Pés, pernas e mãos inchadas


Quando os pés e as mãos ficam inchadas a atividade física ou a simples caminhada reduzem muito o inchaço assim como o incomodo causado, outra coisa a se fazer para reduzir  inchaço das mãos e dos pés é não reduzir o consumo de água, pois isso pode agravar o problema, mas evite ingerir bebidas ricas em açúcar.
Se sente este tipo de incomodo frequentemente verifique se sofre de hipertensão arterial ou insuficiência renal. O controle destas doenças é suficiente para eliminar o inchaço. Porém o período pré menstrual, a toma de certos medicamentos e inclusive a gravidez também podem provocar este inchaço nas mãos, pés e também de forma generalizada.




Remédio caseiro para pés e mãos inchadas



Um ótimo remédio caseiro para pés e mãos inchadas é o suco diurético de melancia com pêssego e romã.
Para fazer o suco diurético corte meia melancia, dois pêssegos e meia romã e jogue no liquidificador até que fique homogêneo, se achar que o suco fica muito grosso, coloque água a gosto, mas não o adoce. Também é possível colocar as sementes da romã, já no suco pronto e beber gelado assim que acabar de o fazer para não perder seus nutrientes.
A alimentação diurética aumenta a necessidade  de ir ao banheiro, purificando o corpo e reduzindo o inchaço.


Remédio Caseiro para Pernas Inchadas

Um excelente remédio caseiro para pernas inchadas é a lavagem de água e sal. Para preparar este remédio é preciso 3 litros de água, meio copo de sal grosso e 2 colheres (sopa) de álcool.
A água deve ser colocada no fogo até amornar, e depois ser despejada em um recipiente para que o sal e as 2 colheres de álcool sejam adicionados.

As pernas devem ser deixadas de molho durante 20 minutos, de preferência faça lavagens do joelho até os pés. As lavagens devem ser feitas antes de dormir, será perceptível a diminuição do inchaço nas pernas.

Algumas das principais causas das pernas inchadas são:
  • Má circulação sanguínea,
  • Fator genético,
  • Alteração hormonal: como na gravidez e a menopausa,
  • Idade: quanto mais idoso, pior,
  • Doença cardíaca: causa má circulação,
  • Doença venosa prévia: aumenta as chances de um novo episódio,
  • Ambientes quentes: como saunas e exposição solar prolongada,
  • Sedentarismo: diminui o fluxo sanguíneo para as pernas,
  • Fumo: o tabaco prejudica a fluidez do sangue,
  • Má alimentação: favorece o aumento do peso, sendo uma sobrecarga às pernas,
  • Cansaço.
Quando uma boa noite de sono com as pernas um pouco mais elevadas que o corpo não resolve o problema e outros sintomas como dor, coceira e cãibras estão presentes é necessário ir à uma consulta médica.
Alimentar-se corretamente, fazer caminhadas e beber bastante água são algumas formas de combater o inchaço das pernas. Para além disso é preciso eliminar os outros fatores de risco, citados acima.


Inchaço no inverno

As mãos são mais atingidas por estarem mais expostas, não só ao ar frio, mas também à água fria (nestes dias de baixas temperaturas em que a água fica quase congelada). O desconforto é muito grande e o tratamento deve ser iniciado. Mas o essencial, mesmo, é fazer uma efetiva proteção das mãos e dos pés. Indispensável usar-se luvas e meias de lã.
Vários problemas de saúde estão relacionados com as estações do ano. Alguns problemas de pele ocorrem mais em meses de inverno, além de outros, mais comuns nos meses de verão. Existe uma uma doença de pele típica dos anos em que o frio é muito intenso e persistente, com uma sequência de dias em que a temperatura beira os cinco graus centígrados, ou menos.
A doença a que vou me referir foi motivo de dezenas de consultas. As pacientes (a grande maioria das consulentes eram mulheres) queixavam-se de inchaço dos dedos das mãos, que ficavam de cor vermelho-arroxeada, com dor e dificuldade para sua movimentação. Ocasionalmente lesões semelhantes também ocorriam nos dedos dos pés, os artelhos.

Casos mais graves apresentavam feridas nos dedos das mãos, de difícil cicatrização. Esta doença decorre de uma sensibilidade exagerada ao frio. O frio provoca nos pequenos vasos da pele (os capilares) a formação de minúsculas obstruções, levando à insuficiência de nutrição dos componentes da pele. Surge a inflamação local, com todos aqueles sintomas já descritos.
Ao executar trabalhos de copa, em casa ou no emprego, utilizar água quente, ou pelo menos água morna. Proteger bem a cabeça, pois nariz e orelhas são igualmente sensíveis ao frio e podem ai ocorrer os mesmos inchaços dolorosos. Evitar fumar. No Brasil estamos acostumados com um clima quente, que vai do temperado ao tropical, então não é hábito tomarmos os cuidados adequados, quando o frio é intenso.
Esta forma especial de sensibilidade ao frio é chamada de “eritema pernio” (alguns dizem simplesmente perniose).
A perniose deve ser distinguida de outras doenças induzidas pelo frio, nomeadamente o Lupus pernio e doenças hematológicas sensíveis ao frio. Pelo que alertava que, se alguém tiver um quadro sugestivo de frieiras, mas que se prolongue por mais de quatro semanas, deverá recorrer ao seu médico assistente, e eventualmente ser referenciado a consulta de dermatologia para ser realizado um estudo mais detalhado.

Com relação a fármacos, apenas a Nifedipina tem estudos que comprovam a sua eficácia no tratamento da perniose. As outras terapêuticas, habitualmente, sugeridas carecem de ensaios que justifiquem a sua utilização. A Pomada Minancora, o Nizoral, o Oceral e o Zanoc também podem ajudar no tratamento da perniose.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...