cuidados especiais, quanto à tosa, a recomendação é uma só: deve ser feita apenas por pessoas treinadas. O ideal é que os donos façam um curso de banho, tosa e escovação para aprender a fazer tudo de maneira correta. O curso é essencial porque é preciso conhecer o padrão da raça e os riscos de acidentes são grandes. As lâminas são muito afiadas e, se a pessoa não tem prática, facilmente pode cortar a pele, machucar as orelhas ou até cegar o animal.

 

Dicas de quem conhece

Está crescendo muito o número de cães que estão sofrendo maus tratos, quando na verdade deveriam receber cuidados. Embora muitos donos percebam as atitudes dos animais, ainda sim, pensam que são "normais".

Os indícios de maus tratos estão no comportamento dos animais quando voltam para casa, ou quando não querem ir aos pets, criando resistência. Alguns animais têm "verdadeiro horror", "tremem de medo" e "entram em pânico" quando vão ao pet shop para tomar banho.

Não caia nessa estória de que o animal tem medo de ir ao pet shop porque não gosta de tomar banho. Isso é mentira!! Aonde o animal é bem tratado ele não fica com medo de voltar. 
Como os animais não falam, eles expressam através do seu comportamento o quanto estão sofrendo. Algumas situações que devem ser observadas:

1º) Observe se o animal chega sonolento. Muitos pets dopam os animais para conseguirem tratar o maior número de cães, pois com os animais dopados não dão trabalho para os tosadores. Por isso desconfiem dos pets que pedem para deixar o animal e marca o horário de buscar, ou o horário de levar o animal para casa, somente muitas horas depois. Opte sempre em buscar o animal ao invés de usar o serviço de retorno do animal pelo pet. A desculpa é sempre a mesma: tem que esperar o veículo encher de cachorro para fazer a entrega de cada animal. 

2º) É comum o pet shop não deixar o dono do animal permanecer com ele durante o banho e a tosa, alegando que o animal dá mais trabalho quando está perto do dono. Isso é mentira! O animal fica mais confiante quando o dono está perto. Qualquer desculpa, desconfie! 

3º) Observe se animal chega dolorido. Muitos animais apanham durante o banho e a tosa. Levam cascudos, tapas, levam escovadas na cabeça e nas costas.

4º) Observe se o animal chega ferido e queimado. Muitos animais são feridos e queimados. Voltam para casa com a pele avermelhada e ardida por causa da alta temperatura do secador que fica muito tempo em um mesmo lugar. A brutalidade na escovação dos animais provocam ferimentos.

5º) Observe se o animal reage de maneira agressiva ao retornar para casa. Muitos animais quando são violentados nos pets shops ficam violentos com seus donos quando voltam para casa.

6º) Muitos animais ficam horas em gaiolas apertadas, as vezes com outros animais, e sem água.

7º) Vários pets shops usam a mesma toalha em vários animais, transmitindo doenças de pele.

8º) Muitos pets shops dão banho nos animais com "sabão de lavar roupa" o que pode causas alergias, irritação e coceiras. 

9º) Já houve caso de cachorros fugiram dos pets. 

10º) Cadelas já engravidaram nos pets.

11º) Muitos pets shops são imundos e tem muita sujeira, como algodão com sangue, restos de comida, baratas, seringas (usadas para anestesiar os animais) ao alcance de outros animais, gazes usados, bastante lodo no tangue aonde são lavados os animais e muito lixo.

12º) Verifique a parte interna da boca do seu animal, pois muitos animais são amordaçados de maneira bruta e acaba sendo machucados na boca.

13º) Muitos pets deixam o cão sozinho em cima da mesa, com a coleira da tosa no pescoço, o cão pode cair da mesa e morrer enforcado. 

Já houve casos de animais que morreram em Pets, inclusive, tem Pet Shop que promove o curso de tosa, e ensina aos futuros tosadores que tem que tratar o animal com BRUTALIDADE e com VIOLÊNCIA, que é para o animal "ter medo" do tosador e facilitar o trabalho. 
recentemente houve um caso de uma cocker spaniel de dois anos que teve sua patinha dianteira quebrada, e a patinha traseira queimada com secador. Os donos denunciaram o caso e resolveram tornam público para que, donos de cachorros fiquem mais atentos com os sinais que seus animais dão, de que estão sofrendo maus tratos e violência nos pets shops.

Não se deixem enganar com os pets shops pois a grande maioria não preza a qualidade do serviço, e sim a "quantidade" .

Quanto mais cachorro, melhor, a qualquer preço e a qualquer custo.

E não se deixe enganar: todo pet shop vai te dar uma "justificativa" para o comportamento do seu animal. A justificativa campeã é o "estresse"!

Tente, você mesmo, dar banho no seu animal por um período de 6 meses e verá que ele perderá o medo do banho e o estresse não vai mais existir.

O animal não se estressa com o banho, ele se estressa com os maus tratos que sabe que vai receber, ao entrar naquele ambiente. Cada animal que sai com vida de um pet shop é um sobrevivente!

Fonte: www.bolsademulher.com / idmedpet.com.br / www.veterinariosnodiva.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...