As origens e sabores das frutas

Existem vários tipos de frutas consideradas comestíveis em diversas partes do mundo. Muitos frutos (do ponto de vista biológico) são consideradas legumes no sentido culinário, um bom exemplo é o tomate. As frutas de clima temperado são quase todas produzidas em árvores ou arbustos lenhosos ou lianas.
Contudo elas não se desenvolvem adequadamente nas regiões tropicais (de clima quente), precipitação atmosférica regular e temperatura média anual superior a 22 °C. Isto, porque existe a necessidade fisiológica de alguns dias de baixas temperaturas, cerca de 5 a 15 °C, em cada ano anterior à floração.


As principais frutas de clima temperado são a ameixa, a ameixa-japonesa, a cereja doce, o damasco, a framboesa, a maçã, a nogueira-europeia, a pêra, a uva-americana e a uva-europeia porque elas são amplamente cultivadas e também consumidas globalmente, devido à sua enorme adaptabilidade.
Porém, existem outras frutas de grande importância local, não figurando entre as espécies produzidas predominantemente para o comércio. Estas são frequentemente extraídas da natureza. A família Rosaceae predomina entre as principais plantas produtoras de fruto de clima temperado pela sua importância e também pelo grande número de espécies.
A maçã, a pêra, o damasco, o pêssego, ameixa e cereja são exemplos de frutas desta família.
Você sabia?
O Fruto da roseira é usado geralmente para o preparo de geleias ou chá de ervas.
Bagas significa qualquer pequena fruta, que pode ser totalmente consumida e que, eventualmente, não possui sementes. As mais conhecidas frutas desse grupo são as amoras e as framboesas. As verdadeiras bagas estão predominantemente na família Ericaceae.
Você sabia?
Os morangos não são frutos nem bagas, mas podem ser assim considerados para efeito comercial.
As Frutas subtropicais e do Mediterrâneo não suportam condições de temperatura baixa continuada, mas resistem a episódios de frio intenso e geada. Alguns exemplos são as azeitonas, os figos, as uvas e as amoras pretas. As espécies cítricas comumente comercializadas são um tanto quanto resistentes as geadas.
A laranja, o limão e a tangerina são alguns exemplos. As frutas tropicais são produzidas por plantas de todos os tipos de habitat. A única característica comum que elas compartilham entre si é a sua intolerância às geadas. No entanto, algumas se desenvolvem bem em ambientes secos e outras só crescem em matas ciliares ou ainda em áreas inundadas.
Há aquelas que vivem apenas em solos arenosos do litoral e as que precisam de solos argilosos e estação fria. Exemplos: abacate, açaí, acerola, banana, coco, pitanga e manga.
Você sabia?
O Caqui e o Kiwi frutas nativas da Ásia que não eram muito conhecidas em outros lugares até o século XX.
Diversos cactos produzem frutos comestíveis, que são uma importante e tradicional fonte de comida para alguns povos nativos da América. Exemplos: Pitaya, Figueira-da-Índia, Saguaro e Verguita. Existem frutas que não se desenvolvem em árvores perenes, assim como o melão e a melancia.


Descrição das Frutas mais Populares

Abacate: Fruto do abacateiro, uma árvore que pode atingir até 20 metros de altura. Suas folhas são utilizadas no preparo de chá, bom para a digestão, para combater infecção de garganta e tosse.
São conhecidas mais de 500 espécies de abacate. O abacate pode ser consumido sob a forma de salada, sopa, conserva e vitamina. A parte comestível é a polpa verde-amarelada, de consistência mole, rica em proteínas, gordura, fósforo, açúcares e vitaminas. Como sua gordura é facilmente digerida pelo organismo, pode estar presente na dieta das pessoas que apresentam problemas digestivos.  Possui forma arredondada e pesa entre 500 a 1500 gr. A coloração da casca varia do verde ao vermelho-escuro.

Abacaxi: Oriundo da América do Sul e cultivado em qualquer região quente do mundo. Tem grande aceitação em todo o mundo. Quando maduro o abacaxi apresenta sabor muito ácido e muitas vezes adocicado. É rico em vitaminas C, B1, B6, ferro, magnésio e fibras. A polpa, as cascas e o miolo do abacaxi podem ser utilizados para a produção de sucos. Previne dores de garganta e resfriados e é bom para a circulação. Servindo também como tempero para amaciar carnes. O abacaxi pode ser consumido in natura, industrializado sob a forma de geleia, vinho, cristalizado, passa, licor e suco. O abacaxizeiro é atinge um metro de altura, já era cultivada pelos indígenas antes mesmo do descobrimento do país.

Acerola: Nativa da América Central, América do Sul e das ilhas do Caribe, conhecida também como cereja das Antilhas. É muito conhecida por causa do seu grande teor vitamina A, B1, B2, B3, cálcio, fósforo e ferro. Com apenas dois frutos as necessidades diárias de vitamina C são sanadas. Quanto mais verde a fruta estiver mais vitamina C terá. As acerolas podem ser doces, ácidas e super-ácidas sendo que sua utilização é maior na produção de sucos, o que não a restringe a outras finalidades. A fruta é bastante utilizada em casos de gripe, afecções pulmonares, doenças do fígado, doenças nasais e gengivais. Nasce de uma árvore chamada aceroleira que possui aproximadamente três metros de altura.

Ameixa: De cor vermelha, amarela ou roxa escura é carnosa e suculenta. Possui alto valor nutritivo, é rica em açúcar, sais minerais (cálcio, fósforo e ferro) e algumas vitaminas, como as vitaminas do complexo B, que evitam problemas de pele e reumatismo. É indicada contra a prisão de ventre por seu poder laxativo. Possui mais fibras do que qualquer outra verdura, fruta ou feijões secos. A ameixa seca repõe nutrientes minerais como ferro, zinco e potássio, esse ajuda a diminuir a pressão sanguínea e melhora a saúde dos ossos. A ameixa é utilizada no preparo de doces, conserva e geleia.Durante a maturação, a ameixa sofre mudanças de cor, aroma, sabor e textura. Cada 100 gramas de ameixa fresca contêm 47 calorias.

Amora: É cultivada na Ásia norte ocidental, Europa, América do Norte e outras regiões de clima temperado. A amora é uma fruta altamente nutritiva de sabor doce e um pouco ácida. Composta por 85% de água e vários minerais e vitaminas, a fruta é indicada no controle de hemorragias e da pressão arterial, além de exercer uma função antioxidante. A amora é apreciada in natura ou usada na fabricação de geleias, sucos, doces, sorvetes, vinhos, licores, etc. Existe um grande número de espécies. A amora é indicada para a cultivação em pequenas propriedades, principalmente em regiões mais frias, como no sul do Brasil. É recomendável fazer o plantio nos meses mais frios do ano.

Banana: De origem asiática, atualmente são cultivadas em diversas regiões do planeta.  Existem aproximadamente cem variedades de bananas cultivadas em todo o mundo. Rica em sacarose, frutose, glicose, fibras e sais minerais, como cálcio, ferro, sódio, zinco, potássio, magnésio, fósforo, e vitaminas, como a A, B1, B2 e C; possui poucos lipídios, sendo, portanto, de fácil digestão. Atua como calmante intestinal, estimula a produção de serotonina, melhora a circulação sanguínea e pressão arterial, e também previne câimbras. Além disso, sua casca pode ser reaproveitada na preparação de bolos, doces, pães e até bifes empanados e é utilizada na medicina natural para estimular a cicatrização de feridas.

Caju:  É rico em vitamina C e ferro e ajuda a proteger as células do sistema imunológico contra os danos dos radicais livres. Seu cultivo é muito comum no nordeste brasileiro. O cajueiro é uma árvore originária do Brasil, nativo da região litorânea. Suas folhas são eficazes na cicatrização de feridas. Além de ser consumido natural, o caju pode ser utilizado na preparação de sucos, mel, doces, passas, sorvetes e licores. A castanha, depois de torrada, é utilizada como petisco, sendo exportada para quase todo mundo. A castanha verde é usada em pratos quentes. O suco de caju é industrializado e muito apreciado em todo o país. A casca do caju é usada no tratamento de afta e infecções na garganta.

Caqui: Originário da China e muito popular no Japão, o caqui é uma fruta bastante doce e que apresenta grandes quantidades de água em seu interior. O cultivo do caquizeiro é feito em várias partes do mundo de clima temperado e subtropical. Um caqui possui o tamanho aproximado de uma maçã, porém se assemelha muito com o tomate. A fruta possui um alto valor calórico se comparado com outras. É bastante utilizada no cardápio de esportistas. É rico em vitaminas A e C, possui cálcio, ferro, proteínas e é considerado alcalinizante e antioxidante. O caqui é consumido principalmente como fruta de mesa e também pode ser utilizado na fabricação de caqui cristalizado e vinagre.

Carambola: Originária da Índia, de cor verde ou amarela e sabor agridoce. A caramboleira é uma árvore de pequeno porte, é bastante usada na ornamentação de quintais e jardins. Uma caramboleira pode durar cerca de 50 a 70 anos. A fruta possui um formato semelhante ao de uma estrela, por isso também é conhecida como star fruit. A carambola possui cinco gomos e uma polpa de consistência rígida. A fruta é encontrada na grande maioria das vezes, em pomares pequenos, quintais e sítios, seu cultivo não é feito em escala. A carambola é uma fonte rica em sais minerais e vitaminas A, B1, B2, C, além de fósforo e potássio. A fruta é consumida in natura ou usada na fabricação de geleias, caldas, sucos e compotas.

Castanha do Pará: O fruto é esférico, de 11 a 14 cm de diâmetro, com peso variando entre 700 gramas e 1500 gramas. É uma fruta típica do norte do Brasil e um dos principais produtos de exportação da Amazônia. Possui alto valor proteico e calórico além de ser rica em selênio, substância que reduz o risco de cânceres como o de pulmão e de próstata e combate os radicais livres, agindo contra o envelhecimento, fortalece o sistema imunológico, atua no equilíbrio da tireoide. Pode ser consumida in natura, torrada, na forma de farinhas, doces e sorvetes. O óleo da castanha é usado na fabricação de produtos de beleza para o cabelo. A polpa é branca, farinhenta e saborosa.

Cereja: É uma fruta pequena, arredondada, de cor vermelha e com polpa macia e suculenta. Rica em vitamina A, B e C, além de conter cálcio, ferro, fósforo e proteínas, o fruto da cerejeira é muito apreciado por combater os radicais livres e ajudar na digestão. Quando consumida in natura tem propriedades refrescantes, diuréticas e laxativas, e por ser rica em ácido salicílico é indicada no tratamento e combate ao reumatismo, gota, artrite e redução do ácido úrico. É uma fruta pouco calórica que contém muita fibra, o que auxilia no funcionamento do intestino. Com altas concentrações de antocianina, a cereja fresca é considerada um anti-inflamatório natural, prevenindo inflamações e acalmando dores no corpo.

Coco: É um fruto carnoso, de casca fibrosa, endocarpo duro, de semente esbranquiçada e suculenta utilizada na alimentação juntamente com a água que se encontra dentro da semente. É rico em proteínas, gorduras, calorias, vitaminas A, B1, B2, B5 e C, potássio, sódio, fósforo, cloro e fibras. Como benefício ao organismo atua como adstringente para as hemorroidas, como diurético e ainda é indicado em situações de diarreia, vômitos, câimbras, dor de cabeça, problema cardíaco, pressão alta e desidratação. Também hidrata a pele, diminui o colesterol, combate a verminose, controla a pressão arterial, repõe energia, depura o sangue, diminui febre e auxilia no tratamento de úlcera estomacal.

Cupuaçu: Alongado, grande, pesado e de casca dura, contendo uma polpa branca e carnuda, envolvendo suas sementes, de tamanho grande. É nativo da região amazônica, encontrada com frequência nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Sua polpa é amplamente utilizada na fabricação de sucos, geleias, cremes, sorvetes, biscoitos, compotas e até mesmo licores. As sementes são também aproveitadas para a retirada de sua manteiga, utilizada na culinária, para a fabricação do cupulate; ou para a fabricação de pomadas, batons, cremes e xampus. Auxilia na redução da glicemia e do mau colesterol, ajudando no emagrecimento pois reduz a saciedade. O extrato de sua semente é capaz de inibir ou diminuir a progressão de cáries.

Figo: Originário da região do mediterrânea. Seu formato é semelhante ao da pêra e mede entre 3 e 7 cm. Pode ser encontrado de vários tipos com tamanho, forma e cor diferentes. Valinhos, localizado no interior de São Paulo é considerado destaque na produção de figo. O figo é altamente energético, por ser rico em açúcar. Contém vitamina C, sais minerais como potássio, cálcio e fósforo. Combate inflamações do sistema respiratório. Possui ação laxativa suave, por conter fibras solúveis. Ajuda na prevenção do câncer, devido à presença da substância benzaldeído. O figo verde é usado na produção de doces e compotas, o maduro é consumido in natura e utilizado na preparação de doces em pasta.

Goiaba: Apresenta grande quantidade de vitamina A, B1, C, cálcio, fósforo, ferro e fibras solúveis. Existem, aproximadamente, 2.800 espécies. São utilizadas in natura (forma que ativa todos os nutrientes do fruto), na culinária, na preparação de doces, sucos, geleias e outros. Além de não conter muito açúcar, gordura e calorias a goiaba auxilia no combate a infecções e hemorragias, fortifica os ossos, os dentes e o músculo cardíaco, melhora a cicatrização e o aspecto da pele, retardando o envelhecimento, regula o aparelho digestivo, o sistema nervoso e dá maior resistência física. Deve somente ser evitada por pessoas cujo aparelho digestivo é delicado ou por pessoas que apresenta problemas de intestino preso.

Graviola: Originária da América Central. O peso varia entre 2 a 6 quilogramas, podendo atingir até 8 kg. Superficialmente, o fruto é envolvido por um tegumento verde, possuindo pequenas projeções espinescentes. Seu interior apresenta uma polpa (correspondendo a 65% da massa) contendo favos pouco distinguíveis, com sabor agridoce, textura macia e um grande número de sementes. É empregado industrialmente na fabricação de sucos, sorvetes e doces. Além de ser uma excelente fonte de vitamina C e do complexo B, também possui alto teor de ferro, cálcio, potássio, fósforo e carboidratos. Possui efeito antidiurético, antiinflamatório, anti-reumático, antiespasmódico, anticancerígeno.

Guaraná: Descoberto pelo botânico alemão F. C. Paullini, o guaranazeiro é um arbusto encontrado no Brasil, especialmente na região da Amazônia, e Venezuela. Seu fruto, o guaraná, é relativamente pequeno, possui uma casca vermelha e polpa branca. O guaraná se assemelha muito com a forma de um olho.  A colheita do guaraná é feita de forma manual, retirando cacho por cacho. O guaraná contém um grande teor de cafeína (2 a 5% contra 1 a 2% do café), conferindo a ele a capacidade de diminuir a fadiga física e mental, produzir uma maior rapidez de raciocínio, entre outras. O guaraná também possui ação tônica cardiovascular, diurética, auxilia no combate a cólicas e enxaquecas. O guaraná é utilizado na fabricação de xaropes, barras, pós, refrigerantes e pela indústria farmacêutica.

Jabuticaba: Nativa da Mata Atlântica, a jabuticaba tem um formato arredondado e uma coloração roxo-escura. Sua polpa branca possui algumas pouquíssimas sementes e é de sabor doce. Existem cerca de 12 a 15 diferentes espécies de jabuticaba. É utilizada na produção de vinhos, sucos, geleias, licores e vinagres. É uma fruta encontrada quase que exclusivamente em pomares domésticos e pequenas plantações. Rica em ferro, também contém em menores quantidades, cálcio, fósforo e vitamina C, que dá resistência ao organismo contra infecções. A jabuticaba ainda tem a vantagem de conter vitaminas do complexo B, que possuem a função de evitar problemas de pele, reumatismo e queda de cabelo.

Jaca: É cultivada em toda região Amazônica e toda a costa tropical brasileira. A fruta nasce no tronco e nos galhos inferiores da jaqueira e são formados por gomos, sendo que cada um contém uma grande semente recoberta por uma polpa cremosa. Apresenta cor amarelada e superfície áspera, quando madura. O fruto chega a pesar até 15 Kg. É rico em carboidratos, minerais, como cálcio, fósforo, iodo, cobre e ferro. Contém vitaminas A, C e do complexo B. Pode ser consumida in natura, cozida, na preparação de doces e geleias caseiras. As sementes, sem pele e cozidas também podem ser consumidas como tira-gosto. O bagaço da fruta é utilizado na preparação de sucos, geleia e doces.

Laranja: Fruto cítrico nativo da Índia e suas proximidades. É bastante conhecida pelo seu baixo valor calórico, seu sabor variável entre o doce e o levemente azedo, sua ação antioxidante, sua ação fortalecedora no sistema imunológico e ainda pela sua grande quantidade de vitaminas A, B, C e ainda cálcio, fósforo, fibras, flavonóides, óleos e ferro. É formada por gomos amarelo-claro à vermelho que abrigam o suco da fruta que é utilizado ao natural em sucos, doces e outros. Por existir várias espécies, sua acidez e seu sabor podem variar. É bastante consumida por crianças, por pessoas com problemas digestivos e intestinais e ainda melhora a condição de diabéticos e enfermos de gota.

Maçã: A fruta mais cultivada do mundo é originária da Ásia e da Europa. Existem mais de 2,5 mil espécies de maçã. Seu cultivo exige clima temperado. O consumo de uma maçã por dia previne e mantém a taxa de colesterol. É eficaz para o emagrecimento, devido à presença de pectina, que atua dificultando a absorção das gorduras e da glicose. A maçã é rica em fibras, vitaminas B1, B2 e sais minerais (fósforo e ferro). Auxilia o bom funcionamento intestinal, contém propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas e antivirais. Combate os radicais livres por conter flavanóides, prevenindo assim o envelhecimento precoce. Colabora com a higiene bucal, limpando os dentes e fortalecendo as gengivas.

Mamão: O mamão é o fruto do mamoeiro, pertencente à espécie do gênero da Carica papaya. O termo “mamão” é utilizado para identificar o fruto mais alongado e adocicado. Já o termo “papaia” identifica o fruto mais arredondado. Possuem casca macia, amarela ou esverdeada. A polpa é doce e macia, sua cor varia do amarelo-pálido até o laranja. É típico de regiões tropicais e subtropicais, é conhecido por papaia no México; passaraiva no Nordeste do Brasil. É encontrado durante o ano todo. Seu tamanho, peso, sabor e cor variam de acordo com a espécie. O mamão pode ser consumido in natura, sob forma de doces, sucos e saladas. É rico em nutrientes. Contém grandes quantidades de sais minerais, cálcio, fósforo, ferro, sódio e potássio, vitaminas A e C. Tem propriedades laxativas e calmantes. Ao consumi-lo deve-se observar se não há rachaduras, partes escuras e picadas de insetos. Antes do amadurecimento, o mamão produz a papaína, uma enzima utilizada em medicamentos contra má digestão. No Brasil são conhecidas mais de 57 variedades de mamão.

Manga: Considerada uma das frutas mais delicadas, é suculenta, de sabor muito exótico, está presente em diversas regiões do mundo. A mangueira pode atingir entre 35 e 40 metros de altura. A fruta tem tamanho e formato variado, sua coloração pode variar em amarelo, laranja e vermelho. Quando madura, sua cor tende a ser amarelada, porém pode ocorrer da fruta estar madura, mas com coloração verde. A fruta pode ser degustada in natura, pois é rica em vitaminas, minerais e antioxidantes. Por conter uma grande quantidade de ferro é bastante indicada para tratamentos de anemia. É uma das frutas mais consumidas em todo o mundo. É contabilizado hoje um número entre 500 e 1000 variedades existentes.

Maracujá: O maracujazeiro é originário da América Tropical e possui mais de 150 espécies. As espécies mais cultivadas são maracujá-amarelo, maracujá-roxo e o maracujá-doce. O maracujá-amarelo representa mais de 95% da produção no Brasil. Pode ser consumido tanto em seu estado natural quanto em doces e sucos. As propriedades calmantes presentes no maracujá deve-se às substâncias alcalóides e bioflavonóides que atuam deprimindo o sistema nervoso central. O maracujá possui alto valor nutritivo, como vitamina C, vitaminas do complexo B e sais minerais. Durante a compra é interessante observar os de casca brilhante, lisa e firme. Os mais pesados são os que possuem mais polpa.

Melancia: Fruta rasteira, originária da África. O fruto é arredondado ou alongado, de polpa vermelha, doce, com alto de teor de água. A casca é verde e lustrosa, com estrias verde-escuro no sentido do comprimento. Além do alto teor de água, a fruta contém açúcar, vitaminas do complexo B e sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro. É cultivada ou aparece quase espontaneamente em várias regiões do Brasil. Geralmente a melancia é consumida ao natural, como sobremesa, principalmente no verão. A polpa pode ser utilizada no preparo de suco e compota. Conserva-se bem durante uma semana, em lugar fresco e arejado.

Melão: Possui características variáveis de acordo com a sua espécie. Sua polpa é carnosa e suculenta contendo grande quantidade de água (cerca de 90%), cálcio, fósforo, ferro, vitaminas do complexo B e ainda A, C e E. O fruto possui funções calmantes, diuréticas, fortificantes e laxantes, também auxilia no tratamento de gota, obesidade, artrite, colite, prisão de ventre, nefrite, cistite, corrimento das mulheres, afecções renais. É bastante indicado para dias muito quentes, pois repõe a água e os nutrientes perdidos e ainda tem ação refrescante. O melão do tipo cantalupe (tipo americano) tem maior quantidade de vitamina A, C, E e outras do complexo B. O melão mais conhecido no Brasil é o melão-valenciano.

Morango: Atualmente, existem mais de 15 variedades de morangueiros. Desta planta origina-se o morango, cuja parte vermelha, comestível, é, na verdade, o receptáculo floral desenvolvido. O morango é suculento, saboroso, e bastante versátil, tendo a vantagem adicional de ser pouco calórico. Ele é rico em vitaminas C e B5; fibras, cálcio, ferro e também flavonoides. Assim, é benéfico na prevenção e cura de infecções, cicatrização de ferimento e bom funcionamento do sistema nervoso, cardíaco e digestório. Além disso, oferece resistência aos tecidos, ossos e dentes; sua ingestão pode reduzir o colesterol e também prevenir o escorbuto (oito morangos possuem mais vitamina C do que uma única laranja).

Pêra: É bastante apreciada por causa do seu sabor suave e por possuir vitamina A, B, C, sódio, potássio, cálcio, fósforo, enxofre, magnésio, silício e ferro, sendo uma das frutas que mais possui sais minerais. A pêra é pouco calórica e bastante utilizada em dietas e é facilmente absorvida pelo organismo. A pêra pode ser utilizada em tratamentos cardíacos, prisão de ventre, inflamação intestinal e na bexiga, na formação dos ossos, dentes e sangue, além de auxiliar o sistema nervoso. Deve ser mantida em local fresco e seco evitando a utilização da geladeira já que essa altera seu sabor e seu aroma. Pode ser utilizada em geleias, compotas, tortas, cremes, sobremesas, sorvetes além de também ser consumida in natura.

Pêssego: Quando está fresco é a fruta que menos possui caloria sendo muito recomendada em dietas ou para quem deseja manter o peso. Possui vitamina A, C, D, sais minerais, ferro, fósforo, iodo, cobre, manganês, carboidratos, fibras e cálcio. Pelos nutrientes que possui, beneficia o intestino, evita problemas na pele, no aparelho digestivo, no sistema nervoso, reumatismos, reduz o colesterol do sangue e outros. Pode ser consumido em forma de suco, geleia, doces, bolos, tortas e puro. Ao comprar pêssego é necessário atentar para as suas características. A fruta deve estar com a casca firme e sem marcas de insetos. Para melhor conservação guarde-a em geladeira.

Pitanga: Nativa da Mata Atlântica, tem sabor agridoce, polpa aquosa, rosada e perfumada. A casca costuma ser branca, alaranjada ou vermelho-escuro. A palavra “pitanga” vem do tupi-guarani, que significa vermelho. A pitangueira é usada como árvore ornamental em várias cidades brasileiras. Um dos principais produtores da fruta é o estado de Pernambuco. A pitanga é arredondada, achatada nas extremidades. Contém vitaminas A, C, do complexo B, cálcio, ferro, fósforo. A coloração vermelha da fruta deve-se à presença de licopeno, antioxidante eficaz no combate ao câncer. Pode ser consumida ao natural, em sucos, sorvetes, geleias, vinhos, licores e doces.

Romã: Originária do Oriente Médio e da Ásia Menor, possui uma polpa comestível, além de pequenas sementes. No Brasil, a romã chegou através dos portugueses. A romã possui uma importância histórica grande, uma vez que fez parte do contexto cultural de muitos povos. A romã é uma fruta oxidante, mineralizante e refrescante. O chá produzido pelas cascas do fruto é eficaz contra infecções de garganta. Além disso, é usado no combate a diarreias e disenterias. Existem dois tipos de romãs. A romã amarela possui uma grande quantidade de sementes e um pequeno mesocarpo (parte carnosa). Já a vermelha possui um pequeno número de sementes e uma grossa camada carnosa, sendo, portanto, o tipo mais vendido.

Tamarindo: Originário da África equatorial e da Índia. O tamarindo é uma vagem revestida por uma casca não muito grossa, porém dura e quebradiça. No interior da casca, há uma polpa avermelhada, fibrosa, com um alto teor de ácido tartárico. No período em que as frutas estão amadurecidas, as sementes crescem, a polpa se encolhe e a casca se torna frágil, sendo quebrada facilmente com a mão. Entre todos os outros frutos, o tamarindo é o que possui o maior teor de proteínas, glicídios e elementos minerais. O tamarindo é utilizado na fabricação de vários alimentos, além de servir como tempero. Suas sementes também são usadas como estabilizantes de sucos, outros alimentos industrializados e cola de tecidos.

Uva: Originada da Europa e Oriente Médio, a uva é um fruto da videira. Além de ser uma fruta altamente energética, certas substâncias presentes na fruta ajudam a reduzir a pressão sanguínea através da dilatação das artérias. O suco da fruta também combate a acidez sanguínea, auxilia a digestão e possui capacidade desintoxicante, além de combater o envelhecimento. Existem também as uvas sem sementes, muito apreciadas para o consumo natural, e aquelas especialmente destinadas à fabricação industrial de vinhos. Além da fabricação de vinho, a fruta é utilizada para se fazer sucos e geleia. A fabricação do vinho se iniciou desde 6000 a.C.


Fontes: www.brasilescola.com / pt.wikipedia.org
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...