Notícias Bizarras do mundo - Parte 3

 

Quem já ouviu dizer que a Mulher Maçã usaria uma nova técnica para aumentar os seios levando tapas na cara. Falando assim parece uma coisa bem improvável, mas essa técnica surgiu na Tailândia e faz muito sucesso lá. Essa é apenas uma das notícias bizarras que temos para contar. Você acredita que cidades protegidas por super-heróis não é apenas coisa de filme? Tenho certeza que você já ouviu muita gente falar e até você mesmo já falou que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Pois saiba que isso é uma grande mentira!
 
Jovem diz que não sente fome e não come nada há 18 anos


Os médicos ingleses estão investigando uma doença rara que afeta Muhammad Miah. O jovem não come nada há 18 anos e alimenta-se de forma artificial desde a infância.
Durante o dia, Muhammad Miah bebe um líquido acrescido de proteínas, hidratos de carbono, gordura, água, minerais e vitaminas. À noite, um aparelho bombeia nutrientes diretamente para o estômago através de um tubo. O adolescente nem água pode beber: A água precisa de ser fervida ou mineral. Caso contrário o meu estômago não aceita, é muito sensível.
Muhamad sofre de uma doença rara – pseudo-obstrução intestinal -, que afeta entre 12 a 15 crianças em toda a Grã-Bretanha. O organismo perde toda a capacidade de processar de forma normal os alimentos durante a digestão.
O especialista Nikhil Tharpar, do Instituto de Saúde Infantil da University College of London, defende que a Medicina tem de compreender melhor esta doença, para encontrar a terapia certa.
“Nós só conseguimos controlar os sintomas e os tratamentos só permitem que pacientes como Muhammad sobrevivam. Mas não conseguimos oferecer nenhuma cura”,
afirma o médico.
“Estas crianças são muito corajosas, apesar de tudo. Vivem com uma péssima qualidade de vida, estão sempre a entrar e a sair do hospital todas as semanas. Vivem no limite”,
lamenta Nikhil Tharpar.
Ainda assim, Muhammad é forte e olha para o lado positivo do seu caso.
“Às vezes acho que sou mais saudável que as outras pessoas. Quando penso em todas as porcarias que as pessoas comem… pelo menos, eu não engordo, as minhas refeições são tão bem cronometradas, que eu não sinto fome. E quando me sinto mal, também não tenho fome. É algo normal para mim”

Uma empresa vai mandar um vibrador para o espaço


 Já é de se esperar um certo tipo de comportamento quando seu nome é David “Dave Brinquedo de Sexo” Levine. E, sendo assim, Levine, o diretor executivo de uma importante distribuidora de produtos de internet para adultos, está liderando uma equipe que irá lançar o primeiro vibrador para o espaço.
A marca Vibrating Bullet que fará parte dessa missão não será nenhum vibrador comum. O brinquedo teve que ser desenvolvido para resistir a temperaturas de menos 23 graus Celsius, a condições de 10 vezes para além da radiação cósmica normal e os elementos que estão presentes a uma altitude de 30.000 metros, que é três vezes maior do que a altitude de um avião normal.
O vibrador irá subir para o espaço através de um balão de hélio movido a energia solar equipado com dispositivos, e deve viajar 50 quilômetros antes de Dave Brinquedo de Sexo e seus amigos recuperá-lo.
E se você está se perguntando por que nossa civilização precisa de um vibrador que pode suportar viagens espaciais, vamos lá: se você tivesse que escolher entre um vibrador regular e um construído para resistir a radiação cósmica e temperaturas extremas.


Mulher ficou com uma granada a ponto de explodir alojada em seu rosto


Karla Flores, uma vendedora de rua de 32 anos de idade, de Culiacán, México, pode considerar-se sortuda depois de ter sobrevivido ao ser atingida no rosto com uma granada. Ou nem tão sortuda assim.
Em 6 de agosto de 2011, a “Mulher Milagre”, como ficou conhecida, estava vendendo frutos do mar na rua quando, de repente, ouviu uma explosão.
Conforme ela se virou para ver o que tinha acontecido, foi atingida no rosto por um objeto, e o impacto poderoso a levou a cair na calçada. Karla sentiu uma sensação de queimação no rosto, e quando o tocou, havia muito sangue.
Ela desmaiou depois disso, mas felizmente um anônimo a levou em seu carro para o hospital mais próximo. Lá, Karla acordou e os médicos lhe perguntaram sobre a ferida. A mulher disse que achava que uma pedra a havia acertado. Mas investigações posteriores revelaram que foi algo bem mais mortífero do que uma pedra.
Depois de raios-X e tomografias, os médicos chegaram a conclusão de que algum tipo de projétil estava preso entre suas mandíbulas superior e inferior, e peritos militares chamados ao local identificaram o projétil como um explosivo armado de uma granada.
Ele tinha sido expelido com um lançador de granadas, o que causou o barulho que Karla ouviu, mas não detonou quando atingiu seu rosto.
Ainda assim, a granada era extremamente perigosa; apenas um movimento errado e poderia matar todo mundo num raio de 10 metros. Os pacientes e funcionários do hospital foram evacuados, mas algo tinha de ser feito para ajudar Karla, que mal podia respirar com o projétil travado no lado de seu rosto.
A maioria dos médicos de plantão estava assustada demais para sequer chegar perto de Karla, quem dirá operá-la, sabendo que um movimento errado poderia explodi-los ao alto. Porém, quando o chefe Gaxiola Meza pediu voluntários, quatro almas corajosas se aproximaram do desafio: anestesistas Felipe Ortiz e Cristina Soto, enfermeiro Rodrigo Arredondo e a médica Lidia Soto.
Juntamente com dois especialistas em explosivos do Exército mexicano, eles levaram Karla e todos os equipamentos necessários para um campo aberto, onde em caso de uma explosão, ninguém além deles seria ferido.
Os médicos, que não estavam usando nenhum tipo de armadura, fizeram uma traqueotomia em Karla, e começaram a extrair a granada sob a orientação dos especialistas militares. A operação durou até meia-noite, mas no final, o projétil foi removido com segurança e a paciente salva.
Karla Flores perdeu metade de seus dentes, ficou com uma cicatriz gigante no rosto deformado, e os médicos dizem que ela tem pelo menos três anos de cirurgia à frente, mas isso não parece ser um preço tão alto a se pagar, considerando que ela sobreviveu milagrosamente de ser destroçada por uma granada alojada em seu rosto.

Conheça o suco feito de sapo



Sucos naturais são muito populares e podem ser encontrados em uma infinidade de lugares, em diversos sabores. Mas em Lima, no Peru, os ingredientes usados são muito diferentes dos que você vê por aqui: lá é feito o suco de sapo.
Nojento? Pode até parecer, mas alguns moradores locais não deixam de ingerir a “deliciosa” bebida nem por um dia no café da manhã, pois dizem que ela lhes dá força e energia para o dia inteiro.
A proprietária do restaurante que vende a bebida exótica, Carmen Gonzales, prepara o drink há 15 anos, juntamente com outras pessoas que entraram no negócio. Ela vende cerca de 80 sucos feitos à base de sapo por dia, para moradores da região e turistas corajosos.
Os sapos, que vêm do famoso Lago Titicaca, são retirados de um pequeno aquário. Depois, são mortos sendo batidos contra telhas. Sem pele, eles são colocados dentro de um liquidificador juntamente com outros 20 ingredientes, incluindo caldo de feijão, mel, malte, maca (uma raiz andina que aumenta a resistência e o desejo sexual), e às vezes até mesmo vinho.
Chamado de “viagra peruano”, a bebida custa cerca de 4 reais, e os fãs do suco dizem que vale cada centavo pelo seu efeito tônico sobre o corpo. E aí, ficou com vontade de experimentar?

Legista afirma que homem morreu de combustão espontânea



Parece história de um filme de terror, mas algumas pessoas acreditam que acontece. É também o que um legista concluiu sobre um irlandês de 76 anos de idade, que queimou até a morte em sua casa. Havia marcas de queimaduras acima e abaixo do corpo, mas nenhuma evidência de gasolina, querosene ou outros aceleradores. O legista relatou que o fogo foi exaustivamente investigado e a conclusão é de que isso se encaixa na categoria de combustão humana espontânea, para a qual não há explicação adequada.
Normalmente, é claro, os incêndios não começam por si próprios. Quando os pesquisadores estão buscando a causa de incêndios florestais, não assumem que a chama apenas acendeu, mas sim que ela provavelmente foi causada por alguém descuidado ou por um relâmpago. Apesar de rara, a combustão espontânea tem uma certa ocorrência. Sob circunstâncias corretas, muitas coisas podem autoinflamar em um dia quente, incluindo pilhas ou trapos usados contendo óleo ou gasolina. Poeira de carvão também pode inflamar-se espontaneamente, um dos muitos perigos que os mineiros enfrentam.
Mas a afirmação de que as pessoas podem de repente explodir em chamas, sem motivo aparente, é uma questão totalmente diferente. O caso mais conhecido de combustão humana espontânea é realmente de ficção: em um romance de Charles Dickens, Casa Abandonada, um personagem explode em fogo. O fenômeno também apareceu em outros filmes e em programas de TV.
Mas há alguma confirmação de casos da vida real?
É aí que as coisas ficam mais complicadas. Embora alguns autores sugiram que existiram centenas (ou milhares) de casos de combustão espontânea ao longo da história, apenas uma dúzia foi investigada em detalhes. Um pesquisador que examinou vários casos supostamente inexplicáveis,= descobriu que todos eles eram muito menos misteriosos do que se dizia. A maioria das vítimas eram idosos, viviam sozinhos e havia chamas por perto (cigarros, velas, incêndios, etc) quando morreram. Vários foram vistos pela última vez consumindo álcool ou fumando.
Como pode um corpo queimar por completo? Se a pessoa está dormindo, embriagada, inconsciente, muito fraca, incapaz de se mover ou de apagar as chamas, as roupas da vítima podem agir como um pavio, para queimar a gordura do corpo (que por ser um óleo é inflamável e está muito perto da superfície da pele). Uma vez que um corpo começa a queimar, ele vai continuar até que o combustível (roupas, cadeiras, o corpo, etc) se acabe.
Os incêndios são notoriamente instáveis. Às vezes as chamas se espalham para outros lugares, outras vezes não. Às vezes incêndios consomem o corpo inteiro, outras vezes não. Tudo depende das circunstâncias específicas de cada caso.
Pesquisas também jogam água fria na ideia de que corpos só podem ser consumidos por temperaturas muito mais altas do que as chamas comuns podem oferecer. As experiências mostram que a gordura humana queima a uma temperatura de 250°C, porém um pavio de pano na gordura vai queimar mesmo quando a temperatura cai até 24°C.
O caso do irlandês pode não ser tão misterioso quanto parece. Havia, afinal, uma lareira perto de seu corpo queimado. Parece provável que uma faísca ou brasa se estalou do fogo, atingiu suas roupas e botou-as em chamas. Não está claro por que o legista excluiu esta explicação.
Se a combustão humana espontânea é um fenômeno real (e não o resultado de uma pessoa idosa ou doente muito perto de uma fonte de chama), por que não acontece com mais frequência? Há 5 bilhões de pessoas no mundo e ainda assim não vemos relatos de pessoas explodindo em chamas enquanto caminhavam pela rua, assistiam a jogos de futebol ou tomavam um café. Se a combustão humana é um fenômeno real, mas muito raro, estatisticamente deveríamos ver muito mais casos.

Esqueletos zumbis da Irlanda



Foram descobertos dois esqueletos da época medieval na Irlanda com grandes pedras encravadas em suas bocas – prova de que se temia que esses indivíduos sairiam de seus túmulos como zumbis.
Os esqueletos foram exumados como parte de uma grande exploração que fez escavações pela Irlanda. De acordo com pesquisadores, a boca era vista como o portal principal para a alma sair do corpo após a morte. Às vezes, a alma poderia voltar ao corpo pela boca e reanimá-lo, ou um espírito maligno poderia fazer isso, trazendo a pessoa de volta à vida.

Cineasta tem “olho de câmera”



O documentarista canadense Rob Spence sempre amou ficção científica. Tanto que quando ele perdeu seu olho, há seis anos, se inspirou em alguns de seus heróis. Segundo ele, há tantos personagens da cultura e da ficção científica que tem um olho de câmera, que praticamente qualquer um que perde um olho faz pelo menos uma piada sobre ter um olho-câmera.
O cineasta não só disse, como fez. Com a ajuda de um ex-funcionário de uma empresa de satélite, ele desenvolveu uma câmera que se encaixa em sua órbita ocular. E o “eyeborg”, como ele chama a si mesmo, nasceu.
O dano em seu olho direito veio de um acidente quando ele tinha apenas nove anos de idade. Ele estava com o avô na Irlanda do Norte quando decidiram que seria uma boa ideia pegar uma espingarda calibre 12 e atirar em alguns bichinhos por aí.
O cineasta não segurou a arma de forma adequada, o que causou vários traumas em seu olho. A deterioração foi gradual; com o passar dos anos, ele perdeu toda sua visão. Os cirurgiões recomendaram a remoção do olho danificado para evitar qualquer deterioração no outro saudável.
Acontece que Spence não sentiu nenhuma grande perda de capacidade, talvez por ter levado tanto tempo para perder a visão totalmente. De acordo com ele, a sua busca por um olho-câmera não foi motivada por qualquer esperança de poder voltar a enxergar bem.
A motivação para colocar uma câmera em seu corpo foi uma combinação de ser um adulto brincalhão, que quer ser como Star Trek ou o Homem Biônico, e uma oportunidade de fazer documentários mais interessantes, que têm literalmente um ponto de vista diferente.
O olho já está na sua terceira encarnação e transmite imagens de vídeo ao vivo para um monitor sem fio. A esta altura você já está se perguntando como funciona a câmera. Ela está anexada em uma bola de coral e um dispositivo de engate, que se encaixam no lugar de seu olho e que foram feitas com a finalidade de um olho estético. Isso significa que a câmera se move e que Spence pode direcioná-la para o alvo.
E o dispositivo já se tornou parte fundamental em seus documentários. Quando ele filma alguém, as pessoas olham diretamente em seus olhos, não através de uma câmera. É muito mais semelhante com a maneira que vemos o mundo na realidade.
O último filme de Spence é um documentário de 12 minutos atrelado ao lançamento de um jogo de vídeo que apresenta um homem biônico com seu próprio olho-câmera. Para o cineasta, foi uma oportunidade de explorar algumas das inovações biônicas que estão acontecendo em todo o mundo e conhecer algumas pessoas que já testaram essas novidades.
Um dos entrevistados foi um homem finlandês, portador de uma cegueira hereditária, que vem testando um implante ocular que permite que ele enxergue grandes formas e luzes. Spence acredita que o futuro da visão biônica é a alta definição, assim como a televisão, que surgiu como uma caixa de imagens borradas.

Conheça o cubo mágico cerebral


Todo mundo já bateu a cabeça tentando solucionar um Cubo de Rubik, o famoso “cubo mágico”. Criado em 1974 pelo húngaro Erno Rubik, professor de arquitetura, esse cubo já foi adaptado em inúmeras formas com incontáveis modificações. A mais nova adaptação criativa do cubo foi este em formato de cérebro, feito pelo artista Jason Freeny. O artista deu um toque divertido e irônico ao cubo, já que dizem que quem consegue o resolver é inteligente.
Na versão cerebral, as dobrinhas do cérebro devem se encaixar como em um quebra-cabeça, em todas as faces do cubo, mas sem cores dificultando o processo.

Técnica tailandesa aumenta seios com tapas



Quer aumentar os seios, mas não gosta da ideia de ter que fazer uma cirurgia plástica? Então, economize o valor do silicone e vá para a Tailândia. Lá, uma estranha técnica pode fazer os seios aumentarem no tapa – literalmente.
A pioneira da solução que parece milagrosa é a esteticista Khemmikka Na Songkhla, de 44 anos, que afirma ser a única pessoa no mundo que conhece os segredos para embelezar o rosto, seios e glúteos das clientes dando muitos tapas nelas durante as sessões.
Como a procura está aumentando, Khemmikka está planejando selecionar 10 pessoas para passar seus conhecimentos, mas não de graça, é claro. Ela está cobrando R$ 554 mil para o curso de esculpir o corpo, R$ 436 mil para o curso de tapas em seios e R$ 277 mil para o curso de tapa na cara. Até agora, quatro pessoas já se candidataram.
Khemmikka aprendeu a técnica dos tapas com a avó, que batia e massageava os próprios seios para que eles aumentassem. A tailandesa ganha a vida estapeando mulheres há duas décadas, e conseguiu melhorar radicalmente a aparência de milhares delas. O mais incrível é que tudo isso é feito sem o uso de nenhum tipo de produto químico ou implante.
Depois de um estudo que durou seis meses, em 2003, o Ministério da Saúde da Tailândia reconheceu oficialmente a técnica de bater nos seios como uma alternativa natural à cirurgia plástica. Aparentemente, esse tratamento orienta a gordura das áreas ao redor dos seios para as mamas.
As clientes afirmam que o tratamento pode ser bastante doloroso, mas o resultado final satisfaz todas elas: seios até 5 centímetros maiores. Mas enquanto os tapas tailandeses podem fazer maravilhas, Khemmikka lembra que ela não pode ajudar qualquer pessoa. Se os seios são muito pequenos ou a cliente é magra de mais, ela aconselha que a mulher ganhe peso antes de voltar ao tratamento novamente. Lembre-se disso antes de voar para a Tailândia.

Conheça o campeonato mundial de arremesso de ovos



Quem já jogou um ovo em alguém, ou mesmo teve um ovo quebrado na própria cabeça, sabe o quão suja essa brincadeira pode ser, mas sem dúvidas é algo bem divertido. E tem um pessoal inglês que leva essa atividade bem a sério – se é que podemos considerar um campeonato de arremesso de ovos uma coisa séria.
É isso mesmo: existe uma competição mundial dedicada especialmente à habilidade de arremessar e pegar ovos no ar. Desde de 2006, a cidade de Swaton, na Inglaterra, é a sede do curioso campeonato, que tem várias modalidades de “esportes”, dentre os quais o mais famoso é o arremesso. No jogo, um membro da dupla deve arremessar um ovo ao companheiro na maior distância possível. Eles começam arremessando os ovos a 10 metros de distância e vão aumentando a dificuldade depois de cada captura com sucesso.
Também há o revezamento de ovos, em que equipes de 11 integrantes participam de um jogo semelhante à competição do arremesso. Cada membro da equipe fica em um ponto determinado entre 100 metros, e tem que passar 12 ovos até o último jogador. Pode parecer fácil, mas as regras são rígidas e quem jogar o ovo para fora da faixa de segurança perde pontos. Quem alertar o companheiro que está lançando o ovo é desclassificado, por isso é importante ficar atento para não se distrair e acabar sujo de gema.
A roleta russa é sem dúvidas um dos eventos mais divertidos do Campeonato Mundial de Arremesso de Ovos, quando os jogadores quebram ovos na própria testa. Eles devem escolher um ovo entre cinco de uma bandeja. Dentre eles, quatro são cozidos e um é cru. O resultado? Um ovo quebrado, muitas risadas e um time perdedor.
Atualmente o arremesso de ovos tem até sua própria federação, criada em 2004, que é encarregada da organização de eventos como esse.


 

Conheça a Tomatina, a guerra de tomates da Espanha



Surgida em 1944, a Tomatina é uma das festas mais conhecidas internacionalmente. É celebrada na cidade de Buñol, em Valência, sempre na última quarta-feira de agosto. Em 2011, no 31 de agosto, 40.000 pessoas apareceram nas ruas espanholas (estima-se que de tão longe quanto Japão e Austrália) para arremessar 120 toneladas de tomates maduros umas nas outras. Durante uma hora, as frutas foram lançadas em uma luta de comida maciça.
Reza a lenda que o festival La Tomatina, realizado anualmente, evoluiu de uma briga de rua na década de 1940, quando um grupo de jovens que queria participar do desfile dos “Gigantes y Cabezudos” (tradição espanhola) utilizou os tomates como armas.

Devotos dormem em caixão para ter boa sorte



Dormir em um caixão é certamente sinal de azar na vida de qualquer pessoa, menos para os devotos do templo Looi Im Si, em Penang, Malásia. O templo taoísta adora divindades ligadas à vida após a morte, como Xiao Bo Xian, um dos dois guardas responsáveis por trazer os mortos para o outro lado.
Chu Logo Lock, secretário do templo, afirma que sua avó o fundou depois de receber instruções da divindade do inferno Di Fu Bao Zhang em um sonho. Com o passar dos anos, o templo começou a adorar várias outras divindades, como Ji Gong, Si Da Jin Gang e Mile Buddha.
Mas a parte mais estranha da história de Looi Im Si começou em 2007, quando o espírito de Xiao Bo Xian chegou ao lugar santo e começou a conversar com seus devotos através do corpo do irmão de Chu Soon Lock.
Ele supostamente não sabe uma palavra em Teochew, mas fala fluentemente o dialeto cada vez que é possuído por Xiao Bo Xian. Em 2008, quando estava em transe, Soon instruiu os devotos do templo a colocar cinco caixões dentro do local, e só permitir que pessoas com graves problemas causados pela má sorte dormissem neles.
Apenas um dos cinco caixões é usado, porque os outros são aparentemente muito pequenos para caber uma pessoa. Sofredores que dormem no “caixão da boa sorte” dizem que faz toda a diferença no mundo.
“Meu estômago estava muito desconfortável e eu tinha dificuldades em respirar durante a noite, mas os médicos não conseguiam resolver meus problemas.
Depois de dormir no caixão, eles foram embora”,
disse Lim S.C., que dorme no caixão regularmente há alguns anos.
O ritual para “remover” a má sorte é bastante simples: a pessoa afetada se deita no caixão, é coberta até o pescoço com um pano santo, e o espírito de Xiao Bo Xian recita algumas orações através do devoto.
E se você achou tudo muito esquisito, saiba que dormir em caixões parece ser bastante popular nos dias de hoje, especialmente na Ásia, onde os Thais têm um ritual semelhante que faz os adoradores “renascerem”, e no Taiwan, onde os alunos são enterrados vivos por seu professor.

Beber sangue é seguro?



Recentemente, um garoto chamado Lyle Bensley, de 19 anos do Texas, EUA, invadiu o apartamento de uma mulher e mordeu seu pescoço. Ele alegou ser um vampiro com séculos de idade que precisava de sangue para permanecer vivo. A mulher conseguiu escapar e chamou a polícia, e Lyle foi preso pelo ataque.
Mas será que é seguro beber sangue? Segundo especialistas, em quantidades muito pequenas (por exemplo, algumas colheres de chá), e se o sangue não tiver agentes patogênicos (como muitas doenças transmissíveis pelo sangue), a ingestão não deve prejudicá-lo.
Quando confinado a lugares onde deve estar, como o coração e os vasos, o sangue é essencial para a vida. Mas, quando ingerido, é outra história: ele fica tóxico. É claro que todas as toxinas têm doses, e assim como um pouco de veneno não vai necessariamente machucá-lo, quanto mais você comer ou beber, maior será o perigo.
Como o sangue é rico em ferro – e porque o corpo tem dificuldade de excretar o excesso de ferro, todo o animal que consome sangue regularmente corre o risco de overdose de ferro.
Enquanto o ferro é necessário para todos os animais (e certamente para a vida), em altas doses pode ser tóxico. Esta condição, chamada hemocromatose, pode causar uma grande variedade de doenças e problemas, incluindo danos ao fígado, acúmulo de líquido nos pulmões, desidratação, pressão arterial baixa e distúrbios do sistema nervoso.
Os corpos dos animais que ingerem sangue adaptaram mecanismos digestivos especializados. O morcego vampiro, por exemplo, requer um enorme consumo de ferro, que ajuda a hemoglobina a transportar oxigênio dos pulmões para os tecidos do corpo.
Segundo a estudiosa Katherine Ramsland, a ingestão de ferro é geralmente maior no morcego vampiro do que em outros morcegos, por isso eles têm um processo especial para secretar o excesso. Quando ingerido, o sangue passa por um aparelho que é adaptado para a extração de nutrientes. Estudos sugerem que eles têm uma membrana mucosa ao longo do trato intestinal que atua como uma barreira para evitar que o excesso de ferro entre em sua corrente sanguínea.
Já você, não é um morcego vampiro. Como nós não evoluímos um mecanismo de extração de ferro, beber sangue pode nos matar. Se você quiser tentar, não podemos impedir; e tenha um médico por perto. Mas não para sua vítima, para você.

Jugger, o esporte pós-apocalíptico



O esporte “pós-apocalíptico” chamado Jugger, inspirado por um filme de 1989 chamado “Blood of Heroes” (Gladiadores do Futuro). No filme, Jugger era simplesmente chamado de “O Jogo”. Era um esporte violento, jogado por comida e dinheiro.
Enquanto a versão da vida real segue suas regras principais, tenta manter a violência a um mínimo. Em vez de prêmios em dinheiro e comida, os Juggers jogam por diversão. O esporte foi inventado por David Webb, o escritor e diretor de Gladiadores do Futuro. Logo após o filme ser lançado, o jogo tornou-se um verdadeiro desporto, cultivado em duas regiões diferentes da Alemanha, de forma independente.
A primeira foi Berlim, um cenário perfeito com o seu visual pós-apocalíptico durante os primeiros anos após a queda do muro, e a outra região é Hamburgo, onde o primeiro torneio Jugger ocorreu em 1995.
Jugger é jogado quase exatamente como no filme. Duas equipes de cinco jogadores lutam entre si, tentando colocar um crânio de cão dentro do gol do adversário. Em vez de uma caveira de cachorro de verdade, eles usam uma feita sinteticamente, e em vez de armas mortais, eles usam objetos bem acolchoados com softballs em uma extremidade.
Os jogadores tentam não machucar demais seus adversários, optando por toques rápidos. Se você conseguir acertar um adversário nas zonas legais (torso, braços e pernas), ele tem que ficar de joelhos com uma mão atrás das costas por alguns segundos, antes de voltar ao jogo.
Cada equipe tem um corredor, chamado “Qwik”, que não carrega nenhuma arma, mas é o único que pode tocar o crânio do cão e colocá-lo no gol adversário. Embora seja mais popular na Alemanha, Jugger está crescendo rapidamente em popularidade em todo o mundo. Na Austrália, começaram a jogar Jugger em 2000, e há equipes também na Espanha, Dinamarca, Irlanda e até mesmo Costa Rica.


 

Médica usa seringas infectadas com HIV para afastar assaltantes



Algumas pessoas usam cães de guarda para cuidar da casa, outros optam por alarmes e sistema de vigilância. Mas uma médica brasileira foi mais longe e escolheu algo bem mais extremo: seringas com sangue HIV positivo.
A ortopedista, da cidade de Sobradinho, a 22 quilômetros de Brasília, estava farta de ladrões pulando o muro de sua casa e roubando seus pertences. Eles já haviam roubado seu cortador de grama, secador de cabelo e a máquina fotográfica.  Ela decidiu dar um fim às invasões colocando centenas de seringas supostamente infectadas com HIV na parte superior do muro de metal, com uma placa dizendo: “Muro com sangue HIV. Não pule”.
Ela pode ter assustado os assaltantes, mas chocou ainda mais os vizinhos, que logo entraram em contato com autoridades, afirmando que a atitude da mulher era muito perigosa. Bastou dois dias com o sistema de anti-roubo incomum para que o gerente do condomínio comunicasse a médica que se ela não removesse as seringas dentro de cinco dias, pagaria uma multa.
No dia seguinte, a ortopedista, que preferiu não se identificar, retirou as seringas. Agora, ela terá que passar por uma avaliação psiquiátrica e pode perder licença por ter usado material contaminado retirado do hospital em que trabalhava.

Se você acha que raio não cai duas vezes no mesmo lugar, pergunte a Alice Svensson



Uma garotinha de apenas 12 anos, Alice Svensson, da Suécia, estava tomando banho durante uma tempestade (má ideia) na semana passada, quando seus pais a ouviram gritar duas vezes. No início, eles não entenderam o que aconteceu, no entanto, mais tarde, descobriram que raios haviam atingido a casa e viajado através da mangueira de chuveiro de metal que ela estava segurando duas vezes.
Alice teve um pouco de dor no braço, mas o incidente não criou problemas duradouros – com exceção de uma aversão a banho.

Adolescentes viajam o mundo fazendo exorcismos



A maioria das meninas adolescentes passa o tempo livre se divertindo em shoppings, lojas de roupas ou flertando com garotos. Mas as adolescentes da escola para exorcistas Bob Larson se interessam bem mais em expulsar demônios e trazer a paz às pessoas sofredoras.
Elas podem até parecer adolescentes comuns, mas são exorcistas experientes, que já viajaram por todo o mundo expulsando Satanás e seus companheiros de corpos possuídos. Savannah Schurkenback, Jess Shurkenback, Christina Massih, Melanie Massih e Brynne Larson, todas com idades entre 15 e 19 anos, decidiram atender o chamado do evangelista Bob Larson, quando ele anunciou que o número de pessoas possuídas estava em ascensão, enquanto o número de exorcistas treinados tinha caído. Então, elas juntaram-se a escola de exorcismo de Bob, onde estudam tudo o que precisam saber sobre a luta contra os demônios e como lidar com as pessoas possuídas.
Nem todos os exorcismos são do mesmo tipo, mas as meninas não largam o kit básico, que inclui a Bíblia, uma cruz e água benta. Elas usam essas ferramentas de trabalho enquanto dois homens grandes seguram a pessoa portadora dos demônios.
Brynne é filha de Bob Larson, e já realizou exorcismos em um homem de nada menos do que 140 quilos. Uma pessoa deste porte pode tornar o processo do exorcismo mais perigoso, mas felizmente nenhuma das meninas foi ferida até hoje. Cuspidos e vômitos são comuns, mas tudo parece valer à pena quando as garotas convencem os demônios a deixarem as pessoas em paz.
A equipe de exorcistas adolescentes tem acompanhado Bob Larson por todo o mundo ajudando-o a combater as forças do mal. Larson afirma não ter problemas com as garotas, já que as jovens meninas são mais sensíveis e puras, sendo também mais eficazes na cura dos possuídos.
As adolescentes são apenas um pequeno esquadrão de soldados do exército antidemônios. Bob Larson afirma ter 100 equipes de bem treinados exorcistas trabalhando pelo mundo. Mas mesmo assim eles não conseguem acompanhar a demanda por exorcismos – a igreja de Larson recebe mais de mil pedidos mensais por ajuda.
Exorcistas não cobram por seus serviços, mas as pessoas trazem “ofertas” e auxílio em casos de viagens longas, que podem gerar despesas de até 7 mil reais. Algumas pessoas ficam surpresas ao procurar o exorcista em sua porta e encontrar uma garota de 16 anos de idade, mas de acordo com as palavras de Bob Larson, as meninas receberam um chamado de Deus e tiveram treinamento necessário para acabar com o sofrimento dos outros.
O trabalho é árduo e as jovens afirmam que não ter tempo nem para assistir TV. Harry Potter e Crepúsculo? Nem pensar, já que as duas séries de livros e filmes são instigadores do mal. Namoros são associados a demônios da obsessão e desejo. Portanto, parece que elas vão seguir seus caminhos de exorcistas sem companheiros amorosos. Tudo para um bem maior, como elas acreditam.

Glúteo do Popeye

O mundo da medicina tem casos bem estranhos, mas este definitivamente vai subir ao topo da lista. Não por ser um caso excepcional, muito perigoso ou incurável; mas pelo nome que recebeu.
Pesquisadores ingleses receberam um homem de 42 anos que havia sofrido um acidente de bicicleta. Um caminhão bateu em sua traseira (literalmente) e, apesar do ferimento sério, o homem estava bem. Contudo, seu músculo do glúteo direito sofreu uma separação e ficou com um contorno anormal quando o homem o contraía.
Os médicos resolveram chamar o caso de “glúteo do Popeye”, em alusão ao formato do bíceps do personagem do desenho animado. De acordo com o médico responsável pelo caso, Thomas Wood, eles pensaram no desenho porque o glúteo do paciente parecia o braço do Popeye quando ele comia espinafre: seu bíceps ficava perpetuamente flexionado, com aparência de forte, como se o músculo tivesse se separado do osso.
Apesar do nome, os médicos consideraram a dor que o paciente sentia. Felizmente, eles conseguiram ligar o músculo de volta no osso usando suturas. Depois de sete semanas, o inglês já não sentia mais dores e pôde voltar ao trabalho.

Prisão brasileira usa dois gansos como “alarme”



O que faz mais barulho que um ganso? O Brasil, com seu povo criativo, seu jeitinho malandro, e seu sistema carcerário que mais parece uma piada, soube aproveitar bem os recursos: uma prisão superlotada no nordeste está usando dois gansos no seu arsenal contra potenciais fugitivos.
O diretor da cadeira de Sobral, Wellington Picanço, disse que os gansos fazem muito barulho quando sentem “movimentos estranhos”. Assim, eles alertam os guardas. Eles também ajudarão a evitar surtos de violência entre gangues rivais na instalação, já que andam pelo local, observando tudo. A prisão foi construída para abrigar 153 detentos. Ela detém atualmente 255 presos.

Cidade britânica é protegida por estranhos “super-heróis”



Se você estiver andando pela cidade de Torquay, no sul da Inglaterra, preste atenção nas suas ações e não faça nada que um vilão de histórias em quadrinhos faria, pois essa cidade é protegida por dois super-heróis.
Ok, convenhamos que são super-heróis bem estranhos que não parecem ter nenhum grande poder. Talvez o de fazer as pessoas rirem. Um consultor financeiro e um vendedor que trabalha em uma loja de quadrinhos são os improváveis defensores da cidade. Pelo menos quando estão caracterizados, patrulhando as ruas da cidade britânica todas as sextas e sábados à noite, à procura de desordeiros.
O “Espartano Negro” usa um par de ternos desgastados, escudos de polícia e capacetes que permitem que ele entre em lugares escuros. O companheiro do herói é o “Vácuo Negro”, que usa uma máscara do Homem-Aranha e carrega uma bengala para autodefesa.
A dupla que combate o crime ainda não pegou nenhum encrenqueiro, mas a fama já rendeu uma aparição em um documentário chamado “Super-heróis da Subúrbia”, transmitido na televisão britânica.
O documentário também apresenta um super-herói nerd de 17 anos que sofre de ataques de pânico e um ex-soldado de 33 anos que solta bombas de fumaça nos “vilões” da cidade, armando as emboscadas atrás de um arbusto. É, parece que tem gente levando as histórias em quadrinhos bem a sério.

Francesa injeta sangue de cavalo e se sente “extra-humana”


Uma dupla artística francesa denominada Art Orienté objet, conhecida por sua exploração de relações entre as espécies e por questionar métodos e ferramentas científicos, agora se tornou protagonista de uma das mais chocantes experiências já feitas: a injeção de plasma de cavalo em um ser humano.
O projeto, intitulado Que le cheval vive en moi (Que o cavalo viva em mim), Marion Laval Jeantet, um dos membros da Art Orienté objet, recebeu sangue de cavalo nas veias, o que a fez se sentir “extra-humana”.
O evento chocante ocorreu em fevereiro, mas Marion passou vários meses preparando seu corpo, injetando-se com pequenas doses de imunoglobulinas de cavalo, as glicoproteínas que fluem através do sangue do animal e funcionam como anticorpos na resposta imunológica de seu corpo.
A artista chamou esse processo de mitridatização (acostumar; imunizar com venenos), uma técnica que pode ter começado com o rei Mitrídates VI do Ponto (120 a.C. – 65 a.C.), que dizia ter desenvolvido imunidade a venenos através da ingestão gradual de pequenas doses deles.
Assim, em fevereiro, depois de construir sua tolerância aos compostos do animal, Marion recebeu o plasma de cavalo que continha o espectro completo de imunoglobulinas, e não entrou em choque anafilático.
Os compostos do cavalo contornaram seus mecanismos de defesa e entraram em sua corrente sanguínea, onde se ligaram a proteínas humanas. Esta síntese afetou suas funções corporais e até mesmo seu sistema nervoso durante semanas depois de Marion ter recebido a injeção.

“Eu tinha a sensação de ser extra-humana. Eu não estava no meu corpo usual. Eu me sentia hiperpoderosa, hipersensível, hipernervosa e muito desconfiada, hesitante. O emocionalismo de um herbívoro. Eu não conseguia dormir. Provavelmente, me senti um pouco como um cavalo”.
Após a transfusão de sangue, Marion colocou um objeto na perna semelhante a patas de cavalo e realizou um ritual de comunicação com um cavalo real. Em seguida, uma amostra de seu sangue foi extraída e liofilizada.
O projeto representa uma continuação do mito centauro, um híbrido de cavalo-humano que, sendo um “animal em um humano” simboliza a antítese do cavaleiro, que, como humano, domina o animal. A arte está sendo apresentada no Cassino de Luxemburgo, em Luxemburgo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...