A lâmpada certa para cada cômodo

Quem está construindo uma casa sabe que tem de se deparar com questões de iluminação. Tipos de lâmpada, posições e ambientes diferentes devem ser bem pensados para deixar cada espaço da residência mais aconchegante. Não é uma tarefa fácil: requer atenção e algumas informações básicas sobre tipos de lâmpadas.

Para ajudar na escolha, a designer Flávia Bizzotto e a arquiteta Elaine de Souza Resende mostram saídas para questões práticas, erros clássicos e dão dicas para a iluminação ideal para cada ambiente da casa.

 

UMA LÂMPADA PARA CADA CASO

“A iluminação é utilizada com a finalidade de criar nos ambientes uma atmosfera que vai evocar sentimentos distintos: alegria, aconchego, introspecção e assim por diante”

diz Elaine. Para cada sensação há uma lógica específica que indica um certo tipo de iluminação. Nesta equação entram as cores das paredes, o tipo de mobília, a intenção do ambiente e, claro, os tipos de lâmpada.

 

TIPOS DE LÂMPADAS

Fluorescente: é o tipo de luz branca e mais econômica.

Incandescente: é o tipo mais comum. Tem luz amarela, mais barata e consome mais energia.

Halógena: é uma variação da incandescente. Utiliza-se muito em spots embutidos nos tetos das casas.

LED: é o tipo mais caro. Possui luz branca ou amarela. Economiza até 80% mais que as lâmpadas convencionais

 

ERROS CLÁSSICOS

- Lâmpadas halógenas nos espelhos dos banheiros. Estas lâmpadas esquentam muito, portanto só deveriam iluminar objetos, nunca pessoas.

- Lâmpadas fluorescentes com sensores de presença. Estas lâmpadas duram mais quando são acionadas menos vezes. Se forem ligadas e desligadas a todo momento, elas vão aumentar o consumo de energia. Com lâmpadas fluorescentes deve ser assim: acenda e deixe acesa por pelo menos duas horas.

- Luminárias centralizadas no teto. Se colocadas dessa maneira, a luz vai criar sombras nos ambientes. Quando for trabalhar tenha sempre uma luminária de apoio próxima para garantir boa visibilidade.

 

UMA ILUMINAÇÃO PARA CADA CÔMODO

- Sala de estar. Recomenda-se uma iluminação indireta para leituras e conversas. A luz pode ser obtida através de arandelas nas paredes ou sancas de gesso para embutir lâmpadas fluorescentes, sempre de luz amarela, que trazem um ar mais natural, indica Elaine Resende.

- Cozinha. A iluminação mais adequada é a fluorescente, pois esse é um local de trabalho. Esta luz produz menos efeitos de sombras e é mais eficiente em termos de fluxo luminoso e economia de energia, recomenda Flávia Bizzotto.

- Quarto do casal. Podem ser usadas arandelas nas paredes para um ar mais aconchegante, que também podem substituir perfeitamente os abajures ao lado da cama quando se tem pouco espaço, diz Elaine.

- Banheiro. Deve-se ter uma preocupação com a luz geral e com a luz localizada sobre a bancada da pia. A iluminação geral pode ser feita com lâmpadas fluorescentes ou incandescentes e, para a iluminação localizada, deve-se usar a incandescente, pois é a lâmpada que menos distorce as cores, sugere Flávia.

- Home Theater. Uma iluminação indireta é a mais recomendada. Pode-se, no máximo, dar destaque à tela de projeção ou a televisão com a iluminação atrás delas. É só lembrar das salas de cinema, indica Elaine.

 

Fonte: papofeminino.uol.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...