De James Dean a Paul Walker, lembre astros mortos em acidentes de carro

O ator Paul Walker, da franquia "Velozes e furiosos", que morreu na tarde do dia 30 de novembro, aos 40 anos, é o integrante mais recente da lista de astros vítimas de acidentes automobolísticos fatais. Ele ocupava o banco do carona em um Porsche guiado pelo amigo Roger Rodas, de 38 anos, que também morreu.

Segundo informações preliminares, o veículo pegou fogo após bater em um poste de luz e em uma árvore, por volta de 15h30 no horário local (21h30 em Brasília). "A velocidade foi um fator no acidente", informou o gabinete do xerife de Los Angeles à CNN.

Antes de Walker, famoso por interpretar um ex-policial envolvido em corridas clandestinas de carros, James Dean (1931-1955) e Grace Kelly (1929-1982) foram casos notórios de celebridades de Hollywood que morreram de forma semelhante. Abaixo, relembre outros atores que perderam a vida em acidentes:

 

James Dean

Ninguém encarnou melhor o espírito live fast, die young ("viva intensamente, morra jovem", em tradução livre) do que James Dean. Apaixonado por carros e velocidade, ele morreu aos 24 anos, em 30 de setembro de 1955, num acidente automobilístico. Estava a caminho de uma corrida e, a exemplo de Walker, ocupava um Porsche, mas como motorista. Seu veículo foi atingido por outro numa estrada na Califórnia – morreu quase instantaneamente, ao ter o pescoço quebrado. Duas horas antes da colisão, Dean havia recebido uma multa por excesso de velocidade. No cinema, James Dean protagonizou ao todo apenas três filmes: "Juventude transviada" (1955), "Vidas amargas" (1955) e "Assim caminha a humanidade" (1956). Foi o suficiente para ele se estabelecer como ícone de tipo intenso e rebelde.

Sua morte marcou de forma profunda seus admiradores e fãs, no entanto algo estranho iria acompanhar esse acontecimento. Desde o dia de sua morte, aconteceram coisas muito estranhas com os restos de seu carro, o Porsche 550 Spyder. Em 1960, a carroceria do veículo sumiu.

Dean, um apaixonado por carros, participava de competições de automóveis, mas no dia em que iria estrear sua nova "máquina", um Porsch modelo 550, aconteceu a tragédia.
O Porsch 550 de James Dean tratava-se de um dos carros esportivos mais conhecidos da história, com motor de 4 cilindros e 1500 cilindradas, com 100 cavalos de potência.Os fãs se negaram a acreditar no desaparecimento do ídolo e diziam que ainda estava vivo; teria ficado desfigurado depois do acidente, diziam os boatos.
O que de fato aconteceu depois do acidente foram coisas estranhas com os donos das peças que restaram do carro de Dean.
Mortes, acidentes raros e, o mais absurdo de tudo, o Porsche 550, apelidado por Dean de "Little Bastard", simplesmente desapareceu.

Naquele fatídico dia, James Dean havia decidido levar o carro sobre uma plataforma até o local da corrida, mas tal idéia foi descartada, pois Dean queria ter uma idéia de como o carro se comportaria na hora de enfrentar seu primeiro desafio.
Mas seus amigos já o haviam advertido sobre o perigo que iria correr ao dirigir uma máquina de grande potência como aquele Porsch.

James Dean então acompanhado por seu mecânico, Rolf Wütherich, partiu para a viagem até Salinas.
Após uma hora de viagem, chegaram a um cruzamento próximo à cidade de Cholame.

Nesse ponto Dean avistou outro veículo vindo em sua direção pela contramão.
Então disse para Rolf Wütherich:

- "Ele tem que parar, ele tem de nos ver",

gritou Dean. Mas não foi assim. Dean bateu em um Ford Custom Tudor modelo 1950 dirigido por Donald Turnupseed, o qual vinha na direção oposta e não percebeu a presença do Porsche prateado.
Dean vinha rápido antes, amaciando o motor, mas no momento da batida nenhum dos carros estava acima do limite de velocidade, muito pelo contrário.
O corpo de alumínio do Porsche, pesando aproximadamente 550 quilos, mais a massa dos dois passageiros, encontra o de aproximadamente uma tonelada e meia do Ford, seu V8 Mercury e mais o condutor, no sentido contrário. O ângulo da batida, meio em diagonal devido ao leve desvio que o Ford faria durante a conversão à esquerda, foi decisivo para que os ocupantes do Porsche sofressem a maior parte do impacto.

O acompanhante, de Dean, Rolf, quebrou uma perna e sofreu contusões múltiplas e cortes por todo corpo, mas o James Dean não resistiu aos ferimento a acabou morrendo à caminho do hospital.
O motorista do outro carro pouco se machucou e declarou que não viu o carro de Dean se aproximando de frente.

Mas a tragédia não acabou com a morte de Dean.
Ao redor dos restos desse Porsche 550, ocorreu uma série de histórias que sempre levam a mesma questão.

 

O carro de James Dean teria algum tipo de maldição?

A companhia de seguros vendeu o que restou do carro; foi então que começaram as sucessivas tragédias:
=> George Barkuis, o motorista que dirigia o caminhão que foi buscar o carro "destroçado", morreu quando o Porsche caiu sobre ele no mesmo lugar do acidente.
=> Um especialista em carros para Hollywood, chamado George Barris comprou o carro por US$ 2.500.
=> Quando o carro chegou à garagem de Barris, ele deslizou e caiu sobre um dos mecânicos que o descarregavam, quebrando suas pernas.
Com muito medo, Barris começou a separar as partes do carro que poderiam ser revendidas, o que não seria difícil.
Barris afirmou que nunca teve boas sensações perto do Porsch 550, mas acreditava que era apenas superstição de sua parte.
=> No entanto suas suspeitas se confirmaram em outubro de 1956, quando a pessoa que havia comprado o motor do carro de Dean (Troy Mc Henry, um médico de Beverly Hills) morreu ao usá-lo pela primeira vez em seu carro.
=> Logo depois, outro de seus clientes, William Eschrid, o qual comprou o câmbio do veículo, bateu o carro violentamente, mesmo assim sobreviveu e contou que seu automóvel simplesmente travou bruscamente sem explicação.

=> As rodas foram vendidas a um jovem que uma semana depois se envolveu em um acidente devido a um defeito nas rodas que pertenceram ao Porsche de Dean.
Mas a história não terminou neste fato.
=> Em uma corrida internacional, um menino tentou roubar o volante do Porsche de Barris (que antes foi de Dean) e cortou o braço.
Tentando se livrar da má sorte do carro, Barris emprestou para a polícia da Califórnia o que restava da carroceria do 550, para utilizá-la como exemplo da imprudência no trânsito.
=> Antes que as autoridades o levassem, a garagem onde estava guardado pegou fogo e misteriosamente o Porsche de Dean se salvou, ao contrário do resto dos carros estacionados no local que ficaram completamente destruídos com as chamas.

=> No dia em que o carro foi colocado em uma exposição em Sacramento, caiu do estante e machucou um adolescente.
=> Quando o carro foi transportado para uma exposição próximo da cidade de Salinas, o caminhão patinou na pista e bateu. O motorista morreu.
Em 1958, Barris emprestou a carroceria do Porsche 550 para ser exposta em uma amostra sobre segurança veicular em Miami, Flórida.
=> Quando o carro foi colocado em cima do caminhão para ser levado a Los Angeles, desapareceu misteriosamente.
Nunca chegou ao seu destino.
Até hoje o paradeiro do "Little Bastard" é desconhecido por completo.
=> A sorte do acompanhante de Dean também não foi a melhor.
Em 1981, o mecânico Rolf Wuetherich morreu em um acidente automobilístico na Alemanha, quando dirigia um Honda.

Foto tirada poucas horas antes do acidente, mostrando "James Dean" e seu Porsche 550 Spyder.

 

Mas como o Porsch "Little Bastard" de James Dean desapareceu?

No final de 1959, depois que o carro tinha sido exposto em uma convenção da polícia na Flórida, ele seria enviado de volta para a casa para Barris, na Califórnia.
O Porsch então foi carregado em um caminhão com compartimento fechado em Miami, e a sua porta foi selada com cuidado.
Quando o caminhão chegou em Los Angeles, oito dias depois, o selo na porta ainda estava intacta, mas o Porsche estava faltando.
Poof - ele tinha simplesmente desaparecido.

Dez anos depois, JJ Armas, um conhecido investigador particular internacional, estava com seu veículo na oficina de Barris para instalação de de alguns equipamentos de vigilância.
Barris então comentou para JJ Armas sobre o misterioso desaparecimento do carro de James Dean durante o curso da conversa, e Armas se ofereceu para investigar sobre o caso.
Cerca de um mês depois, Armas chamou Barris e informou-o que o carro, na realidade, nunca foi carregado no caminhão na Flórida..
Armas investigou de forma inteligente os registros dos postos de pesagem onde o caminhão havia parado no durante a sua viagem da Flórida para a Califórnia, e o peso do caminhão sempre foi o mesmo em toda a extensão do país, não se alterando em momento algum.
Isso quer dizer que da forma que o caminhão partiu, chegou, sem mudanças na carga, e como o carro não estava em seu interior no destino, obviamente também não deveria estar em sua partida.
Quando Armas localizou o motorista do caminhão, ele relatou o seguinte:

- "Eles me entregaram os documentos necessários para o transporte, e o caminhão com a porta fechada e selada, e isso é tudo que eu sei sobre o caso.
- "Eu não estava lá quando ele foi carregado, portanto não sei o que tinha lá dentro".

Ao longo dos anos, dezenas de pessoas se aproximaram de Barris afirmando que sabiam do paradeiro do "Little Bastard".

- "Eu ouvi todos os tipos de histórias, como "ele está na garagem de uma pessoa"', ou "ele está embrulhado em plástico no fundo de um lago"', ou " ele está em cima de um telhado", e todos os outros tipos de coisas fantasiosas que possam dizer, mas tudo mentira.

Com todo a repercussão que existia sobre o carro, parecendo que ele tinha vida própria, Barris recolheu as partes remanescentes que ele ainda possuía do carro, e junto com algumas fotos, criou um cartaz para ser exposto no "Volo Auto Museum", em Illinois.
Para ajudar a promover a exposição, o Museu Volo ofereceu uma recompensa de US $ 1.000.000 para quem conseguisse devolver o carro, mas com a condição de que antes deveria ser inspecionado por Barris para autenticá-lo como o carro verdadeiro.
Mensagens do mundo todo surgiram na esperança de ganhar o dinheiro da recompensa.

Barris lembra:

- "Certa vez eu recebi um e-mail e uma foto de um cara da Argentina que disse que ele estava com o carro em um local seguro, e queria reivindicar a recompensa.
Eu disse a ele que se ele queria fazer um pedido de milhões de dólares, ele deveria pegar pelo menos o ano e o modelo do carro que estava com ele.
Então ele respondeu que tinha um a Porsche Speedster 1960, e Dean morreu em um Porsche Spyder 1955"!
Então, ele disse que seu falecido pai tinha adquirido "Little Bastard" e agora estava em seu poder.
Este homem queria ser pago antes de mostrar o carro.
A rede de TV ficou sabendo disso e, pensando que poderia ter os ingredientes para um desses "programas especiais".
Então o pessoal do canal de TV ofereceu para o Argentino $ 25.000 para mostrar-lhes o carro.
Ele disse que queria mais do que isso, assim elevou para US $ 40.000, depois 65.000 dólares, mas ainda não era suficiente; afirmou que deveria ser $ 125.000.
Nesse ponto, o pessoal do canal de TV decidiu que não valia a pena e perdeu o interesse no coisa toda.

Mesmo assim, Barris ainda estava curioso. Ele relata que teve acesso à "espiões" na região onde o carro supostamente estaria guardado, e após investigações, foi descoberto que o Porsch não era mesmo o "Little Bastard", e sim um Jaguar acidentado. Era na verdade, um golpe.
A última notícia que ele ouviu, foi de que as peças que sobraram do carro estavam com um proprietário de carros de corrida em Massachusetts, o qual tinha o motor e a transmissão do Porsch, mas isso não foi confirmado.

Há uma coisa mais interessante sobre o caso:
"Em 1997, foi personalizada uma uma réplica do carro de Dean para um filme sobre sua vida, estrelado por Casper Van Dien, e da mesma forma, quando estavamos na oficina, a mesma coisa aconteceu com a réplica, da mesma forma como aconteceu com o original, "no manuseio do carro sua lanterna foi danificada!

 

Grace Kelly

Assim como James Dean, Grace Kelly teve uma carreira curta, com 11 filmes. Entre 1951 e 1956, teve tempo de ganhar um Oscar, por "Amar é sofrer" (1954), e se tornar musa do cinema, com destaque para a parceria com o cineasta Alfred Hitchcock. Do mestre do suspense, protagonizou, por exemplo, "Disque M para matar" e "Janela indiscreta" (ambos de 1954). Em 1956, virou princesa ao se casar com o príncipe de Mônaco, Rainier III.  A nova "ocupação" a fez deixar Hollywood, onde havia consolidado como mito da beleza e do glamour, graças ao estilo aristocrático. Grace Kelly, então Grace de Mônaco, tinha 52 anos de idade quando morreu, em 14 de setembro de 1982. Na véspera, o carro que ela dirigia havia caído em um despenhadeiro, numa estrada de Monte Carlo.

 

Françoise Dorléac

Irmã mais velha de Catherine Deneuve, Françoise Dorléac tinha 25 anos quando morreu em um acidente de carro em Nice, na França. No dia 26 de junho de 1967, o veículo capotou e explodiu, deixando seu corpo irreconhecível. Na época, ela tinha uma promissora carreira, já tendo no currículo filmes dirigidos por cineastas como François Truffaut ("Um só pecado") e Roman Polanski ("Armadilha do destino"). Françoise não era conhecida somente pela beleza ou pelo talento, mas também por seu lado divertido. "Arsene Lupin contra Arsene Lupin" (1962), "A caça ao homem" (1964) e "Onde os espiões estão" (1965) são algumas das comédias em que ela atuou. Ao morrer, a atriz estava prestes a concluir as filmagens daquele que seria seu último trabalho, "O cérebro de um bilhão de dólares" (1967), com Michael Caine. As cenas dela foram mantidas.

 

Jane Mansfield

Com sua figura voluptuosa, Jane Mansfield foi símbolo sexual dos anos 1950 e 1960. O IMDb a descreve como uma "Marilyn Monroe dos pobres, sem a vulnerabilidade e a capacidade da estrela principal". Os estúdios, contudo, não a consideravam a típica "loira burra". Segundo o site, ela tinha facilidade para decorar suas falas, além de um QI estimado em 163 – a média fica entre 100 a 110. O IMDb informa ainda que a atriz teve casos o ex-presidente dos Estados Unidos John Kennedy. Em 29 de junho de 1967, Jane sofreu um acidente ao lado do namorado e de três de seus quatro filhos. As crianças, no banco traseiro, tiveram apenas ferimentos leves. Mas o motorista, o namorado e Jane, Samuel Brody, morreram imediatamente. Uma das filhas de Jane é a também atriz Mariska Hargitay, a Olivia da série "Law & Order: Special Victims Unit".

 

Linda Lovelace

Linda Boreman ficou famosa no cinema pornô com o nome artístico Linda Lovelace. Ela estrelou o filme "Garganta Profunda", de 1972. A atriz morreu aos 53 anos após acidente de carro, em abril de 2002. Segundo a agência Reuters, o automóvel de Linda capotou e bateu em um poste.

Lovelace se tornou sensação do cinema adulto ao estrelar "Garganta profunda". A produção é considerada um dos marcos do gênero chamado de "pornô chic", sucesso no início da década de 70.

O longa foi o primeiro pornô a ser exibido em cinemas tradicionais, a ter crítica no "New York Times" e a ser visto por mais de dez milhões de pessoas, chegando a arrecadar mais de US$ 600 milhões.

Fonte: g1.globo.com / www.alemdaimaginacao.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...