O que são Ômega 3, 6 e 9?

 

Todo mundo está falando sobre os benefícios do Ômega 3 e Ômega 6 na saúde – desde ajudar a manter seu coração em máxima condição, até cuidar de sua pele – mas o que são eles, o que eles fazem e aonde você pode encontrá-los?

Ômega 3 e Ômega 6 são dois tipos de poliinsaturados (gorduras boas).

O Ômega 3 aparece em duas formas diferentes – uma é um ácido graxo essencial encontrado em óleos de sementes como óleo de colza e óleo de linhaça. A outra é encontrada em peixes oleosos como cavala e arenque. Os dois tipos de Ômega 3 funcionam de diferentes maneiras para manter seu coração saudável, então é uma boa idéia comer peixes oleosos uma ou duas vezes por semana como parte de uma dieta balanceada e saudável. Os alimentos da Becel conseguem prover ácidos graxos de Ômega 3 de fontes vegetais em uma base diária.

O Ômega 6 é um outro ácido graxo essencial e pode ser encontrado em óleos de sementes como óleo de girassol e produtos feitos com esses óleos, tais como os da Becel.
Tem-se comprovado que gorduras de Ômega 3 ajudam a manter seu coração saudável, enquanto gorduras de Ômega 6 representam um importante papel no controle dos seus níveis de colesterol no sangue.

 

Gordura boa X Gordura ruim

Você poderia ficar surpreso ao saber quem nem toda gordura é ruim para a saúde. Muitas gorduras possuem benefícios nutricionais reais, bem como conferem um gosto e sabor vitais à comida.
As gorduras são uma grande fonte de energia e provêem blocos de construção essenciais para as células em seu corpo – na verdade, certos tipos de gordura podem ajudar a manter seu coração saudável. Então, o que é importante não é apenas a quantidade de gordura, mas o tipo de gordura que você ingere.

Quais são os diferentes tipos de gordura?

Existem dois diferentes tipos de gorduras – gorduras boas e gorduras ruins. Gorduras saturadas e gorduras trans são chamadas “gorduras ruins”, já que podem aumentar os níveis de colesterol. Gorduras insaturadas (boas) são melhores para ajudar a manter seu coração saudável. Gorduras boas aparecem em variedades monoinsaturadas e poliinsaturadas.


Os benefícios

Gorduras poliinsaturadas são encontradas em peixes oleosos e certos óleos de plantas, tais como óleo e alimentos à base de girassol, como os da Becel. Gorduras monoinsaturadas são encontradas no óleo de oliva, óleo de colza, algumas castanhas e abacates. Têm-se provado que gorduras poliinsaturadas (e, em menor grau, gorduras monoinsaturadas) diminuem os níveis de colesterol, ajudando a manter seu coração saudável.


Os prejuízos

Gorduras saturadas e trans são ruins para sua saúde cardíaca. Gorduras saturadas representam más notícias para seu colesterol e saúde cardíaca, e podem ser encontradas em produtos de origem animal, tais como queijo, nata, salsichas, outras carnes gordurosas e manteiga. Você também encontrará gorduras saturadas em bolos, biscoitos e doces pré-embalados, bem como em uma porção de comidas prontas e salgadinhos.
Trocar alimentos ricos em gorduras saturadas, como manteiga, por alimentos contendo gorduras poliinsaturadas, tais como os alimentos da Becel, ou gorduras monoinsaturadas, pode ajudar a manter seu coração saudável, como parte de uma dieta saudável e um estilo de vida ativo.
Salgadinhos, comidas prontas e produtos panificados, todos contêm gordura trans. Gordura trans é uma preocupação para a saúde, pois não só aumenta os níveis de colesterol no sangue, como também não provê quaisquer benefícios nutricionais reais.
Então, da próxima vez que você for atrás de um salgadinho, tente uma dessas opções com baixo teor de gordura ou sem gordura trans (tais como vegetais crus, sementes ou iogurte desnatado). Não se esqueça de sempre checar o rótulo para assegurar-se de que o produto pré-embalado é baixo tanto em gorduras trans como saturadas.

 

Alimentação Balanceada

Todos nós sabemos a importância de uma alimentação saudável, mas nem todos sabemos o quanto isso pode fazer diferença para a saúde dos nossos corações.
O corpo humano precisa de uma variedade de nutrientes para funcionar adequadamente. Nenhum tipo de alimento pode nos oferecer todos os nutrientes dos quais precisamos e falta de um ou mais nutrientes pode resultar em sintomas físicos, como queda de cabelos, unhas quebradiças, descamação da pele, ossos fracos e desnutrição. Daí a importância de consumir diferentes alimentos em quantidades adequadas.

É importante ter uma alimentação diversificada todos os dias, incluindo alimentos de vários grupos como do arroz, do feijão, das carnes, frutas, legumes, verduras, leite e derivados.

O segredo é comer de tudo um pouco, mas sem exageros..O consumo excessivo de calorias pode ser evitado se você diminuir o tamanho das porções. Prefira quantidades menores e uma variedade maior. Comer corretamente, além de fornecer ao organismo os nutrientes que ele necessita, ajuda na manutenção do peso.

Procure então incorporar no dia-a-dia hábitos adequados e saudáveis, como:

• Distribuir as calorias do dia nas refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e lanches intermediários (lanche da manhã, lanche da tarde e ceia).
• Comer sentado à mesa, de preferência reunindo a família, prestando atenção na comida e evitando discussões no momento da alimentação.
• Evitar falar ao celular, assistir TV ou dirigir durante a refeição.
• Sentir-se livre, sem culpa e consciente na escolha dos alimentos.
• Mastigar bem os alimentos e evitar excessos.
Alimentação equilibrada e bons hábitos alimentares são importantes para a saúde do seu coração! Aproveite mais essas dicas:
• Consuma uma variedade de alimentos de diferentes grupos, incluindo no mínimo 3 porções de frutas e 3 porções de legumes e verduras todos os dias
• Opte por cereais integrais sempre que possível
• Quando for consumir carne, prefira as mais magras
• Tente consumir 2 porções de peixe por semana
• Prefira versões desnatadas de leite e iogurtes, assim como queijos mais magros, como queijo branco light e cottage
• Reduza o consumo de açúcar e sal
• Reduza o consumo de gorduras saturadas e trans, consideradas ruins porque aumentam os níveis do LDL-colesterol. Substitua essas gorduras por mono ou poliinsaturadas, consideradas boas.
• Tente reduzir o sal dos alimentos.

 

Alimentos funcionais

Alimentos e ingredientes funcionais, além de satisfazer as necessidades nutricionais básicas, trazem outros benefícios para a saúde. O aumento no consumo desses alimentos acompanha a preocupação crescente com saúde e bem-estar e a crescente comprovação científica das relações existentes entre alimentação e saúde. Conheça alguns deles:

Fitoesteróis

Também chamados de esteróis vegetais, os fitoesteróis são componentes naturais dos óleos vegetais (como o óleo de girassol e de soja) e estão presentes, em pequenas quantidades em frutas, verduras e legumes. Eles atuam na diminuição da absorção de colesterol no intestino. Adicionados a alimentos industrializados, como a creme vegetal, iogurte e outros, são uma ótima opção para ajudar a reduzir o nível de LDL-colesterol (colesterol “ruim”) no sangue.


Ômega 3 e 6

Os ácidos graxos Ômega-3 e Ômega-6 têm papel importante no organismo. São necessários para o crescimento, desenvolvimento e manutenção da saúde, além de serem importantes para a saúde do coração. Os ômegas 3 e 6 de origem vegetal não são produzidos pelo organismo, portanto devem ser ingeridos através da alimentação.

 
Soja

A soja vem sendo estudada como um aliado no controle do diabetes, manutenção do peso e saúde do coração. Estudos indicam que o consumo de 25g de proteína de soja por dia ajuda a reduzir o colesterol no sangue.


Tomate

Contém minerais importantes como o magnésio, ferro, fósforo e manganês e é rico em Vitaminas A, C e Complexo B. O licopeno é a substância responsável pela sua cor vermelha do fruto e tem sido muito estudado por sua possível ação na diminuição do risco do câncer de próstata.

 

 

Ômega 9

são ácidos graxos, ajudam no desenvolvimento humano, assim como os ácidos graxos Ômega 3 e Ômega 6. O nome ômega 9 significa que eles têm uma ligação dupla C=C no nono carbono a partir da extremidade oposta à carboxila.

Podemos encontrá-lo nos óleos vegetais.

Os ácidos ômega 9 mais importantes são:

  • ácido oléico - com 18 carbonos

  • ácido erúcico - com 22 carbonos

  • ácido nervônico - com 24 carbonos

Os ácidos graxos monoinsaturados estão relacionados a níveis de triglicerídeos mais saudáveis, além disso também ajudam na diminuição dos níveis de colesterol total sanguíneo, LDL (colesterol ruim) e ainda aumentam o HDL (colesterol bom).

Esse tipo de gordura está presente no azeite de oliva, azeitona, oleaginosas (castanhas, amêndoas e nozes), óleo de canola e abacate, isso mesmo, a fruta que a anos foi deixada de lado por ser muito “gordurosa”, volta com status de superfruta no combate ao colesterol. Esse efeito se deve ao seu bom conteúdo de fitoesteróis, substâncias que auxiliam na eliminação do colesterol e na também na diminuição da circunferência abdominal. Só não vale comer o abacate inteiro ou enchê-lo de açúcar. Coma de 2 a 3 colheres de sopas diárias com gotinhas de limão ou faça um creme batendo com 100ml de suco de abacaxi natural.

Outro alimento muito estudado, rico em ômega 9 e que faz parte da famosa dieta mediterrânea é o azeite de oliva extra-virgem. O consumo regular ajuda no combate ao colesterol total e ruim (LDL) e como o abacate também aumenta o bom (HDL). Além disso, é altamente anti-inflamatório por fornecer uma boa carga de antioxidantes ao corpo, o que pode reduzir a oxidação através da inibição da *peroxidação dos lipídeos, fator que está envolvido nas doenças coronarianas, no câncer e no envelhecimento.

A partir da descoberta desses benefícios, as pesquisas se multiplicaram. Em 2005, cientistas do Monell Chemical Senses Center e colaboradores das universidades da Pensilvânia e de Ciências da Filadélfia, descobriram a presença de um agente natural anti-inflamatório, chamado de oleocanthal.. Ele atua inibindo a atividade da ciclo-oxigenase (COX), poderosa enzima envolvida no processo inflamatório, e que pode ajudar na prevenção de doenças do coração, por exemplo.

Azeite impede acúmulo de gordura na região abdominal, indica estudo

Outro estudo, esse coordenado por cientistas europeus apontou outro benefício. Mostrou que o azeite impede o acúmulo de gordura na região abdominal, ou seja, combate a indesejável “barriga” que tanto homens quanto mulheres querem que suma! E comprovando esse efeito, uma pesquisa publicada na revista Diabetes Care, da Associação Americana de Diabetes, comprovou que a ingestão diária de 2 colheres de sopa de azeite evita a formação de gorduras na região visceral.

Por que consumo de azeite reduz acúmulo de gordura na região abdominal?

O azeite já foi alvo de várias pesquisas mostrando sua relação com a redução do acúmulo de gordura abdominal e a conclusão que se chega é: os componentes do azeite ajudam a reorganizar os depósitos de gorduras no organismo, impedindo que elas inchem as células adiposas da região abdominal e se concentrem. Além disso, a queima de gordura é uma reação química que depende de uma série de nutrientes. E o simples fato de fechar a boca, que é a primeira opção da maioria das pessoas, pode agravar essa deficiência de nutrientes importantíssimos para a oxidação (ou queima) de gordura, como por exemplo as de gorduras boas como o azeite e as castanhas, pois o organismo utiliza a gordura para formar hormônios, neurotransmissores e para reduzir processos inflamatórios que estão diretamente relacionados com o excesso de peso.

Leque de benefícios

Para ampliar o leque de benefícios, nesse grupo de alimentos de gorduras benéficas temos também as amêndoas, castanhas, nozes etc... que começam a se tornar figurinhas fáceis para aquele lanchinho de final da tarde. E não tem hora melhor, a quantidade de gordura de boa qualidade e de fibras tem a combinação perfeita para acabar com a fome desesperada que surge à tarde. E além de serem deliciosas, também ajudam a emagrecer! Isso é devido à grande presença justamente de gorduras que são responsáveis por manter os níveis de glicose (açúcar no sangue) estáveis e ainda ativar o metabolismo de queima de gorduras.

Por tudo isso, vários estudos estão sendo conduzidos e têm como foco esse grupo das oleaginosas. Um deles publicado na revista norte-americana International Journal of Obesity, comparou os efeitos de uma dieta para emagrecer enriquecida com amêndoa a uma mais tradicional suplementada com carboidratos complexos. O grupo que comeu amêndoa obteve mais sucesso na redução de peso e do total de gordura corporal. Além disso, mostrou mais facilidade em manter a perda de peso, grande problema enfrentado por muitas pessoas. Por isso, faça um mix com alguns tipos de amêndoas e deixe na bolsa para qualquer emergência e a dica final é: nada de comer castanha cheinha de sal, fique de olho!

Depois de todos esses benefícios mostrados, só posso dizer uma coisa: inclua esses alimentos no seu dia a dia. Tenha o abacate como mais uma opção de fruta na sua casa, faça os lanchinhos intermediários com as amêndoas, castanhas, nozes e utilize o azeite na salada no almoço e jantar. Todos esses alimentos além de tudo, produzem a saciedade na medida certa, isto é, a fome fica mais longe! Aproveite!!!

*Peroxidação dos lipídeos: O organismo possui uma série de “protetores” contra a ação dos radicais livres como vitaminas e minerais. Mas nos dias de hoje com a alimentação cada vez mais desregrada, essa defesa fica cada vez mais comprometida, o que dá espaço para a ação dos temidos radicais livres nas membranas das células de lipídios do organismo, isso se chama peroxidação lipídica.. Essas reações podem resultar em mutações de DNA, aumento de colesterol ruim (LDL), ruptura das membranas celulares, etc...

Fonte: www.becel.com.br / www2.uol.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...