10 Jovens atrizes que já fazem história

Várias estrelas da TV, apesar da pouca idade, já conquistaram papéis de destaque nas novelas e no imaginário dos brasileiros. Seja interpretando uma mocinha, uma vilã e até mesmo uma personagem cômica. Reunimos 10 atrizes jovens, mas que podem ser comparadas aos grandes nomes das novelas brasileiras. Confira um pouco sobre cada uma delas.

 

Aos 33 anos, Taís Araújo acumula feitos inéditos. Entre eles, o de primeira protagonista negra de uma novela na televisão brasileira – Xica da Silva, de 1996, na extinta TV Manchete. Em Viver a Vida, Taís é a primeira atriz negra a protagonizar uma novela das 8 da Globo e de quebra, viveu a emblemática Helena do autor Manoel Carlos.

Hoje, vive Maria da Penha, a quarta protagonista de sua carreira, na atual novela das sete, Cheias de Charme, da Rede Globo.

Relembre sua primeira personagem:

Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

Acho que três personagens me tornaram a atriz que sou hoje: Xica da Silva, que me deu total experiência, tendo um cara como o (diretor) Walter Avancini do lado para me guiar; a Preta, porque, depois de sete anos, tive a oportunidade de fazer uma protagonista na Globo, em Da Cor do Pecado; e a Ellen, de Cobras & Lagartos, pela comédia na TV.

Que personagem você sonha interpretar?

Falta fazer uma grande vilã.

Que personagem interpretado por outra atriz você gostaria de ter feito?

Eu amo a Nazareth, personagem da Renata Sorrah em Senhora do Destino, pela loucura de se amar loucamente. A Viúva Porcina também, que foi um trabalho excelente da Regina Duarte, em Roque Santeiro. Tem também a Heleninha Roitman, da Renata Sorrah, e a Maria de Fátima, vivida por Glória Pires, as duas em Vale Tudo. Só maluca!

Que atriz você admira e serve de fonte de inspiração para seu trabalho?

Arlete Salles e Aracy Balabanian. São duas mulheres que admiro muito e a quem sempre peço conselhos.

Com quem gostaria de um dia contracenar (ou de ter contracenado)?

Dina Sfat, porque sempre fui fã dela. Quando morreu eu era pequena, tinha 10 anos,mas não me esqueço dela.


Carolina Dieckmann,com 31 anos, tinha apenas 14 quando começou na TV, na minissérie Sex Appeal. Em 2000, conquistou o público como Camila, a jovem que tinha câncer na novela Laços de Família, de Manoel Carlos. Entrou para a história da TV a cena em que, chorando, ela raspou os cabelos longos e loiros. Sua interpretação em televisão mais recente ocorreu em 2011, na telenovela Fina Estampa.

Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

Dramaticamente, foi a Camila. Era visceral, aquela coisa de raspar o cabelo foi muito forte. Mas a que mais me divertiu foi a Leona, de Cobras & Lagartos, que era muito diferente de mim, tinha uma maquiagem, um figurino, era uma caricatura.

Que personagem sonha interpretar?

Gêmeas. Mais do que ser boa ou má, é ter que marcar uma diferença todo dia.

Que personagem gostaria de ter feito?

A Ruth e a Raquel, de Mulheres de Areia, e a Maria de Fátima, de Vale Tudo. A Flora, feita pela Patrícia Pillar em A Favorita, também.

Que atriz você admira?

A Glória Pires. Não só a admiro como encontro nela uma justificativa para ser do jeito que sou, tão amante da televisão. Como vão falar que uma pessoa não é boa atriz só porque não faz teatro? Então olha para a Glória Pires!

Com quem gostaria de contracenar?

Wagner Moura. Acho ele tudo. O Olavo, de Paraíso Tropical, e o Capitão Nascimento, de Tropa de Elite, foram geniais.


Giovanna Antonelli, 36 anos, começou sua carreira artística no programa infantil da Angélica, ainda na Rede Manchete, como uma das angeliquetes, assistentes de palco da atração. Mas como atriz, estreou em novelas aos 18, como coadjuvante em Tropicaliente, da Globo, em 1994. No ano seguinte, já era a protagonista de Tocaia Grande, na extinta TV Manchete, na qual também teve papel de destaque em Xica da Silva. Em 1998, voltou à Globo e foi conquistando seu espaço: fez a garota de programa Capitu, de Laços de Família, e a protagonista Jade, de O Clone. Seu último papel na tv foi na novela "Aquele beijo" em 2011.

Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

Cada personagem é um novo desafio, uma nova paixão e dedicação. É uma delícia navegar em universos jamais explorados antes. Gosto das oportunidades, ou da sorte, que sempre tenho, de fazer personagens bem distintos.

Que personagem sonha interpretar?

Daqui a uns 30 anos conto o que falta fazer. Agora, quero tudo ao mesmo tempo, agora!

Que personagem você gostaria de ter feito?

Adoraria ter feito a personagem do Rodrigo Santoro em Bicho de Sete Cabeças, numa versão feminina! Um maravilhoso trabalho de ator.

Que atriz você admira?

Acho que nem existe uma pessoa só. Faria um mix de atrizes que admiro e citaria uma qualidade de cada, mas são tantas...

Com quem gostaria de um dia contracenar?

Com todos que ainda não tive a oportunidade de encontrar, trabalhar. Não só atores, mas diretores e autores.


A primeira personagem de Juliana Paes na TV foi a empregada Ritinha, de Laços de Família, há nove anos. O papel começou pequeno, mas ganhou destaque. Não demorou muito para a atriz, de 33 anos, tornar-se a queridinha de vários autores e começar a emendar trabalhos em novelas como Celebridade, América e Pé na Jaca. A primeira protagonista veio em 2009, com sua elogiada atuação como a sofredora e apaixonada Maya, de Caminho das Índias. Foi considerada pela Revista Época uma dos 100 brasileiras mais influentes do ano de 2009. Este ano Juliana ganha mais uma protagonista de grande sucesso no passado, a Gabriela da novela de mesmo nome e que promete também se tornar um marco em sua carreira.

Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

A Maya, de Caminho das Índias.

Que personagem você sonha interpretar?

Uma vilã seria bem-vinda, pois tenho este jeito doce e risonho, e interpretar uma personagem com características contrárias seria um bom desafio.

Que personagem você gostaria de ter feito?

Adoraria ter feito a Viúva Porcina, vivida magistralmente pela Regina Duarte em Roque Santeiro.

Que atriz você admira e serve de fonte de inspiração para seu trabalho?

Fernanda Montenegro, Bibi Ferreira e Meryl Streep.

Com que ator ou atriz gostaria de um dia contracenar (ou de ter contracenado)?

Com o Ney Latorraca ou o Al Pacino. Sonho é sonho (risos)!


Camila Pitanga, 35 anos, causou furor, ditou moda e teve sua consagração como atriz de TV na pele da garota de programa Bebel, de Paraíso Tropical, novela de Gilberto Braga exibida em 2007. Mas sua carreira começou bem antes, em Fera Ferida, de Aguinaldo Silva, em 1994. Filha dos atores Vera Manhães e Antonio Pitanga, Camila também tem em seu currículo mais de dez filmes. Seu último trabalho foi em novelas foi em "Insensato Coração" de 2011.

Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

A Bebel foi fundamental para minha carreira, a que mais me aproximou do público. Foi um processo prazeroso do início ao fim.

Que personagem você sonha interpretar?

Uma vilã, daquelas bem frias e calculistas, para eu exercitar meu lado mais sombrio (risos).

Que personagem gostaria de ter feito?

A Maria de Fátima, de Vale Tudo, porque iria adorar voltar a trabalhar com o Gilberto Braga fazendo uma vilã.

Que atriz serve de fonte de inspiração para seu trabalho?

Camila Amado, Fernanda Montenegro, Andrea Beltrão, Patrícia Pillar, Fernanda Torres. São atrizes completas e têm qualidades que eu admiro como mulher.

Com quem gostaria de contracenar?

Muita gente. Adoraria trabalhar com Marco Nanini, Matheus Nachtergaele, Lázaro Ramos, José Dumont. O que eles fazem eu fico de olho.


Aos 31 anos, Mariana Ximenes já tem currículo de veterana. Fez sua primeira novela, "74.5Uma Onda no Ar", na extinta TV Manchete, aos 13 anos, e nunca mais parou. Na Globo, estreou como a Bionda, de Uga Uga, em 2000. As primeiras protagonistas vieram logo, em novelas como Chocolate com Pimenta e Cobras & Lagartos. Foi muito elogiada por sua atuação como a Lara Fontini, de A Favorita, e a Clara Medeiros, vilã da novela Passione.

Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

Cada personagem é uma viagem, cada uma exige um exercício diferente. E esse é o barato!

Que personagem você sonha interpretar?

Uma personagem como a que eu interpretei na minha última novela.

Que personagem gostaria de ter feito?

Todas as vilãs do Gilberto Braga.

Que atriz você admira?

Há tantas atrizes maravilhosas, com trajetórias marcantes, cada qual num universo! É difícil nomear uma só. Então, cito Glória Menezes, Laura Cardoso, Fernanda Montenegro, Marieta Severo, Marília Pêra e Juliana Carneiro da Cunha.

Com quem gostaria de ter contracenado?

Dina Sfat. Tinha inteligência e presença cênica, sabedoria nas suas escolhas profissionais e um comportamento engajado na vida. Foi mãe, mulher, atriz, cidadã.


Flávia Alessandra, 38 anos, estreou na televisão com a novela Top Model (1989), pelo concurso do Domingão do Faustão ficando em primeiro lugar, desbancando Adriana Esteves e Gabriela Duarte. No final, as três participaram da novela. Tinha 15 anos na época. Depois de vários anos sem conseguir trabalho na tv, Flávia foi chamada para participar de a A Indomada, como Dorothy. Daí para a frente sua carreira decolou. No ano seguinte, fez a sua primeira vilã na televisão, em Meu Bem Querer, como Lívia, a primeira de uma série de três.

Sua último trabalho foi uma novela das sete Morde e Assopra, como duas personagens: a Naomi robô e a Naomi humana.


Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

A Dorothy, de A Indomada, as Lívias, de Porto dos Milagres e O Beijo do Vampiro, a Vanessa, de Pé na Jaca. Tem também a Alzira, de Duas Caras, que mostrou um outro lado meu, mais sensual. Tem a Cristina, de Alma Gêmea, que foi a primeira vilãzona, e agora a Dafne.

Que personagem sonha interpretar?

Já fiz a exuberante, a engraçada, a malvada, mas é claro que tenho vontade de fazer uma vilãzona no horário das 8.

Que personagem gostaria de ter feito?

A beata feita pela Joana Fomm em Tieta; a Heleninha, da Renata Sorrah, em Vale Tudo; a Ruth e a Raquel, de Mulheres de Areia; a Maria de Fátima, de Vale Tudo; todas vividas pela Glória Pires; as Helenas, do Maneco...

Que atriz você admira?

Tive a honra de contracenar com a Renata Sorrah, em Duas Caras. Não soube aproveitar tudo que podia quando trabalhei com a Marília Pêra e fiz muitas cenas com a Deborah Evelyn, que eu amo.

Com quem gostaria de contracenar ou ter contracenado?

Com o Paulo Autran. Gostaria de ter, olhos nos olhos, a Fernanda Montenegro, e a Fernanda Torres também. A Marieta Severo, a Andrea Beltrão, o Tony Ramos...


Em 2004, Paola Oliveira, 30 anos, fez seu primeiro personagem, em Metamorphoses, da Record. A novela não foi bem, mas serviu de vitrine para a Globo convida-la, um ano depois, para viver Giovanna, em Belíssima. Por causa dessa atuação, Paola ganhou, em 2006, sua primeira protagonista, Sônia, em O Profeta. Como a Verônica, de Cama de Gato Paola interpretou a primeira vilã de sua carreira. Seu último trabalho foi na novela "Insensato Coração" como Marina Drumond.

Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

A Giovanna, de Belíssima, por ter sido a primeira e pelo carinho que todos tiveram comigo.

Que personagem você sonha interpretar?

Meu sonho era fazer uma vilã, e consegui.

Que personagem gostaria de ter feito?

A Tancinha, que a Cláudia Raia fez em Sassaricando. Nunca fiz um papel engraçado e acho que seria interessante fazer uma personagem cômica. Outra que eu adoraria fazer é a Viúva Porcina.

Que atriz você admira?

Adoro a Irene Ravache, que é uma mulher focada, posicionada, faz de tudo, da comédia ao drama. Também gosto muito da Fernanda Torres.

Com quem gostaria de ter contracenado?

Adoraria ter trabalhado com a Giulietta Masina (atriz italiana) e de quebra ganhar o Fellini (o diretor Federico Fellini, marido da atriz). E gostaria de ter cruzado com o Paulo Autran.


Alinne Moraes, 29 anos, começou na TV como uma universitária, na novela Coração de Estudante, em 2002. No ano seguinte, despontou como Clara, uma adolescente lésbica em Mulheres Apaixonadas. Em Duas Caras, de Aguinaldo Silva, teve seu grande momento como a vilã Sílvia. Como a modelo Luciana, em Viver a Vida, também teve mais um papel marcante, principalmente a partir do momento em que a personagem ficou tetraplégica. Sua última personagem foi a Lili em "O Astro" de 2011.

Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

Não tenho um favorito. Eu diria que alguns tiveram maior projeção, foram mais polêmicos, como a Clara, de Mulheres Apaixonadas, e a Sílvia, de Duas Caras.

Que personagem você sonha interpretar?

Eu me realizei e aprendi muito com minha primeira vilã. Por isso, aproveito para manifestar aqui meu eterno agradecimento ao Aguinaldo Silva.

Que personagem gostaria de ter feito?

Adoro a (rainha) Elizabeth, feita pela Cate Blanchett, uma mulher incrivelmente forte aos olhos de quem a via, mas cheia de conflitos e incertezas.

Que atriz você admira?

Existe fonte de inspiração maior do que fazer a filha da Lília Cabral? Também tive grandes inspirações ao contracenar com Susana Vieira, Marília Pêra e Laura Cardoso.

Com quem gostaria de ter contracenado?

Com Dina Sfat.


Aos 32 anos, Deborah Secco já contabiliza 22 de carreira. Começou quando tinha apenas 10 anos, na novela Mico Preto, da Globo, em 1990. De lá para cá, já fez várias mocinhas sofredoras, como a Sol, de América, e também espevitadas, como a inesquecível manicure Darlene, de Celebridade. No cinema, Deborah deu vida à garota de programa Bruna Surfistinha. Seu mais recente trabalho é na série "Louco por Elas". Em 2012 Deborah foi eleita como uma das 100 personalidades mais influentes do ano pela revista IstoÉ. No mesmo ano, foi incentivada por Steven Spielberg para trabalhar em Hollywood, onde representou o Brasil no 40º AFI Life Achievement Awards, prêmio que homenageou a atriz Shirley MacLaine. No evento conheceu também a atriz Meryl Streep.

Que personagem você mais gostou de fazer na TV?

Todos os que fiz tiveram sua importância para eu estar aqui hoje: mocinhas, vilãs, cômicas, dramáticas... Acho que o grande barato é que já fiz um pouco de tudo.

Que personagem você sonha interpretar?

Personagens fortes e diferentes de mim. Que me obriguem a me investigar e ousar.

Que personagem gostaria de ter feito?

A Maria de Fátima, feita pela Glória Pires em Vale Tudo. Acho que é a vilã mais completa e mais bem escrita dos últimos tempos.

Que atriz você admira?

O Brasil é farto de grandes atrizes. Nós vamos de Fernanda Montenegro a Marília Pêra, passamos por Cláudia Abreu, Glória Pires, Fernanda Torres, Patrícia Pillar, Eliane Giardini, Renata Sorrah, Lília Cabral e chegamos a Laura Cardoso.

Com quem gostaria de ter contracenado?

Lauro Corona e Dina Sfat.

Fonte: revistaquem.globo.com

Nenhum comentário:

id='comment-post-message'>

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...