Dente-de-leão e suas propriedades medicinais


A flor "Dente-de leão" é uma planta espontânea, isto é, nasce sem a intervenção do ser humano, cresce com facilidade e resiste aos diferentes estresses a que é submetido, indicando que é de fácil cultivo. Outra informação de origem popular é a de que onde ela nasce o solo é bom, podendo ser plantado no local até espécies mais exigentes, como brócolis, couve-flor ou repolho.


Elas se abrem aproximadamente às cinco da manhã e se fecham no final da tarde, sendo por isso chamada de relógio suíços. Existe ainda a crença de que quando suas sementes saem voando na ausência de vento, seria um indicativo de chuva eminente. Suas sementes amadurecidas, são sopradas pelas crianças como brincadeiras, podendo alcançar grandes distâncias, devido a sua leveza. 


Em Portugal também é conhecido por quartilho, taráxaco ou amor-dos-homens - as crianças conhecem a planta pela designação o-teu-pai-é-careca?, em resultado de um jogo infantil que supostamente mostraria se o pai de outra criança, a quem se faz a pergunta, seria careca ou não, depois de soprar os frutos desta planta que, ao serem levados pelo vento, deixam uma base semelhante a uma cabeça careca.


Por que Dente-de-leão?

Esta planta já era chamada de "dent-de-lion" pelos Normandos Gálicos, um dos muitos povos que na Idade Média habitavam a região que hoje chamamos de França.

O nome é devido, provavelmente, à forma das folhas, que lembrariam dentes de leão. Quando a Inglaterra foi conquistada pelos Normandos, em 1066, os Saxões (que então habitavam a Inglaterra) criaram, a partir do nome "dent-de-lion", a variação "dandelion", até hoje o nome popular dado à planta nos países de língua inglesa.


Nos Estados Unidos colhiam-se as flores que infestavam o campo para a elaboração do licor de dente-de-leão. Os indígenas deste país chamavam-no de "pegadas-de-homem-branco", pois, onde chegava o homem branco, chegava o "dandelion", como é chamado em inglês.

Planta da família das compostas (como a serralha e muitas outras), tem inflorescências amarelo-brilhantes ou mesmo brancas. Tem um alto potencial biótico devido à facilidade com que suas sementes se disseminam: com a forma de pequenos pára-quedas, são facilmente levadas pelo vento
Taraxacum officinale é um indicador de solo fértil.

 Campo coberto com flores do dente-de-leão.

Modo de Conservar : As raízes, as folhas e os capítulos florais são secos ao sol, em local ventilado e sem umidade. Armazenar em sacos de papel ou de pano. As raízes e as folhas podem ser consumidas cruas.

Plantio : Multiplicação: por sementes ou mudas do rizoma
Cultivo: em climas diversos e solos pobres com pouca umidade;
Colheita: colhem-se as folhas durante a floração (julho — setembro).

Descrição da planta

Planta vivaz, munida de uma grossa raiz, carnosa, laicífera, de onde saem as folhas e o escapo floral.

As folhas, dispostas em fortes rosetas, são eretas ou inclinadas, lanceoladas e profundamente divididas com segmentos triangulares. As flores nascem em capítulos amarelos, solitários, na extremidade de um escapo oco.

O fruto é um aquênio, com dentes no ápice, parecendo minúsculas presas, e um papilho de pelos brancos sedosos, formando uma esfera branca, que o vento dissemina com facilidade, percorrendo grandes distâncias.

É considerada uma planta invasora de horta e jardim, medrando em campos, vales úmidos e sombrios. Possui grande vitalidade, rusticidade e é de fácil propagação. Adapta-se bem em vários tipos de solo e clima. A raiz se recolhe no outono, a folha em qualquer época e o capítulo floral antes de abrir.




NA CULINÁRIA

  • As folhas podem ser usadas cruas em saladas, cortadas em pedaços pequenos, prefira as folhas jovens, colhidas logo que comecem a crescer, para que não tenham gosto amargo (o óleo usado pode diluir o sabor amargo das mais desenvolvidas);
  • Em sumos (inicie com uma quantidade pequena) ou cozidas como se fossem espinafres, refogadas com cebolas e temperos, etc. Melhor se forem comidas cruas, porque mantém assim todos os nutrientes. Passe a adicionar dente-de-leão diariamente aos seus preparados culinários e repare nas mudanças positivas no seu nível de energia, vitalidade e bem-estar!
  • A planta pode ser usada inteira como diurético, para purificar o sangue, como laxativo, facilitador da digestão e estimulante do apetite; podendo também ser utilizada em casos de constipação.
  • Já da raiz, faz-se óleo de massagem, para tratar reumatismo e também artrite.

Além de fazer parte da culinária de países da Europa, sendo costumeiramente utilizada em saladas e sumos, ainda possui diversas propriedades benéficas à saúde, sendo usada como chá, há séculos, para várias indicações.

 

Usos Medicinais

A planta inteira é usada como diurético, purificador do sangue, laxativo e para facilitar a digestão e estimular o apetite; pode também ser utilizado em casos de obstipação. Além disso, contribui para aumentar a produção de bílis por isso é adequado para os problemas de fígado e vesícula biliar. A raiz é indicada para reumatismo. Faz-se óleo de massagem, também para artrite. Também é conhecida como um ótimo emagrecedor quando tomado (chá) 3 vezes ao di.
As folhas dessa planta são ricas em vitaminas A, B, C, e D e cálcio, potássio e ferro, além de serem muito saborosas enquanto ainda estão novas. O chá feito de suas folhas ou de suas raízes auxilia no controle da hipertensão e de deficiências cardíacas.

É também utilizado atualmente para fazer vinho, a partir das suas flores.


O chá, apesar de muito nutritivo, tem pouco valor calórico, sendo apenas 25 calorias em uma xícara. A planta possui maior valor nutricional do que a grande maioria dos vegetais, veja:
  • é rico em vitaminas;
  • rico em minerais;
  • proteínas;
  • inulina;
  • pectina;
  • possui mais vitamina A do que a cenoura;
  • rico em vitamina C;
  • riboflavina;
  • possui vitamina B6;
  • tiamina;
  • minerais (cálcio, potássio, cobre, magnésio e ferro);
  • uma xícara de chá possui a mesma quantidade de cálcio de 1/2 copo de leite!

Esse chá é desintoxicante, sendo apropriado para uma “limpeza” do organismo, especialmente após um período de exageros ou acúmulos, onde abusamos de substâncias não muito saudáveis ao organismo, como comidas e bebidas em excesso.
Assim, o fígado é o órgão mais beneficiado pelo dente-de-leão, pois este o ajuda a eliminar as toxinas do sangue e desobstruir os canais biliares. Esses benefícios ao fígado são um dos principais motivos para a popularidade da planta ao redor do mundo, onde várias pesquisas confirmaram essa propriedade, especialmente na Alemanha, país onde é muito popular.

O dente-de-leão é também um poderoso diurético, sendo suas folhas as partes indicadas para essa finalidade, ação esta estudada e confirmada em muitas pesquisas recentes. Os diuréticos costumam provocar uma perda importante de potássio, e isso não acontece com o dente-de-leão, já que esta planta tem um altíssimo teor deste mineral na sua composição.

Além dessas, o dente-de-leão possui ainda as seguintes indicações: Depurativo para todo o organismo, trata arteriosclerose, astenia, artrose, celulite, cálculos biliares, cistite, cirrose, constipações, colesterol, distúrbios menstruais, diabetes, fígado, hepatite, obesidade, gastrite,  prisão de ventre (laxante leve), varizes e vesícula.

O chá de dente-de-leão ainda é considerado ótimo emagrecedor, devendo ser tomado até três vezes ao dia, já que, como diurético, não deve ter consumo exagerado.
  • 2 colheres de sopa de erva
  • 1 litro de água
Coloque as duas colheres e o litro de água para ferver, quando a água alcançar a fervura, tampe a panela e abafe por cerca de 10 minutos. Depois disso, lembre-se de coar e seu chá estará pronto para ser bebido.


Receitas

Suco: bater no liquidificador 4 folhas, 1 copo d´água e gotas de limão. Tomar 2 a 3 colheradas do suco ao dia. - secas: 4 a 10 g três vezes ao dia ou por infusão. - infusão: 10 g de folhas por litro de água, como tônico e depurativo, 3 xícaras de chá por dia.

Sumo das folhas: cálculos renais e fígado. Uso externo: vitiligo. - folhas novas são usadas em saladas; as folhas velhas, refogadas e comidas como verdura; Flores: - fritas. - em saladas, maioneses e geleias; Sementes: - torradas e moídas, podem ser usadas como "café de chicória".

Rizomas: - comidas cruas ou cozidas, cortadas em fatias. - deixar macerar por 1 dia 1 colher das de chá de raízes secas em 1 xícara de chá de água. Tomar ½ xícara antes das refeições: desintoxicante hepático e depurativo; - 2 a 3 colheres de chá das raízes secas em 250 ml de água. Ferver 10 a 15 minutos. Tomar 3 vezes ao dia. - 1 colher de chá de raízes secas em ½ copo de vinho tinto seco. Deixar macerar 10 dias. Tomar 1 cálice antes das refeições: aperiente;

Raiz pulverizada: 1 g por dose, 4 g por dia. - extrato fluido: 30 gotas, 3 a 4 vezes ao dia. - macerar 1 colher de chá de raízes picadas em uma xícara de água, durante uma noite. Ferver no dia seguinte por cerca de 1 minuto. Tampar e deixar esfriar. Coar e tomar meia xícara em jejum e a outra metade após o café da manhã do mesmo dia: depurativo e desintoxicante; - tintura (1:5): 5 a 10 ml em 25% etanol, 3 vezes ao dia.

Raízes e folhas: - 2 colheres de sopa de raízes e folhas picadas, em 1 litro de água. Ferver por 3 minutos, tampar até esfriar. Coar, tomar durante o dia, dividido em várias doses: diurética. - tintura mãe: 50 gotas, 3 vezes ao dia. Raízes, flores e folhas novas podem ser consumidas cruas em saladas como estimulante da digestão. Planta toda seca pulverizada: 1 g por dose, 3 a 4 vezes ao dia.


INDICADO PARA

Distúrbios da função digestiva; diurético : coloque 1 colher de sopa de raízes picadas em xícara de chá de água. Deixe em maceração por 1 noite. No dia seguinte, leve ao fogo e quando ferver, desligue e coe. Tome 1/2 xícara de chá de manhã, 30 minutos antes do desjejum e a outra 1/2 xícara de chá, 30 minutos após o desjejum.

Distúrbios da função digestiva; diurético : coloque 3 colheres de sopa de raízes e folhas picadas em 1 garrafa de vinho branco. Deixe em maceração por 10 dias e coe. Tome 1 cálice, antes das principais refeições.

Afecções da pele do rosto; irritação dos olhos : coloque 1 colher de sopa de raízes picadas em 1 xícara de chá de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Coe e adicione 1 colher de sobremesa de mel. Aplique no rosto, inclusive nas pálpebras, com um chumaço de algodão, 2 vezes ao dia, sendo de preferência, uma noite, antes de deitar.

Reumatismo; artrite reumatoide; gota; dores musculares e da coluna; nevralgias; prostatites e contusões : em uma panela com água em fervura, coloque uma peneira, de modo que a mesma não toque na água e sobre a peneira um pano. Esparrame sobre o pano 1 punhado de folhas frescas picadas e abafe. Espere que o vapor de água quente amorne o pano e as folhas ainda morno, aplique o pano com as folhas nas partes doloridas, cubra com outro pano e deixe agir durante toda a noite.


Interação farmacológica 

Falta de apetite, digestão lenta, mau funcionamento do fígado : Amarga mas não em excesso, a raiz de dente-de-leão tem uma ação benéfica sobre o estômago, o fígado é o pâncreas, aumentando as secreções digestivas, incluindo a bílis, e tende a estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Promove a desintoxicação do fígado.

Retenção de líquidos, hipertensão : A folha de dente-de-leão, age sobre os rins e estimula a eliminação de líquidos e a perda de peso. E muito usada para ajudar a baixar a tensão arterial, sendo o seu elevado teor de potássio especialmente útil.

Problemas dermatológicos : A raiz é um suave "depurativo do sangue", útil com problemas de pele crônicos, como acne, furúnculos e eczema, sobretudo se combinada com ervas como a bardana (Arctium lappd) e a equinácea (Echinacea spp.).

O uso da planta em hospitais

No relatório sobre botânica, o doutor Clapp nos informa que em 1852 o dente-de-leão era usado nas doenças crônicas do fígado, uso que provocou justificado porque descobriram que a planta contém taxacina, um estimulante hepático, inulina, lacvulina, um açúcar, colina, uma das vitaminas do complexo B, fotosterol, que evita que o corpo acumule colesterol, e potassa, que é diurética.

Em pequim, no Hospital de Medicina Tradicional , mostraram no tabletes de Chin Hung e informaram que eram específicos para apendicite.
A fórmula inclui o Taraxacum mongolicum, o dente-de-leão-chinês, e outros três ingredientes.
Os tabletes apresentam um resultado razoável, oitenta por cento dos pacientes é curado sem necessidade de operação.
Cinco por cento chegam ao hospital tarde demais para evitar a cirurgia porque o apêndice está prestes a romper-se.
Quinze por cento têm uma recaída, mas curam-se com a segunda série de Chinh Hung.

 

Produção de Borracha

A utilização do látex do Dente-de-leão na fabricação de borracha está a ser objecto de estudo na Alemanha, EUA, China e Japão. Ao contrário da Seringueira, o Dente-de-leão não precisa de um clima quente para crescer, criando por isso a oportunidade de produzir látex a um custo inferior ao actual.
 

Abra as janelas e deixe a "esperança" entrar.
O Dente-de-Leão, quando entregue como presente, significa união, tolerância e otimismo e esperança.

 
ente de Leão 50 cápsulas de 500mg
Fontes: www.mulhervirtual.com.br / pt.wikipedia.org/ www.remedio-caseiro.com / www.plantasquecuram.com.br

Tags: dente de leao,dente de leao para que serve,folha dente de leão,dente de leao receitas,como usar dente de leao
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...