Verdades e mitos sobre o feijão

AFINAL! Feijão engorda ou emagrece?

O feijão é um alimento bastante estigmatizado: excluído da dieta de muitas marombeiras e musas fitness, diz-se que a leguminosa engorda, incha e dá gases. Mas, desde crianças, escutamos que o grão é rico em ferro e por isso seria importante para “ficarmos fortes”. Afinal, comer feijão engorda? Qual o papel dele em nossa alimentação?

De acordo com a nutricionista Fúlvia Gomes Hazarabedian, da Academia Bio Ritmo, o feijão possui fibras em sua casca, é rico em carboidratos, proteínas vegetais, ferro, cálcio e vitaminas do complexo B.

Alimento natural e saudável, o feijão não possui nenhuma contraindicação de consumo e, na opinião da nutricionista, todos deveriam incluí-lo na dieta. Até porque, além de os carboidratos presentes no grão serem de boa qualidade e fazerem bem para a saúde, as calorias do feijão não são muito elevadas: uma xícara tem aproximadamente 40 kcal.

Portanto, Fúlvia explica que o feijão não engorda. Claro que a alimentação não deve ser só à base de feijão, mas não há problema algum em consumi-lo todos os dias. “O que engorda são os excessos de calorias, proveniente de qualquer alimento, principalmente dos industrializados”, explica a profissional.

 

Seus benefícios

Um dos nutrientes do feijão, a fibra ajuda a aumentar a saciedade, evitando “escapadas” na dieta, além de ter a capacidade de prevenir diabetes e auxiliar na manutenção da estabilidade da glicose do sangue, crucial para evitar o acúmulo de gordura no corpo.

As vitaminas do complexo B são constituintes de coenzimas envolvidas no metabolismo de carboidratos e proteínas, ajudando a fornecer energia para o corpo de maneira saudável.

Além disso, o ferro do feijão é fundamental para a respiração celular, porque transporta o oxigênio de uma célula para outra e faz com que o organismo funcione de maneira correta e saudável – sem o ferro, o corpo passa a apresentar problemas como fraqueza muscular e anemia.

O ácido fólico ajuda a manter espermatozoides saudáveis e é essencial também para uma gravidez saudável, porque previne más formações no cérebro e na coluna vertebral do bebê. Além disso, ele reduz o risco de Alzheimer, pode evitar doenças cardíacas, controla a hipertensão e é eficaz contra queda de cabelo e para fortalecer as unhas.

Farinha de feijão branco tiaraju

Conheça

 

 

Feijão dá músculos?

Fúlvia explica que o feijão é também rico em proteínas – aminoácidos de origem vegetal com funções de reparação e construção de tecidos. Por ser uma fonte proteica, ele é, sim, importante para construir músculos e pode ser um aliado na hipertrofia (quando a pessoa quer ficar com os músculos “maiores”, mais inchados). A proteína, aliada ao carboidrato, é crucial para a manutenção dos músculos e, consequentemente, do peso: a massa magra demanda mais energia do corpo para ser mantida e, com isso, mais calorias são gastas e o metabolismo acelera.

O feijão pode ser um alimento importante na construção de músculos, principalmente para quem busca hipertrofia

No entanto, o feijão não pode ser a única fonte de proteínas em uma dieta. “A alimentação tem que ser variada, e o valor biológico de uma proteína vegetal é menor do que um de origem animal, como carnes, ovos, leites e derivados”.

 

Feijão dá gases?

Fúlvia explica que não necessariamente o feijão incha.  “A casca do feijão tem poderes fermentativos. No entanto, são características individuais de digestão e da flora intestinal de cada um que levam a uma maior ou menor fermentação, que é o processo que dá origem aos gases e ao inchaço”.

Segundo a profissional, todos os mais de 10 tipos de feijão, em geral, têm as mesmas características e benefícios nutricionais, assim como valores calóricos e teores de fibra, mudando apenas o paladar, a forma de preparo e a digestibilidade – nesse caso, o feijão japonês, chamado de azuki, é o mais indicado para quem tem problema de gases.

O feijão japonês “azuki” é o que menos favorece a produção de gases.

Outra opção para evitar os gases e o inchaço é deixar o feijão de molho, trocando a água, ou então bater o grão com o caldo, em um liquidificador e coar. Em outros casos, como os de intestino solto, indica-se consumir apenas o caldo do feijão durante um período. Mas, em geral, as fibras ajudam a regularizar o intestino.

 
Como consumir?

Fúlvia explica que é difícil precisar quanto cada um deve consumir de feijão, já que cada um possui diferentes necessidades nutricionais, mas é categórica em relação à forma de preparo do prato. “Prepare com bem pouco óleo e sal. Não use temperos prontos e nem coloque bacon ou linguiça. Eles sabotam o teor saudável do feijão”.

Caso a pessoa não goste de feijão, uma opção é trocá-lo por carnes e vegetais de folhas verdes, que podem suprir a falta que a leguminosa fará na dieta.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...