Dicas e receitas caseiras para controlar o PH íntimo da mulher

 

Toda mulher sabe o quanto é importante cuidar da higiene intima, mais até que os homens, nosso órgão venital é bem mais vulnerável a doenças e infecções, por ter essa abertura ele fica mais exposto.

Por isso deve se lavar muito bem no banho, principalmente em períodos menstruais, com esse calor ainda, nem se fala, como não podemos tomar banho várias vezes ao dia recomendo usar aquele lencinho umidecido de bebês (apenas para limpar melhor o local até poder tomar um banho).

 

Existem alguns produtos no supermercado para higiene intima, são bons, mas não é de uso obrigatório. Se você não sabe, a vagina tem uma flora bacteriana própria, que limpa, mantém o pH adequado e previne doenças naturalmente.

Lave com cuidado só a parte externa (a vulva) é essencial. Se você procurar lavar a parte interna, pode alterar a flora bacteriana.

Se você tem uma boa rotina de limpeza do corpo, um banho já é o suficiente.

É muito importante também lavar bem a calcinha, não lava-la com outras peças, e não deixar pousar no varal, e passar a ferro sempre, ela fica em contato direto com a vagina, se tiver com alguma bactéria, o banho e nenhum produto de higiene vai adiantar.

 

Para combater o odor evite roupas muito apertadas, como lycra, procure usar mais roupas de algodão, principalmente as peças íntimas.

 

Em relação ao uso de absorventes diários, o ideal é que se use somente a calcinha, que não dever ser apertada ou de tecidos sintéticos para facilitar a ventilação da região e a livre circulação sanguínea. No entanto, mulheres que se sentem inseguras por ter algum tipo de problema, como corrimento vaginal, ou que estão próximas do período menstrual encontram nesses produtos uma opção para evitar constrangimentos. Nesses casos os absorventes diários devem ser porosos, ou seja, não abafam a região, favorecendo a umidade, calor e a proliferação de micro-organismos causadores de infecções.

 

 

 

Mas, afinal, o que é pH?

 

O pH (Potencial Hidrogeniônico) possui teores ácido, neutro e alcalino e atua de forma diferente em parte do seu corpo, inclusive sua vagina. O pH de uma região íntima saudável é ácido, ou seja, menor do que 7.

A água, por exemplo, uma substância reconhecidamente neutra, tem índice 7 de PH. O Ph da vagina saudável é ácido, ou seja, mais baixo do que 7. Seu grau normal varia de 3,8 a 4,2. É esta a condição ideal de sobrevivência dos Bacilos de Doderlein, também conhecidos como lactobacilos, representantes da flora microbiana que povoa o ambiente vaginal saudável.

A acidez do pH da vagina é ácido porque, nesta condição, ele funciona como uma espécie de um mecanismo de defesa da região íntima, combatendo infecções, irritações e possíveis odores ruins na vagina.

 

Ginecologistas afirmam que a vagina se limpa sozinha e que não necessita de excesso de lavagem, por exemplo. No entanto, alguns fatores externos podem mexer com o pH da região, como suor, higiene inadequada ou até mesmo o uso de roupas apertadas demais. A melhor forma de cuidar da vagina neste caso é através de higienização com sabonetes íntimos com pH ácido, produzidos especialmente para não agredir a pele e as mucosas da região. Sabonetes comuns, alcalinos, neutros ou bactericidas podem desequilibrar o pH e a barreira protetora da pele e da vagina.

 

 

Causas do desiquilíbrio do Ph?

 

A redução do nível de lactobacilos na vagina é a principal causa das irritações e infecções que, vira e mexe, nos incomodam e nos obrigam a correr para o ginecologista. O tratamento com antibióticos pode diminuir o nível essa flora da mesma forma que mata bactérias.

Situações de estresse e de baixa da resistência do organismo, dependendo do impacto, causam o mesmo efeito e podem produzir infecções.

A aproximação da menopausa e as mudanças que o desequilíbrio hormonal produzem também afetam O PH.

Se o resultado da queda brusca no equilíbrio da flora microbiana é um PH vaginal mais ácido, ficamos sujeitas ao ataque de fungos como a Cândida, que provoca coceira intensa e o corrimento branco, com aparência de coalhada, chamado de candidíase.

Se o desequilíbrio torna o PH mais alcalino, estamos expostas à ação da bactéria tricomonas, que prolifera nesse meio. E também ficamos vulneráveis à vaginose, outra infecção provocada pelo PH mais alcalino, caracterizada por mau cheiro perceptível, principalmente após a relação sexual.

 

Neste vídeo um ginecologista fala sobre o uso de produtos de higiene íntima, qual o melhor a ser usado, o uso de papel higiênico, absorventes, o uso de bíquines, praias, grávidez…

 

=========================  ===========================

 

Existem remédios caseiros capazes de corrigir o PH

 

Especialmente quando é pequena a variação de acidez. Eles podem aliviar uma irritação corriqueira ou mesmo a coceria excessiva, e vale a pena conversar com seu médico sobre eles. Para diminuir o grau de alcalinidade da flora vaginal, que sujeita a região ao ataque da tricomoníase ou à vaginose, um banho de assento com vinagre diluído em água na proporção de meio copo de vinagre para um a dois litros de água, por exemplo, pode ser a salvação momentânea. Quando o PH aumenta de acidez, expondo o meio vaginal ao fungo da candidíase, uma colher de sopa de bicarbonato dissolvido num copo de água pode trazer alívio imediato. As soluções devem ser aplicadas diretamente na vagina, com o auxílio de uma seringa (sem agulha).

 

1. Vinagre branco (o comum)


O vinagre branco ajuda a matar as bactérias, eliminar o mau cheiro e previne o desenvolvimento de fungos.
Não se preocupe: esta receita não prova alergia.

Tudo o que você precisa é misturar dois copos de água quente com duas colheres (chá) de vinagre branco e usar a mistura para lavar a vulva.
Em seguida, enxágue com água morna.

 

2. Babosa


Retire o gel da babosa – principalmente o que estiver nas extremidades – e misture com dois copos de água.
Lave a vulva com esta mistura e enxágue com água morna até remover todos os resíduos.

 

3. Folhas de limão


Estas folhas são antibióticas, antimicrobiana e antialérgicas.

Elas também são úteis no tratamento de outras partes do corpo, como espinhas ou para eliminar odor das axilas.
Coloque um punhado dessas folhas numa tigela com 500 ml de água fervente e deixe ainda no fogo por 15 minutos, depois desligue.

Feito isso, tampe a panela e deixe descansar.
Coe e lave a vulva com o chá de folhas de limão.

 

4. Vinagre de maçã


Ajuda a eliminar o mau odor e regular o pH.

Se você tiver uma banheira, prepare-a para o banho com uma colher de vinagre de maçã.

Fique na banheira por alguns minutos e aproveite para relaxar as pernas e melhorar a saúde da pele.

 

5. Iogurte

 

Parece inacreditável, mas o iogurte natural ajuda a melhorar a flora bacteriana e a eliminar infecções causadas por fungos.

Depois que lavar a vulva com um pouco de iogurte, enxágue com água morna.

 

LEMBRANDO QUE: Estes enxágues só devem atingir a parte externa, ou seja, a vulva. Não os faça de forma que atinjam a parte interna, pois isso prejudica a flora bacteriana da vagina.

Tais procedimentos devem estar de acordo com indicações de seu médico ginecologista, naturalmente. A única intervenção caseira que se pode utilizar sem a orientação médica é o banho de assento com chá de camomila. A planta é um anti-inflamatório natural muito bom, que alivia muitos os sintomas de irritação.

O uso de iogurte e de produtos com lactobacilos é visto com ressalvas pelos médicos. As duas substâncias podem equilibrar o PH, mas nada comprova que realmente ajudem a repor o nível dos bacilos de Doderlein e, portanto, recuperar a flora microbiana vaginal.

 

 

Produtos de higiene íntima: Prós e contras

 

Para esclarecer algumas dúvidas veja o que o ginecologista Paulo César Giraldo, da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) fala sobre o assunto;

 

Posso lavar a região íntima só com água?

Não. A lavagem simples com água não garante que a região íntima seja devidamente higienizada. A água remove apenas cerca de 60% das impurezas acumuladas na região. Lavar a região com água apenas não garante, portanto, a remoção de partículas sólidas e, menos ainda, a remoção de gorduras. No entanto, o médico ressalta que em casos, raros, de mulheres que sofrem de hipersensibilidade na região íntima, somente água é aconselhado.

 

Os sabonetes íntimos alteram o pH da região vaginal?

Muito pelo contrário. Os sabonetes líquidos íntimos são produtos a base de ácido láctico, que é um componente natural da pele. Como o pH da região externa vaginal é entre 5 e 5,5, esses sabonetes específicos têm o atributo de mantê-lo o mais próximo do ideal para o desenvolvimento e manutenção das células da pele. O pH da pele é afetado por muitos fatores, como, por exemplo, a transpiração, falta de ventilação e predisposição genética. O uso desses sabonetes específicos são importantes para que o pH seja devidamente controlado e a região permaneça higienizada e protegida por mais tempo.

 

Os sabonetes comuns ou neutros são eficazes para a limpeza da região íntima?

A composição dos sabonetes em barra tem pH muito alcalino e, por isso, podem remover a acidez natural da região da genitália feminina, causando ressecamento e irritações. Os sabonetes neutros também não são indicados, pois são mais alcalinos ainda, já que possuem pH 7. Na falta de sabonetes íntimos, o especialista recomenda o uso de produtos fisiológicos, leves e sem perfume.

 

Deve-se interromper o uso dos sabonetes íntimos no período menstrual?

Não. No período menstrual a higiene precisa ser até mais frequente em razão da quantidade de resíduos e secreções que se acumulam na região íntima. O mais indicado é que as genitálias sejam higienizadas, em média 3 vezes por dia em dias de calor e 1 vez por dia em dias de frio, em que os banhos são menos frequentes.

 

Como deve ser a aplicação correta desses produtos?

O ideal é que a aplicação dos sabonetes de higiene íntima seja feita apenas na região externa da genitália, não sendo recomendado o uso dos produtos para fazer duchas vaginais ou tratar de infecções ou inflamações da região.

 

Crianças podem fazer uso desses produtos?

É importante perceber que o uso de produtos de higiene íntima são uma necessidade e não um tratamento. As crianças também precisam que a área genital seja devidamente higienizadas, por isso não há restrições. No entanto, o pH infantil é um pouco mais baixo do que o de mulheres adultas e, por isso, é importante que se procure produtos infantis, em que a concentração e a diluição sejam menores.

 

Sabonetes íntimos – Compare preços no BUSCAPÉ

 

Fonte: www.dicasenoticiaaqui.com.br / www2.uol.com.br / www.minhavida.com.br/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...