Como evitar pulgas e carrapatos

O controle de pulgas e carrapatos nos animais de estimação vai além de cuidados usuais como banho e aplicação mensal de medicamento. Quando há infestação desses tipos de insetos, cerca de 95% dos carrapatos e 60% das pulgas estão presentes no ambiente, como por exemplo no quintal, na sacada e em outras partes da casa. Por isso, para que o controle seja efetivo é necessário ter atenção especial e redobrada também com os locais de circulação de cães e gatos.

As pulgas e carrapatos buscam ambientes adequados para sua reprodução que, se efetivamente concluída, inicia a infestação do local pela quantidade de ovos que põem em um único ciclo. As pulgas chegam a pôr entre 500 a 600 ovos e os carrapatos adultos, de 4 a 5 mil ovos. Sendo assim, a eliminação de uma fêmea adulta de carrapato significa a extinção de 5 mil prováveis larvas que iriam compor a geração do ano seguinte.

Os ambientes mais propícios para a reprodução destas pragas são as frestas de paredes ou muros e os vãos existentes em pisos de tacos ou tábuas, que podem servir de abrigo. No caso da pulga, locais com acúmulo de pó são os preferidos para sua instalação e proliferação. Já o carrapato, após abandonar os hospedeiros (cachorros, cavalos, boi e até o homem), passa 90% de sua vida no ambiente.

Além de acarretar doenças aos animais domésticos – como dermatite alérgica, viroses, salmonelose e peste bubônica – pulgas e carrapatos podem também transmitir vírus e bactérias ao homem. Por isso, a limpeza e higienização de todo o ambiente onde os animais domésticos circulam são fundamentais para garantir a saúde e o bem-estar de toda família.

Para evitar a infestação ou agir para o controle de pulgas e carrapatos, é necessária uma ação conjunta de tratamento do animal e do ambiente. A lavagem semanal de objetos como panos, cobertores e brinquedos é uma das formas de precaver a infestação de pulgas e carrapatos nos ambientes.

 

Recomendações:

  • Manter a casa limpa e aspirada (utilizar o aspirador de pó com saco descartável auxilia na remoção de ovos e larvas presentes no ambiente).
  • Lavagem e aplicação de inseticidas indicados das áreas da casa.
  • Nos jardins e quintais, o cuidado com a vegetação e a limpeza frequente são fatores muito importantes para evitar ambientes úmidos e adequados para o desenvolvimento de larvas.
  • Lavar com frequência cobertores, panos e roupas dos animais.
  • Manter o local em que eles vivem sempre limpo.
  • Tosar animais de pelo longo no verão.
  • Evitar carpetes em casas com animais, pois são um local propício à proliferação de pulgas.
  • Dar banhos antipulgas e utilizar produtos de longa duração em gotas ou spray.
  • Se o cão está infestado dê banhos antipulgas ou carrapaticidas com intervalos de uma semana a 15 dias.
  • Não aplicar produtos inseticidas em fêmeas gestantes, ou animais com ferimentos abertos.
  • Dedetizar o ambientes a cada 15 dias. Aplicar produtos em plantas, na casinha e em frestas de pisos e paredes.
  • Consultar o veterinário para a escolha dos produtos e dosagem segura para seu animal.

 

Em caso de constatação de grande infestação de pulgas e carrapatos no ambiente, consulte sempre um especialista na área de saúde ambiental. Este profissional é capacitado para orientar e recomendar as melhores formas de controle destas pragas, que prejudicam a saúde dos bichos de estimação e também de seus donos.

Atualmente, existem cerca de 2 mil espécies de pulgas e 800 espécies de carrapatos no mundo. Entre os mais populares, estão os que se hospedam nos animais de estimação como as pulgas das espécies Pulex, Ctenocephalides, Ctenocephalides felis felis e o carrapato vermelho do cão, Rhipicephalus sanguineus. Além de parasitas externos, ectoparasitas e vetores de microorganismos como bactérias, protozoários e vírus, os carrapatos são transmissores de doenças sérias como a febre maculosa, por exemplo, que é transmitida pelo carrapato estrela (Amblyoma cajenense) e que pode levar os seres humanos à morte.

 

Como proteger seu animal de pulgas e carrapatos

No verão, os bichos precisam de cuidados redobrados, pois além das precauções com o calor, as picadas de pulgas e carrapatos são mais frequentes nesta época. A pulga e o carrapato precisam de calor e umidade para procriar, por isso é mais comum que se manifestem no verão.

A picada destes animais pode trazer muitos problemas à saúde do seu pet e à sua também. Além da imensa coceira consequente das picadas, a pulga também transmite doenças. Se o bicho engolir esse inseto, pode contrair o parasita dipylidium canino, que ataca o intestino, causa diarreia e até provoca a perda de peso. Para os gatos, em caso de ingestão, a pulga transmite a bactéria mycoplasma, que causa anemia.

O carrapato é a praga mais preocupante de todas. Para os humanos, esse aracnídeo transmite zoonoses, como a febre maculosa. Nos bichos, desencadeia doenças como babesiose, erliquiose, anemia e pode levar a óbito. Quando picado, o animal fica prostrado, quietinho e sem apetite.

Perceber se o pet tem pulgas é fácil. Ele começa a se coçar bastante e dá para ver o inseto entre os pelos. Para quem nunca viu o carrapato, ele é quase do tamanho de um grão de feijão, visível a olho nu e não é um problema apenas das regiões rurais.

O carrapato se propaga com facilidade nas zonas urbanas, mas é mais comum em matos. Caso você perceba que o seu bicho está com carrapatos, não tente tirá-lo com a mão. É melhor evitar o contato. Se for arrancá-lo, use uma pinça. É a picada desse aracnídeo que transmite a febre maculosa para o homem.

Caso você perceba que seu bicho está sofrendo com algum destes problemas, a melhor medida é aplicar os produtos específicos para acabar com o mal. Tais produtos são encontrados com facilidade em pet shops e casas especializadas. O uso deve ser tópico. 

A melhor forma de ficar livre das pragas citadas é tomando medidas preventivas. Para evitar que seu bicho pegue carrapato, use os produtos específicos todo mês. No caso das pulgas, a posologia varia de produto para produto, mensal ou de três em três meses.

Se a infestação de pulgas for grande, é preciso tratar o animal e também o ambiente onde ele vive. As pulgas se reproduzem rapidamente e ás vezes é aconselhado dedetizar o local. Se esse for o caso, é melhor recorrer a um técnico, pois os produtos de dedetização são venenosos.

Quem tem mais de um animal, deve aplicar o produto em todos eles, mesmo que apenas um tenha pulgas.

Fontes: entretenimento.r7.com / www.itu.com.br / informacaoanimal.spaceblog.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...