Espécies de flores para plantar no jardim

Cultivar um jardim em casa é ótimo para sempre estar em contato com a natureza. As flores enfeitam e trazem harmonia para o lar. Temos aqui várias espécies de flores quem podem ser plantadas no jardim da sua casa. Conheça um pouco sobre cada uma das espécies.

Dica de cultivo: Retire regularmente as flores murchas para estimular o surgimento de novas. A tarefa também ajuda a prevenir doenças, evitando que as plantas sejam infestadas por pragas.

 

Jasmim-manga

O jasmim-manga é uma árvore encantadora, seu aspecto exótico e suas flores perfumadas envolvem a todos. Seus caule e ramos são bastante robustos e apresentam uma seiva leitosa e tóxica se ingerida. As folhas são grandes, largas e brilhantes e caem no outono-inverno.

A floração inicia-se no fim do inverno e permanece pela primavera, com a sucessiva formação de flores de diversas cores e nuances entre o branco, o amarelo, o rosa, o salmão e o vinho. Está disponível no mercado uma forma variegada da planta.

Devem ser cultivadas à pleno sol, em solo fértil, leve e bem drenado. Não é tolerante ao frio e às geadas. Pode ser cultivada isolada ou em grupos, em amplos espaços, preferencialmente longe de dormitórios devido ao forte perfume. Multiplica-se por estaquia.

 

Moréia

Planta muito rústica e ornamental, a moréia tornou-se muito popular nos últimos anos em função da sua facilidade de cultivo e baixa manutenção. Vistosa, sua folhagem é bastante resistente. As folhas são eretas, planas e rígidas. As flores se formam o ano todo, mas com maior intensidade nos meses mais quentes. Sua utilização paisagística é ampla, combinando com diversos estilos de jardins. Pode ser cultivada isolada, em grupos, maciços ou como bordadura.

Devem ser cultivadas em solo composto de terra de jardim e terra vegetal, com regas regulares. Tolerante ao frio. Multiplica-se por divisão da touceira, tendo o cuidado de reservar uma parte do rizoma para cada muda.

 

Sapatinho-de-judia

O sapatinho-de-judia é uma trepadeira com inflorescências longas e pendentes, compostas de flores de coloração amarela com marrom avermelhado. Sua folhagem é bastante ornamental também, destacando as flores, pelo verde escuro das folhas.

Ela é muito apropriada para cobrir pérgolas, pórticos e caramanchões, de forma que as inflorescências pendentes ficam muito evidenciadas. Ocorre ainda uma variedade de flores totalmente amarelas. Atrai beija-flores.

Deve ser cultivada a pleno sol ou meia sombra em solo fértil e enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares. Tipicamente tropical, não tolera o frio. Multiplica-se por estaquia.

 

Manacá-de-cheiro

O manacá-de-cheiro, como o próprio nome diz, é extremamente perfumado, além disso suas flores mudam de cor assim como o manacá-da-serra. Inicialmente elas são azul-arroxeadas e com o passar do tempo, vão clareando até tornarem-se brancas. Com isto, durante a floração, o manacá-de-cheiro apresenta um colorido muito especial. O manacá-de-cheiro é muito parecido com o jasmim-do-paraguai. A floração ocorre na primavera e verão.

É considerado um arbusto, mas com facilidade torna-se uma arvoreta, se eliminarmos as brotações que surgem das raízes, podendo atingir 3 metros de altura. Suas folhas são ovais e lisas. Sua utilização no paisagismo é muito ampla, podendo ser cultivada isolada ou em grupos, tendo-se o cuidado de não plantá-la próxima à dormitórios de crianças e pessoas mais sensíveis, devido ao forte perfume.

Devem ser cultivadas a pleno sol, em solo fértil enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares. Tolera sombra parcial, aceita bem podas de formação e aprecia o frio. Multiplica-se por estaquia e por sementes.

 

Arruda

A arruda é uma planta da família das Rutáceas. Também é denominada como arruda-fedida, arruda-doméstica, arruda-dos-jardins ou ruta-de-cheiro-forte.

Subarbusto muito cultivado nos jardins em todo o mundo, devido às suas folhas, fortemente aromáticas. Atinge até um metro de altura, apresentando haste lenhosa, ramificada desde a base.

As folhas são alternas, pecioladas, carnudas, glaucas, compostas, de até 15 cm de comprimento. As flores são pequenas e amareladas. O fruto é capsular, de quatro ou cinco lobos, salientes e rugosos, abrindo-se superior e inteiramente em quatro ou cinco valvas.

A medicina popular indica-a nos casos de supressão da menstruação, por seu efeito fortemente emenagogo. Também possui efeitos abortivos. Suas folhas são utilizadas como chá com fins calmantes. Na forma de infusão (20 gramas para um litro de água), ou empregando-se as folhas secas em pó, combate os piolhos.

É ótima para tratar conjuntivite. Macerar as folhas, acrescentar água fervida ou mineral e passar nos olhos, embebida num chumaço de algodão, várias vezes ao dia.

Arruda é bom para refrescar as vistas que estão irritadas. Basta socar um galhinho de arruda no fundo do copo e encher o copo de água gelada e ir pingando nos olhos aos poucos com ajuda de um algodão.

 

Angélica

Angélica é uma planta com propriedades medicinais pertencente à família das Apiaceae. Mede de 1 a 2 m de altura e seu caule é grosso e canelado. Nas extremidades se encontram as flores dispostas numa inflorescência em forma de umbela.

Muito parecida com a cicuta que pertence à mesma família, porém com uma diferença significativa - a angélica exala um aroma agradável entre picante e adocicado, enquanto a cicuta tem odor desagradável.

Originária do norte da Europa e Ásia, preferindo lugares frios e úmidos, perto de rios e pântanos. Hoje seu cultivo é muito expandido.

 

Tagetes

Planta herbácea de folhas verde escuras de forte odor e flores em capítulos coloridos, a maioria bicolores de amarelo-vivo e vermelho escuro.

Tem ciclo de aproximadamente 5 meses e pode ser cultivada principalmente em bordas de canteiros. Usada como bordadura de canteiros, deve-se cuidar para que a cor de suas flores, muito brilhante, não vá causar uma dose excessiva de coloração com o restante das plantas do canteiro.

Usada com plantas de flores brancas ou arbustos somente verdes, forma excelente opção para jardins pequenos. Se colocar em vaso como preenchimento, deixar no vasinho ou saco em que vieram, ao terminar seu ciclo poderá sustituir por outra facilmente.

Deve ser cultivada em local ensolarado, solo rico em matéria orgânica, pode ser adicionado húmus de minhoca para um boa floração. Tem a tendência à semeadura espontânea.

As formigas não a toleram, então seu plantio junto a roseiras serve também como repelente. Estudos comprovaram que é uma planta que elimina nematóides do solo.

Seu plantio também em hortas caseiras ajuda a controlar os insetos daninhos, além de enfeitar com seu colorido. Propagação por sementes em qualquer época do ano.

 

Primavera

De origem brasileira, a primavera é uma espécie rústica, que exige poucos cuidados. Seu nome foi dado em homenagem ao francês Louis Antoine Bougainville, que a descobriu em nosso país, por volta de 1790, e a levou para a Europa, onde ela se tornou famosa e se difundiu para o resto do mundo.

As belas e coloridas "flores" da primavera não são exatamente as flores da planta: são brácteas (folhas modificadas) que envolvem as verdadeiras, e relativamente insignificantes, flores amareladas. O conjunto resulta numa aparência exótica, encontrada nas cores branca, rosa, vermelho intenso ou laranja.

Por ser uma espécie muito hibridada, já se obteve brácteas com dezenas de formas e cores, inclusive bicolores - e também a forma variegada. Quando adulto esse arbusto escandente e espinhento pode atingir de 5 a 10 metros de comprimento.

A primavera é uma planta muito rústica, que necessita de poucos cuidados e se adapta a diversos tipos de clima; sendo, inclusive, bastante resistente a mudanças bruscas de temperatura. É certo, porém, que os coloridos mais vibrantes e intensos desta planta são encontrados em locais de clima quente e úmido.

 

Flor-da-fortuna

A flor-da-fortuna pertence à família das crassuláceas, originária da África. Possui folhas suculentas sendo resistente ao calor e a pouca água.

Os tons desta linda flor, variam entre vermelho, alaranjado, amarelo, rosa, lilás e branco. Geralmente alcança uma altura máxima de 30 cm e se adapta a um solo solto bem drenado e fértil.

Os locais indicados para o cultivo são lugares bem iluminados (varandas e jardins), pois a planta é bastante resistente. As folhas e as flores não devem ser molhadas, porque podem apodrecer.

Muita água é ruim; regar com pouca água, o suficiente para que um pouco escorra no pratinho - duas vezes por semana no verão e uma vez no inverno será perfeito. Retire as hastes à medida que as flores vão murchando.

 

Crisântemo

É uma planta de tradição de cultivo milenar nos países asiáticos. Em grego, crisântemo significa "flor de ouro". Esta planta é cultivada há mais de 2.500 anos na China e é considerado uma das plantas nobres chinesas. Era o distintivo oficial do exército e uma exclusividade da nobreza.

Existem mais de 100 espécies e mais de 800 variedades comercializadas no mundo. Seu porte é herbáceo e geralmente de 1 metro. Sua propagação se dá por estacas em estufas e sementes, e dá flores o ano inteiro.

Precisa de muita luz, porém, não suporta sol direto. Prefere clima quente e úmido.

 

Clerodendro

Arbusto de grande formato, pode atingir até 2,50 metros de altura e possui forma irregular. Os ramos são longos e flexíveis, de folhas grandes, ovais acuminadas, serrilhadas na borda e com o pecíolo levemente avermelhado.

As flores são pequenas, de dois tons de azul com longos estames brancos, formando inflorescência tipo racemo na ponta dos ramos. Floresce durante o ano todo, principalmente no verão.

Pode ser cultivada em todo o país, das regiões tropicais a subtropicais, não tolerando frio nem geadas. Aprecia sol, solos profundos, bem drenados e férteis em matéria orgânica.

 

Boa-noite

Flor muito comum no nordeste brasileiro. Muito rústica e pouco exigente, com delicadas flores simples, róseas, com o centro de tonalidade mais forte. Muitas vezes surge até como planta espontânea nos jardins.

Existem ainda variedades com flores de pétalas mais largas ou mais estreitas, assim como nas cores vermelha, roxa ou branca, com o centro branco ou róseo, embora não apresentem a mesma rusticidade da planta original.

A folhagem é ramificada na base e suas folhas são ovaladas, com nervura central mais clara. As vincas podem enfeitar nossos jardins, em maciços, bordaduras, vasos ou jardineiras. A floração se estende por todo o ano.

Deve ser cultivada a pleno sol, em solo fértil e com regas regulares. O beliscamento (retirada dos ponteiros) na fase inicial estimula a ramificação nesta espécie. Deve ser trocada a cada dois anos, pois perde a beleza inicial. Multiplica-se por sementes ou mudas que se formam nas proximidades da planta mãe.

 

Begônia

São, de maneira geral, plantas ornamentais de folhagem característica, e ocasionalmente flores atraentes. Estimativas apontam para cerca de 1000 espécies de begónias. Quase todas as espécies se propagam por meio de rizomas.

A maioria das begónias possuem caules aéreos herbáceos, e são cultivadas como ervas. Porém, outras espécies desenvolvem caules erectos e consistentes, alcançando até 1,5 metros de altura.

As folhas das begónias são, sem dúvida, o seu maior atractivo. De forma reniforme, incomum, e usualmente extremamente coloridas, são muito visadas para canteiros sombreados (onde normalmente as espécies mais apropriadas têm folhagem verde-escura).

As flores das begónias são diminutas, ornamentadas por brácteas brancas ou coloridas, que se tornam seu principal atractivo. A maioria das espécies possuem brácteas pequenas, ou de colorido pálido que, em contraste com a folhagem, perdem seu valor. As espécies cultivadas por suas flores usualmente apreciam a luz do sol.

Os métodos de cultivo variam de espécie para espécie. Uma identificação precisa auxilia neste conhecimento, pois ajuda a determinar se a planta pertence a uma espécie terrestre, epífita ou rupícola. De maneira geral, são cultivadas em solos orgânicos, bem drenados, protegidas da luz solar directa e de correntes de ar, irrigadas com frequência.

 

Beijo-pintado

O beijo-pintado é uma planta de folhas macias e caule suculento. Apresenta caule e ramos avermelhados e escuros na espécie típica. Ainda assim, ocorrem variedades de beijo-pintado com folhas verde-claras ou variegadas de amarelo, muito vistosas. As flores são grandes e podem ser de cores diversas, como o rosa, o salmão, o vermelho, o violeta, o branco, etc, com destaque para os tons pastéis.

É muito florífera e rústica, adequando-se ao plantio em maciços, bordaduras e canteiros, assim como apresenta efeito muito decorativo em vasos, jardineiras e cestas suspensas. Indicada para iniciantes, exige pouca manutenção, como o beliscamento, adubações periódicas e o replantio anual, pois com o tempo perde a beleza.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, bem drenável e enriquecido com matéria orgânica, com regas freqüentes. Não tolera ventos, períodos de seca ou de sol e calor muito intenso, no entanto as variedades avermelhadas e escuras são um pouco mais resistentes. Multiplica-se por sementes e estaquia.

 

Madressilva

É uma planta de folhas decíduas, trepadeira, na forma de arbusto, que pode crescer até dez metros de altura. É nativa da Europa, podendo ser encontrada ao norte como na Noruega e Suécia. Suas folhas são opostas e simples, com a forma de elipses lanceoladas.

A inflorescência é capituloforme pedunculada com forma de trombeta. As flores são hermafroditas, zigomorfas, pentâmeras, de coloração creme ou branco-amareladas, com odor doce e agradável. Seus frutos são bagas de coloração roxa. Sua polinização é feita pelas abelhas e traças ou mariposas.

O seu habitat é em sebes, margens dos campos e matas. A madressilva é muito apreciada como planta ornamental, devido a suas bonitas e aromáticas flores. É usada pelas borboletas para pôr seus ovos.

É utilizada na medicina para combater as anginas, a colibacilose e a tosse. Tem propriedades adstringentes, anti-sépticas, detersivas, diuréticas e sudoríficas.

 

Artemísia

É nativa das regiões de clima temperado da Europa, Ásia e Norte da África. Está disseminada em todo o mundo. Trata-se de uma planta aromática, herbácea perene com raízes lenhosas, cuja altura varia entre 1 e 2 metros.

Suas folhas verde-escuras possuem de 5 a 20 cm. Floresce entre julho e setembro, apresentando flores pequenas (5 mm de comprimento) de cor amarela ou vermelha-escuro.

A artemísia possui um óleo essencial rico em diversas substâncias: cineol e tujona, flavonóides, taninos, saponinas, resinas, artemisinina e princípios amargos.

Suas propriedades medicinais conhecidas são o efeito analgésico, antiespasmódico, anticonvulsivo, tônico, calmante, digestivo, vermífugo e regulador da menstruação. A artemisinina está a ser testada contra malária. Não deve ser consumida crua, pois é tóxica nesta condição.

 

Jasmim-estrela

Planta arbustiva semi-lenhosa, tipo cipó, de caules flexíveis, folhas verde-escuras, ovais, brilhantes e opostas com posição diagonal ao ramo, parecendo asas, provavelmente recebendo por isto um dos nomes populares.

As flores são brancas, perfumadas, campanuladas com as pétalas delicadas parcialmente livres, estreitas e alongadas como numa estrela, surgindo ao longo do ano mas principalmente na primavera e verão.

Os botões por abrir tem uma tonalidade avermelhada, com belo efeito ornamental com a folhagem escura e as flores já abertas. Tem rápido crescimento e necessita tutoramento de postes, pérgulas, muros e treliças.

A adubação de reposição poderá ser anual, no início do inverno, retirando-se o solo junto à muda sem danificar as raízes e adicionar adubo animal de aves e composto vegetal, misturando à terra do canteiro.

Caso a opção seja por colocar a muda em vaso este deve ser grande.

 

Jasmim-amarelo

O jasmim-amarelo é um arbusto escandente, com longos ramos semi-lenhosos e folhagem densa, salpicada de flores amarelas. Seus ramos são arqueados, ramificados, pendentes, verdes e quadrangulares na superfície de corte. Eles podem alcançar 3 metros de comprimento e se tornam lenhosos com o tempo.

As folhas são opostas e compostas por três folíolos macios, verde-escuros e brilhantes. Ocorre ainda uma forma de folhas variegadas de amarelo. As flores despontam o ano inteiro, mas são mais abundantes na primavera e verão. Elas são dobradas ou semi-dobradas, solitárias, de cor amarelo-limão e sem perfume ou com perfume muito suave.

Este arbusto vistoso, apresenta rápido crescimento e é muito versátil, podendo ser conduzido como cerca-viva, arbusto informal e até mesmo como trepadeira, se lhe for oferecido suporte adequado. Atualmente é muito utilizado na forma pendente, coroando muros, barrancos e em jardineiras grandes nas sacadas dos prédios, de forma que sua ramagem desça como uma cascata farta.

É uma opção interessante para o controle da erosão e embelezamento de barrancos e taludes. Ao cultivá-la como cerca viva, convém oferecer-lhe algum suporte inicialmente, para orientar seu crescimento, como uma cerca de arame.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado periodicamente. Apesar de crescer em locais semi-sombreados, o jasmim amarelo prefere lugares ensolarados para se desenvolver e florescer, principalmente em regiões de clima subtropical.

É uma planta muito rústica e de baixa manutenção, que se restringe às podas realizadas quando a floração é mais reduzida, ou seja, no final do outono. Não tolera geadas fortes, mas rebrota na primavera se o inverno não for muito rigoroso. Multiplica-se facilmente por estaquia ou mergulhia, após o florescimento.

 

Trepadeira-mexicana

A trepadeira-mexicana é uma liana muito graciosa e ornamental, ótima para jardineiros iniciantes pela facilidade de cultivo. Sua ramagem é muito ramificada, de textura semi-lenhosa e apresenta folhas cordiformes ou em seta, com margens serrilhadas e coloração verde-escura.

As inflorescências são grandes, semelhantes a margaridas, com corola alaranjada e centro amarelo, que se torna vermelho com o passar do tempo. A floração se extende pelo ano todo em regiões quentes, mas é mais abundante na primavera.

Por sua rusticidade e rápido crescimento, a trepadeira-mexicana pode ser utilizada como anual também. É adequada para cobrir rapidamente suportes, como cercas, muros, treliças e esconder objetos no jardim, como entulhos por exemplo.

O plantio junto à árvores ou palmeiras que sirvam de suporte cria um belíssimo efeito também. Seu porte não é muito avantajado, normalmente não cresce mais que 3 metros, o que a torna adequada mesmo para pequenos jardins. Atrai muitas borboletas.

Devem ser cultivadas sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, leve e enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares no início. Não é tolerante ao frio ou às geadas. Tolera a seca e as podas semestrais. Em clima temperado pode ser cultivada como anual. Multiplica-se facilmente por sementes, estaquia ou mergulhia.

Fontes: revistacasaejardim.globo.com / www.jardineiro.net / pt.wikipedia.org / www.fazfacil.com.br / www.jardimdeflores.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...