Cuidados que se devem ter com os olhos no inverno

Nem só de maquiagem se faz um belo olhar, mas também de muita atenção aos sinais de algum problema, como ressecamento ou coceira. Oftalmologistas fazem um alerta sobre nossos hábitos e indica a visita ao seu especialista sempre que necessário.

Assim como no ginecologista, onde precisamos ir pelo menos uma vez por ano, a ida ao oftalmologista também deve ser regular. Quem já usa óculos, deve fazer a aferição de grau também uma vez por ano. Caso tenha algum problema mais grave, como glaucoma, a visita pode ser mais frequente, pelo menos uma vez a cada seis meses.

Na estação mais fria do ano, não podemos nos descuidar! As baixas temperaturas, aliadas à poluição e ao tempo seco em algumas cidades, como Brasília, podem causar de ressecamento em diferentes graus até conjuntivite alérgica, que pode evoluir para outros tipos, como a viral ou a bacteriana.

O ideal é evitar locais fechados e manter sempre as janelas abertas para ventilar.

Os olhos secos devem ser sempre hidratados, mas não se iluda: colírios não são tão inofensíveis assim e é preciso indicação médica para usá-los.

Os colírios simples quase não tem contra-indicação, mas são um medicamento, além de possuirem também substâncias vasoconstritoras, como a nafosalina, que podem acabar "viciando" os olhos.

Na hora, os olhos ficam limpos, mas depois ressecam ainda mais. As chamadas lágrimas artificiais e lubrificantes oculares também são uma solução.

"Mas é preciso ir ao médico para que ele prescreva a melhor medicação, já que há diferentes lubrificantes, mais aquosos, menos, de acordo com o ressecamento".

Lavar sempre as mãos e evitar coçar os olhos também são importantes para evitar uma contaminação ou lesão ocular. Além disso, mesmo em dias nublados, não se engane: é preciso sempre usar óculos escuros!

"Até em dias sem sol, um pouco mais frios, a incidência dos raios ultravioletas existe e não podemos descuidar dos olhos e protegê-los da radiação solar".

Quem usa lentes de contato deve ter o cuidado redobrado! O ressecamento das lentes é comum nesta época do ano e pode contribuir para uma infecção ou outro problema. É preciso ter muito cuidado e ir no médico para checar o grau de hidratação da lente, saber se ele é adequado ao nível de hidratação do paciente. Geralmente, é recomendado o uso de lágrimas artificiais também. Quem usa óculos deve mantê-los sempre limpos também.

 

De olho nas olheiras

Nós, mulheres, somos aversas a qualquer tipo de marca indesejada. Estando elas localizadas no rosto, então, o tormento fica maior ainda. É uma espinha estrategicamente posicionada, a cicatriz que anula qualquer tentativa de uniformidade, rugas, pés-de-galinha, olheiras enormes, capazes de ofuscar o olhar mais penetrante. Pois é delas mesmo que vamos falar: as tão temidas olheiras, aquelas enooormes manchas roxas embaixo dos olhos, um acidente de percurso, tremendo inconveniente estético. Se você olhou no espelho e se deparou com uma estranha pigmentação abaixo dos olhos, calma! Não adianta chorar sobre as olheiras derramadas, já que piora a situação. Para deixar você descansada, e com a aparência menos abatida, fomos atrás dos tratamentos mais eficazes.

Olheiras são sinônimo de dormir pouco ou não dormir bem. No entanto, nem sempre têm a ver com o sono. Essa hiperpigmentação suborbital é causada por diversos motivos, dentre eles a genética, a etnia e até mesmo o avanço da idade, que faz com que a pele fique mais fina nessa área. E o quadro pode se tornar ainda pior devido a fatores cotidianos, como noites maldormidas, cigarro, excesso de bebidas alcoólicas, café e o período menstrual, pois estimulam o fluxo sangüíneo e dilatam os vasos da região.

A questão é a seguinte: a pele que cobre a área dos olhos é muito delicada, tem apenas 0,4 mm de espessura, enquanto a do corpo mede 2 mm. Assim, um acúmulo extra de melanina (o pigmento que dá cor à pele) ou de vasinhos nessa região acaba transparecendo, o que explica a tonalidade arroxeada na área.

Podemos dizer que a principal razão é a congestão de vasos sangüíneos na região abaixo dos olhos. Dormir pouco também pode acentuar o problema, que tem tratamento de acordo com cada histórico.

Dependo da causa, as olheiras vão ser de três tipos.

São elas: vasculares, provenientes da dilatação dos vasos; pigmentares, que aparecem pelo excesso de melanina; e as bolsas profundas ou sulcos palpebrais, quando a pessoa acumula líquido ou gordura abaixo dos olhos. Claro que você não vai, a partir dessa breve definição, assumir que tem uma ou outra. O ideal é consultar um especialista para obter diagnóstico mais preciso. As olheiras podem, ainda, ser momentâneas, decorrentes de horas insuficientes de sono, ou crônicas, sempre presentes. A primeira vai embora com um bom descanso, simples assim. Por outro lado, a segunda exige maior trabalho para ser banida. O tratamento exige paciência e disciplina.

"Ele é gradual e cada paciente reage de uma forma".

Os cremes mais indicados contêm em suas formulações componentes como a hidroquinona, o ácido fítico e o ácido kójico, associados à vitamina C tópica.

 

Laser nelas

Porém, apenas esses produtos não resolvem o problema. A dermatologista revela que, para um melhor resultado, o método deve ser conjugado com o laser, ou luz intensa pulsada. Os lasers utilizados para tratar as olheiras vasculares são os que têm afinidade com a hemoglobina, ou seja, o Vasculight ou o Photoderm, indicados somente para quem tem de pele clara à morena clara.

“Com duas seções já é possível diminuir significativamente as olheiras",

acrescentando ainda que os que possuem olheiras pigmentares podem adotar o laser Erbiun ou o CO2, sendo que, nesse caso, o tratamento é mais limitado.

Para diagnosticar o tipo de problema e o procedimento adequado, recomenda-se que o paciente consulte um cirurgião plástico, um dermatologista, ou busque diretamente um centro de laser, onde os profissionais poderão averiguar as causas. "É comum haver a junção de dois tipos de olheiras e, freqüentemente, é necessário fazer um tratamento conjunto. O diagnóstico deve ser feito por esses especialistas". Mas, atenção, é preciso ter cuidado especial com o excesso de luz solar durante e depois do tratamento. Portanto, use e abuse do protetor!

Como vimos, não são somente as manchas roxas que, sem trocadilhos, tiram o sono de qualquer uma. Há quem carregue, e sem trocadilhos de novo, bolsas ao redor dos olhos. Elas aparecem de forma bem saliente e dão a impressão de que você está participando de uma maratona de insones. Nesse caso, uma micro cirurgia resolve o problema, caso o laser não tenha atingido resultados satisfatórios. São feitas micro-incisões na pele, os vasinhos são coagulados, e a gordura ou líquido, removidos.

“Mas só recorra a este método se o laser realmente não tiver funcionado para o seu caso".

 

Para disfarcar

Agora, se você tem olheiras menos aparentes ou morre de medo de encarar medidas drásticas, há uma gama enorme de corretivos faciais no mercado que transformam a aparência cansada em poucos minutos.

São quatro cores diferentes: laranja, rosa, verde e amarelo.

O laranja e o amarelo são ideais para olheiras roxas (mais comuns) e para aquelas que surgem depois de uma cirurgia plástica. Ele neutraliza os pigmentos arroxeados e é usado como um pré-corretivo. Deve ser aplicado sobre as manchas com leves batidinhas. Após alguns segundos, é bom espalhar o corretivo bege. Para um resultado natural, o corretivo amarelo precisa ser mais fluido do que o tom da pele.

Se as manchas têm uma cor marrom, o ideal é escolher o corretivo rosa.

Já o verde é uma mão na roda contra as olheiras rosadas. Escolha um que seja um tom abaixo do da sua pele. Para acertar a sua tonalidade, teste-o no pulso antes. Ele deve ter a mesma cor dessa área do corpo.

Uma dica: antes de espalhar o produto sobre as olheiras, cheque se sua pele está hidratada, caso contrário, passe um creme indicado para a área dos olhos. Em seguida, aplique o corretivo sobre as olheiras dando leves batidas com o dedo para o produto não manchar a pele. Se você não vive sem base, use-a primeiro. Para dar acabamento recorra, por último, ao pó facial, mas passe uma camada bem fina. Se você tem muitas rugas na região, esqueça o pó, ele pode marcá-las.

 

Receitas da vovo

Ainda na linha dos truques que não agridem a região dos olhos, você pode recorrer às boas e velhas receitas da vovó. Chás de camomila em compressas geladas atenuam o problema, mas de forma paliativa.

Ou seja, você pode usá-los e obter bons resultados para arrasar numa festa, já que a camomila é calmante e tem ação vascular. O problema é que essas medidas apresentam efeito Cinderela, voltam a aparecer no dia seguinte.

Na realidade, essas fórmulas caseiras só funcionam porque são aplicadas em temperaturas bem frias. O gelo faz uma constrição nos vasos, isto é, os fecha, impedindo a circulação sangüínea, e temos a impressão de que o problema foi sanado. Depois de uma noite de sono, a temperatura corporal se restabelece e as olheiras voltam. Podemos usar até frutas e legumes. Afinal, o que ajuda é a temperatura, que deverá ser a mais baixa possível.

Pois é, não há muito o que fazer para tirar de vez essas manchas escuras do seu rosto. Mas saber que a medicina já oferece alternativas que atenuam e muito o problema, já é bem animador. Escolha o tratamento que melhor combina com a sua situação e procure um bom dermatologista.

Fonte: www.bolsademulher.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...